Sem divulgar imagens, China lança nave reutilizável em experimento "secreto"

Por Danielle Cassita | 04 de Setembro de 2020 às 18h30
Lintao Zhang/Getty Images

Nesta sexta-feira (4), a China lançou uma espécie de nave experimental reutilizável. O veículo vinha sendo preparado no Jiuquan Satellite Launch Cente e foi levado para a órbita pelo foguete propulsor Long March 2F. Até o momento, não foram divulgadas imagens nem da nave e nem do lançamento.

A mídia estatal Xinhua anunciou o sucesso da missão após três horas da abertura da janela de lançamento. Agora, esta nave se encontra em órbita e seguirá realizando testes durante algum tempo. De acordo com informações da Xinhua, a nave voltará ao local de pouso reservado na China após o encerramento deste período. Para os testes, serão utilizadas tecnologias reutilizáveis que fornecerão suporte tecnológico para o uso pacífico do espaço. 

Lançamento do Long March 2F em 2016 (Imagem: Xinhua)

Recentemente, a torre de lançamento do Long March 2F passou por algumas modificações. Então, seria possível que as alterações foram feitas para o lançamento ocorrer com cargas úteis maiores do que uma missão padrão do Long March 2F — mas, para isso, seria necessário preparar um veículo espacial com asas.

Para Andrew Jones, repórter que está se especializando no programa espacial chinês, o lançamento pode ter sido uma surpresa para as pessoas, mas faz sentido se considerarmos os objetivos espaciais da nação. “A China tem grande interesse em aviões espaciais; eles já disseram que iriam fazer isso, e parecem estar seguindo o que foi dito”, explica ele ao portal The Verge.

Acontece que, em 2017, a China declarou que pretendia testar um avião reutilizável em 2020. O projeto deste veículo foi adicionado em um documento da China Aerospace Science and Technology Corp. (CASC), a principal contratante espacial do país, que mapeava o transporte espacial. Este documento incluía também o objetivo de desenvolver um avião espacial para órbita de um único estágio, além de veículos completamente reutilizáveis. Por fim, havia a meta de lançar em 2045 um veículo alimentado por energia nuclear. 

A Força Aérea já está rastreando os objetos do lançamento, e satélites rastreadores estão sendo utilizados para tentar descobrir o momento exato do lançamento do foguete. Então, resta aguardar o pouso deste possível avião espacial e o que acontecerá depois.

Fonte: SpaceNews, The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.