Adiado outra vez, telescópio espacial James Webb está sem previsão de lançamento

Por Daniele Cavalcante | 29 de Janeiro de 2020 às 16h07
Tudo sobre

NASA

Saiba tudo sobre NASA

Ver mais

Após anos de atraso, a NASA anunciou no início de janeiro uma data para o lançamento do telescópio espacial James Webb (JWST) - março de 2021. Mas parece que o sucessor do Hubble vai sofrer com mais uma prorrogação. De acordo com um novo relatório, as chances de que a última meta estipulada seja alcançada é de apenas 12%.

O lançamento do James Webb é um dos mais aguardados pela comunidade científica, pois os astrônomos esperam descobrir novos segredos do universo através do novo instrumento. A NASA o descreve como “uma missão épica”, e afirma que ele abrirá uma “janela para o universo primitivo, permitindo ver o período em que as primeiras estrelas e galáxias se formaram”.

Mas não é simples colocar os planos em ação. O telescópio, concebido pela primeira vez nos anos 1990, foi estimado para um lançamento entre 2007 e 2011. Com os custos de desenvolvimento disparando cada vez mais, a data foi adiada, até ser programada para lançamento em 2018. A NASA prorrogou mais uma vez, agora para o ano de 2020. Mais tarde, a agência espacial dos EUA anunciou que o lançamento ocorreria somente em 30 de março de 2021.

Agora, o último relatório do Government Accountability Office (GAO), que realiza auditorias em programas executados pelo governo federal e acompanha o desenvolvimento do telescópio há anos, afirma que o programa deve ser adiado mais uma vez. A conclusão veio após uma análise feita em outubro pelos que trabalham no programa. Com isso, a NASA deve estipular uma nova data entre março e junho deste ano, de acordo com a auditoria.

De acordo com o GAO, a multinacional Northrop Grumman, principal contratada do JWST, se esforçou no ano passado para preparar o telescópio para o lançamento dentro do prazo. No entanto, a Northrop gastou a maior parte do cronograma reserva que havia orçado. Problemas técnicos foram os responsáveis ​​por consumir todo esse tempo, um problema de longa data da Northrop Grumman. Agora restam apenas menos de um quarto desse tempo reserva.

Ainda não se sabe exatamente quanto tempo o James Webb terá que esperar dessa vez. A NASA indicou ao GAO que possui fundos suficientes para um atraso de três a quatro meses após a data de março de 2021. No entanto, o trabalho extra do pessoal da Northrop Grumman pode levar a um aumento de gastos significativos. O GAO também não fez nenhuma recomendação nesse sentido. Resta aguardar e torcer para que o atraso não seja muito grande - afinal, todos estão ansiosos para descobrir o que veremos através da "janela para o universo primitivo".

Fonte: The Verge

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.