Sonic 2: O Filme tem cena pós-crédito?

Sonic 2: O Filme tem cena pós-crédito?

Por Durval Ramos | Editado por Jones Oliveira | 07 de Abril de 2022 às 10h00
Divulgação/Paramount Pictures

Assim como aconteceu no primeiro longa, quem ficar na sala de cinema até os últimos segundos de Sonic 2: O Filme vai se deparar com uma breve demonstração do que vem por aí. É uma cena pós-crédito que serve tanto como easter egg para os fãs dos jogos como também apresentação daquilo que um eventual terceiro filme deve trazer. Mas o que exatamente isso significa?

Atenção! Daqui em diante este texto pode conter spoilers sobre o filme!

A cena em si é bem rápida e traz o grupo de militares se reorganizando após o ataque de Robotnik (Jim Carrey) em Green Hills. O foco todo é no vice-comandante Walters (Tom Butler), que coordena a limpeza dos destroços da batalha entre o cientista e o Sonic — e é nesse momento que ele é abordado por outra oficial.

A militar revela que sua equipe estava apagando todos os dados relacionados a Robotnik do sistema quando se deparou com informações de 50 anos atrás que ninguém ali tinha conhecimento. E é então que somos apresentados ao chamado Projeto Shadow ao mesmo tempo em que vemos um ouriço igual ao Sonic, mas todo de preto, aparecer na tela dentro de uma espécie de tubo de contenção.

Quem é Shadow?

Se você ficou sem entender o que tudo isso significa, fique tranquilo, pois a gente explica. O tal personagem que aparece nos instantes finais de Sonic 2: O Filme é ninguém menos do que o próprio Shadow, um personagem criado pela SEGA para os jogos do ouriço em 2001 que nada mais é do que uma versão sombria e mais radical do próprio Sonic.

Sua primeira aparição foi em Sonic Adventures 2 como uma espécie de vilão, mas logo se transformou em um anti-herói da franquia e apresentado quase sempre como um rival do ouriço azul. E, por incrível que pareça, sua história nos games é bem parecida com aquela que o cinema pode desenvolver.

Shadow aparece pela primeira vez com um rival e antagonista do Sonic (Imagem: Reprodução/SEGA)

Assim como a cena pós-crédito revela, Shadow também faz parte de um projeto de meio século atrás que estava sob controle do exército, o que significa que Sonic 3 deve se aproveitar bastante da mitologia que os jogos desenvolveram ao longo dos últimos anos — ou seja, Shadow pode se tornar um anti-herói também nos cinemas, mais ou menos como vimos acontecer agora com Knuckles.

Nos jogos, é revelado que o ouriço negro nasceu do chamado Projeto Shadow, uma iniciativa comandada pelo avô do Dr. Robotnik na tentativa de criar um ser que pudesse ser imortal ao mesmo tempo em que ajudaria a encontrar uma cura para a doença que afligia sua neta — a irmã do vilão vivido por Jim Carrey. Para isso, o cientista misturou o DNA de um ouriço com o de uma entidade extraterrestre chamada Black Doom.

Shadow ficou tão popular que ganhou um jogo próprio... com armas (Imagem: Reprodução/SEGA)

Como a pesquisa foi considerada perigosa demais, o exército encerrou os estudos, guardando todas as evidências em um complexo próprio. Só que, 50 anos depois, o próprio Robotnik descobre a existência de Shadow e o liberta como uma forma de usá-lo para tentar dominar o mundo — o que não dá muito certo, pois o ouriço tem seus próprios planos: destruir o planeta para se vingar de tudo o que a humanidade fez com ele e seus criadores.

A partir daí, entra uma série de reviravoltas, como Shadow não ter todas as suas memórias e ter que lutar contra esses seres extradimensionais dos quais ele foi originado — e é a partir de tudo isso que ele passa a ser um anti-herói dentro do universo de Sonic.

E o que isso representa para Sonic 3?

Apesar de todas as liberdades criativas que a Paramount adotou nos dois primeiros filmes, é fácil notar o quanto os filmes estão sendo respeitosos à mitologia dos jogos de Sonic. Por isso a aparição de Shadow na cena pós-crédito de Sonic 2 é um belo indicativo de que devemos ver mesmo essa história sendo contada nos cinemas.

Cena pós-crédito praticamente confirma que devemos ver história de origem em Sonic 3 (Imagem: Reprodução/SEGA)

Levando em conta que os dois primeiros longas trouxeram o mesmo Robotnik como vilão, é realmente uma boa ideia partir para outros inimigos até para evitar tornar as coisas tão repetitivas. Além disso, o próprio Jim Carrey já sinalizou que cogita se aposentar, então dar sequência à história sem depender tanto de seu personagem é um ganho a mais.

Além disso, já foi mencionado o tal Projeto Shadow e que ele está relacionado a coisas que aconteceram meio século atrás. Assim, tudo parece estar mesmo posto para que vejamos esses experimentos genéticos acontecendo no passado envolvendo seres extradimensionais. É a oportunidade perfeita para inserir tanto um personagem popular quanto Shadow quanto o próprio vilão Black Doom e seus Black Arms.

Caso isso aconteça, a Paramount tem a oportunidade perfeita de ampliar em Sonic 3 aquilo que deu muito certo em Sonic 2: a interação entre seus personagens digitais. Como falamos em nossa crítica, é justamente o maior foco dado a Sonic, Tails e Knuckles que aproxima o longa de uma animação, fazendo com que o tom mais infantil da trama seja bem mais palatável para adultos e crianças. Assim, adaptando a trama de Sonic Adventures 2, isso só tem a ficar ainda mais claro.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.