Alunas indianas descobrem asteroide a 70 milhões de km da Terra

Por Danielle Cassita | 17 de Agosto de 2020 às 18h10
NASA

A participação das estudantes indianas Radhika Lakhani e Vaidehi Vekariya no projeto International Astronomical Search Collaboration, destinado à ciência cidadã, rendeu uma bela descoberta. Com análises de dados astronômicos obtidos por telescópios, elas conseguiram identificar o asteroide 2020 OE6 em 23 de junho.

Aakash Dwivedi, educador e astrônomo na Space India, disse à CNN que os estudantes aprendem, no projeto, a identificar corpos celestiais com softwares que analisam imagens coletadas pelo telescópio Pan-STARRS, da NASA. Então, eles procuram objetos que se movem nas imagens. “Nós iniciamos o projeto em junho e enviamos nossa análise para a NASA há algumas semanas. Em 23 de julho, eles nos enviaram um e-mail confirmando que identificamos um objeto próximo da Terra”, explicou Vekariya à emissora. Agora, as alunas esperam poder dar um nome ao asteroide.

Este projeto é uma ótima oportunidade para conectar pessoas de todo o mundo com dados dos observatórios, que escaneiam o céu para ajudar cientistas a identificarem novos objetos se movendo e chamando a atenção em meio a estrelas estáticas. Geralmente, esse trabalho é feito por algoritmos, mas esse caso foi especial: como a imagem das observações é composta por quadrados com pequenas áreas "ocultas" — que, por coincidência, é onde os asteroides mais ficam — os algoritmos não tinham informações o suficiente para identificá-los. Assim, a dupla utilizou softwares especializados para analisar as imagens.

Robert Weryk, astrônomo da Universidade do Havaí, explica que esse asteroide seria possivelmente encontrado mais cedo ou mais tarde por cientistas profissionais. E, de fato, o objeto já havia sido observado: Weryk já havia o rastreado em imagens de outros observatórios alguns anos antes. Mesmo assim, a descoberta foi um momento incrível para elas. “Isso foi um sonho! Eu quero ser astronauta”, comentou Vekariya.

Agora, o 2020 OE6 se encontra a 70 milhões de quilômetros do nosso planeta, e irá manter essa distância por mais alguns séculos. Este asteroide é considerado um cruzador de Marte, ou seja, tem órbita com a mesma distância de Marte ao Sol. Apesar do nome, os dois não cruzarão seus caminhos.

Fonte: Space.com, CNN, Reuters

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.