Publicidade

Asteroides se aproximam da Terra o tempo todo, mas não estamos em risco!

Por| 14 de Agosto de 2020 às 11h51

Link copiado!

Родион Журавлёв
Родион Журавлёв

Mais uma vez, alguns sites estão noticiando possíveis colisões de asteroides com nosso planeta em 2020. Perfis de redes sociais e vídeos no YouTube falam sobre alguns objetos cósmicos - que de fato existem -, alarmando a respeito de alguma tragédia que aconteceria ainda este ano, geralmente citando a NASA como fonte na notícia. Calma, nada do tipo vai acontecer agora, e nem nos próximos anos.

É comum que a NASA e outras agências espaciais noticiem suas pesquisas sobre objetos espaciais que estão ou estarão próximos à Terra, mas nenhum entre todos os já descobertos é uma ameaça real de alguma colisão catastrófica. A verdade é que os que podem se aproximar muito do nosso planeta são pequenos demais para representar algum risco para nossas vidas.

Um deles é o 2018 VP1, asteroide pequeno que poderia chegar mais perto da Terra do que a Lua, e talvez ainda mais perto do que muitos de nossos satélites de telecomunicações em órbita. A maioria dos asteroides desse tipo é detectada apenas depois de sua passagem por nós, mas, neste caso, ele foi localizado anos antes de isso acontecer. Rochas espaciais como esta podem, de fato, passarem muito perto, e até mesmo podem entrar em nossa atmosfera como meteoros.

Continua após a publicidade

Há também outro asteroide famoso nas notícias sensacionalistas, o 2011 ES4. Ele é muito maior que o anterior, com cerca de 50 metros de diâmetro, algo que, caso colidisse com a Terra, poderia fazer algum estrago, provavelmente semelhante ao objeto que passou sobre a Rússia em 2013, na cidade de Chelyabinsk.

Mas e aí, há algum risco?

Quanto a esses dois asteroides mencionados, não! O 2018 VP1 tem tamanho estimado em apenas cerca de dois metros. É provável que um asteroide desse tamanho seja quase completamente queimado ao colidir com nossa atmosfera. Além disso, há muita incerteza sobre o quão perto esse asteroide específico pode chegar da Terra - de acordo com a NASA, ele pode se aproximar em cerca de 7.500 km ou até 418.429 km.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

Existe um método matemático para determinar o risco de um asteroide colidir com a Terra - a Escala Técnica de Ameaça de Impacto de Palermo. Existe outra escala similar, chamada Escala de Turim, que tem valores de compreensão mais simples. Na escala de Palermo, o risco de impacto do 2018 VP1 é de -3, o que significa que não é digno de preocupação. Na escala Torino, ele não é sequer registrado.

Já o 2011 ES4 tem chance de chegar a cerca de 72,400 km da Terra em 1º de setembro. Esta rocha parece perigosa e coloca algum medo se você falar sobre seu tamanho, mas ela estará mais longe do que todos os satélites em órbita. Mais uma vez, este asteroide nem é registrado na Escala de Torino. Na verdade, nenhum dos milhares de asteroides que já foram descobertos e estão catalogados como próximos da Terra está atualmente registrado nessa escala.

Além disso, mesmo que o 2011 ES4 chegue por aqui, no máximo teríamos um evento como o de Chelyabinsk, que não resultou em nenhuma tragédia grave. Também há muita chance de que ele se despedace enquanto atravessa a atmosfera, caindo em algum oceano ou floresta.

Por fim, é importante dizer que o cenário pode mudar a qualquer momento. Asteroides são difíceis de detectar, principalmente os menores, por não serem muito brilhantes. Portanto, é possível que a NASA ou a ESA encontrem alguma ameaça real nos arredores a qualquer momento. Mas, até lá, nada com que se preocupar.

Continua após a publicidade

Fonte: Forbes