Câmera de telescópio no Havaí flagra raro aglomerado de meteoros; veja o vídeo!

Câmera de telescópio no Havaí flagra raro aglomerado de meteoros; veja o vídeo!

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 04 de Agosto de 2021 às 17h25
Subaru Telescope/NAOJ/ Asahi Shimbun Company

O telescópio japonês Subaru é um dos maiores do mundo, instalado em Maunakea, no Havaí. O domo do telescópio abriga a câmera Subaru Asahi Sky Camera, que, desde abril de 2021, transmite imagens ao vivo que são acompanhadas por centenas de usuários — mas quem acompanhou a transmissão do dia 14 de viu um fenômeno diferente e raro. Foi registrado um “evento de aglomerados de meteoros", com mais de uma dúzia deles aparecendo em apenas 10 segundos. A passagem dos meteoros aconteceu durante a madrugada, no horário local. 

Chamamos de "meteoro" os objetos que atravessam a atmosfera da Terra e, assim, deixam um rastro luminoso no céu. Os astrônomos do telescópio explicam que o evento ocorrido não oferece riscos e é relacionado aos aglomerados de meteoros, que podem ocorrer quando o objeto se rompe em fragmentos menores antes de entrar na atmosfera. Este fenômeno foi identificado pela primeira vez em 1997, durante a chuva de meteoros Leônidas e, desde então, poucos casos foram registrados — há relatos do fenômeno em 2016, na República Tcheca, e em 2021, com registros feitos pelas câmeras da University of Arizona. 

Confira o vídeo que mostra os meteoros: 

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A passagem dos meteoros foi flagrada, primeiro, pelos usuários atentos que vêm acompanhando as transmissões da Subaru-Asahi Sky Camera — um deles, que se identifica como “Fukuro”, comentou que, inicialmente, pensou ser apenas uma série de pequenos meteoros. “Quando verifiquei a contagem duas vezes, fiquei surpreso ao perceber que havia vários pequenos meteoros visíveis, vindos da mesma direção e ao mesmo tempo”, disse. 

Junichi Watanabe, vice-diretor do Observatório Astronômico Nacional do Japão (NAOJ), comentou que o significado científico de registrar um fenômeno tão raro é enorme e significativo, já que esse evento durou mais que os anteriores. “O fato de a câmera estar localizada em Maunakea, um dos melhores lugares de observação do mundo, também foi um fator importante na captura desse evento, além dos recentes avanços na tecnologia das câmeras”, disse em um comunicado. “Espero que a câmera continue capturando fenômenos raros semelhantes no futuro”. 

Além do espetáculo no céu, esse fenômeno oferece informações importantes sobre a estrutura dos meteoros. Pelo menos 11 meteoros do aglomerado foram observados pelas câmeras dos observatórios de Haleakala e Maunakea, e os dados capturados por elas sugerem que o aglomerado foi causado por fragmentos de um cometa frágil, do tipo Halley. “Esses aglomerados de meteoros vêm de corpos parentais maiores, como asteroides e cometas, então eles podem nos ensinar sobre a composição dos objetos maiores”, explicou Larry Denneau, cientista de projeto do ATLAS (Asteroid Terrestrial-impact Last Alert System).

Fonte: Subaru Telescope, University of Hawaii

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.