Spotify remove músicas de Neil Young após ultimato contra negacionismo

Spotify remove músicas de Neil Young após ultimato contra negacionismo

Por Munique Shih | Editado por Douglas Ciriaco | 27 de Janeiro de 2022 às 13h25
Reuters/Joshua Roberts/Arquivo

A música do cantor canadense de folk e rock Neil Young começou a ser removida do Spotify a seu pedido. O músico havia mostrado sua insatisfação com a presença de conteúdo negacionista no serviço de streaming, principalmente contra o podcast The Joe Rogan Experience, do humorista Joe Rogan.

Na última quarta-feira (26), Young expressou seu descontentamento com o Spotify com a uso da plataforma para difusão de negacionismo e boatos sobre a pandemia e ameaçou retirar suas músicas se o streaming não se posicionasse contra isso. O ultimato de Young foi feito por meio de uma carta aberta (já deletada) em seu site.

Após algumas discussões com o Spotify e a sua gravadora Warner Records, o artista concluiu o pedido formal da remoção de suas músicas da plataforma, no mesmo dia que publicou sua carta. O serviço de streaming confirmou que já está retirando as músicas de Young.

"Sentimos muito pela decisão de Neil em remover sua música do Spotify, mas esperamos recebê-lo de volta em breve", disse a empresa.

Neil Young concluiu o pedido formal da remoção de suas músicas da plataforma (Imagem: Reprodução/Reuters)

O Spotify também fez uma declaração no mesmo dia se defendendo das acusações. De acordo com a empresa, já foram removidos mais de 20 mil episódios relacionados à covid desde o início da pandemia, mas a companhia diz buscar um ponto de equilíbrio entre a segurança dos ouvintes e a liberdade dos criadores.

No entanto, a declaração não justificava o motivo da presença de episódios do podcast de Joe Rogan que continham desinformação, incluindo aqueles contendo afirmações de que a "psicose" levava as pessoas a acreditar que as vacinas eram eficazes.

O Spotify não apresentou razões para a decisão final, mas acredita-se que o acordo de distribuição de US$ 100 milhões (R$ 540 milhões) feito com Joe Rogan e o temor de consequências jurídicas e financeiras pesaram na manutenção do conteúdo. O CEO Daniel Ek também argumentou que sua firma não tem responsabilidade editorial sobre o conteúdo publicado no serviço.

Spotify cancelado, e não é primeira vez

A decisão final do Spotify deixou diversas pessoas insatisfeitas com a plataforma e a hashtag "#cancelspotify" está sendo bastante usada no Twitter. Além disso, alguns usuários até mostraram a sua intenção de mudar de serviço depois do ocorrido, então é possível que as plataformas de streaming da Apple, do YouTube e da Amazon ganhem novos assinantes.

Não seria a primeira vez em que assinantes ameaçam abandonar o serviço por causa de conteúdo polêmico. Em agosto de 2018, diversos usuários ameaçaram cancelar suas assinaturas caso o Spotify não retirasse os episódios do podcast com o conspiracionista da extrema-direita, Alex Jones. Os episódios acabaram removidos após campanha dos usuários.

Fonte: Engadgetimore

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.