10 serviços de streaming que não estão no Brasil

10 serviços de streaming que não estão no Brasil

Por Beatriz Vaccari | Editado por Jones Oliveira | 09 de Agosto de 2021 às 19h30
Envato/stockasso

O Brasil já conta com uma diversificada lista de serviços de streaming disponíveis para os momentos de entretenimento. Num mercado inicialmente liderado pela Netflix, hoje o assinante pode analisar diversas opções na concorrência, como Globoplay, Disney+, Prime Video e os recém-chegados HBO Max e Paramount+. No entanto, mesmo com outras plataformas prontas para desembarcarem no país ainda em 2021 (Star+ e Discovery+, principalmente), ainda há muitos serviços de streaming que não estão no Brasil.

Dividido entre produções animadas, documentários, musicais e até mesmo séries de sucesso, o mercado estrangeiro tem opções de sobra quando o assunto é conteúdo de entretenimento por assinatura. São tantas opções que é difícil escolher apenas alguns para não pesar no bolso no fim do mês, mas o Canaltech topou a difícil tarefa de listar apenas 10 que ainda não estão disponíveis para os brasileiros.

10. Boomerang

(Imagem: Reprodução / WarnerMedia)

Se você cresceu na primeira década dos anos 2000, definitivamente se lembra das manhãs de domingo assistindo às animações icônicas no Boomerang. No exterior, o canal possui um serviço de streaming próprio, mantido pela WarnerMedia e que, infelizmente, ainda não está disponível no Brasil. A plataforma foi anunciada em 2017 nos Estados Unidos e conta com diversas animações de sucesso que marcaram a infância de uma geração inteira: Scooby-Doo, Corrida Maluca, Os Jetsons, Looney Tunes e muito mais.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

No exterior, o assinante pode escolher entre o plano mensal de US$ 4,99 (R$ 26,14 na conversão direta) ou o anual de US$ 39,99 (R$ 209,51 na conversão direta). No Brasil, alguns títulos do catálogo do Boomerang podem ser encontradas no acervo da HBO Max.

9. DC Universe

(Imagem: Reprodução / WarnerMedia)

As produções da icônica marca de quadrinhos podem ser encontradas reunidas em um só lugar no exterior: o DC Universe. O serviço de streaming conta com centenas de horas de programação que variam entre animações, séries de televisão e obras do cinema com os personagens das HQs que marcaram gerações. Estão no serviço, por exemplo, a versão de 1990 de The Flash, mas não a atualização do canal The CW; o mesmo acontece com o Batman de 1989 e 1992, mas não as versões de Christopher Nolan. Séries como Titans, Harley Quinn e Doom Patrol também estão disponíveis.

Nos Estados Unidos, o DC Universe é um streaming com o preço um pouco mais salgado que o normal: o serviço custa US$ 8 mensais (R$ 41,94 na conversão direta) ou US$ 75 anuais (R$ 393,04 na conversão direta).

8. Epix Now

(Imagem: Reprodução / Epix Now)

O Epix Now pode soar uma novidade para o público brasileiro, já que não é tão popular por aqui. No entanto, esse serviço de streaming possui uma proposta interessante: mantido pela MGM, o catálogo oferece uma série de filmes e produções originais do selo cinematográfico, como as franquias 007 e Rocky Balboa. Entre as séries originais, estão o drama de época Belgravia (que no Brasil chegará por meio do Globoplay), Pennyworth, Godfather of Harlem e Get Shorty.

O Epix Now possui apenas um plano de assinatura, que custa US$ 6 mensais (R$ 31,42 na conversão direta).

7. HBO Now

(Imagem: Reprodução / HBO)

O HBO Now está disponível desde 2015 e serve como uma versão digital do canal a cabo, servindo a linha completa de séries, filmes clássicos e atuais do selo. No entanto, a HBO Max distribui tudo o que é oferecido no Now e, é claro, adiciona outros conteúdos e programas de TV. No exterior, todo mundo que assinar o HBO Now garante acesso à HBO Max, mesmo que este último mostre ser uma opção mais completa e muito superior.

O HBO Now custa US$ 15 por mês (R$ 78,50 na conversão direta).

6. Broadway HD

(Imagem: Reprodução / Broadway)

O Broadway HD é aquele serviço de streaming focado em trazer a magia dos melhores musicais de Nova York para o público. O interessante por aqui é que todos os espetáculos, mesmo os que já saíram de cartaz e até aqueles bem mais antigos, estão reunidos em um só lugar. Embora não seja exatamente uma Netflix de shows, há diversas peças, musicais, concertos e documentários no catálogo.

A mensalidade do Broadway HD custa US$ 9 (R$ 47,08 na conversão direta) e a anuidade sai por US$ 100 (R$ 523,24 na conversão direta).

5. Pantaya

(Imagem: Reprodução / Lionsgate)

Este serviço de streaming não é tão popular, mas o curioso é que ele é mantido pelos estúdios da Lionsgate e pela Pantelion Films. O acervo aqui, no entanto, é focado em produções latinas com séries roteirizadas originais entre outros 300 filmes em espanhol — alguns que, inclusive, já foram exibidos em festivais do México. A programação é uma mistura de aquisições de outros países e títulos originais.

O Pantaya custa US$ 6 mensais (R$ 31,50 na conversão direta).

4. Shudder

(Imagem: Reprodução / SHUDDER)

Para os fãs de tramas de terror, o Shudder é a opção certa: a plataforma de streaming é mantida pela AMC Network e é dedicada única e exclusivamente a produções do gênero, visando assustar os assinantes e oferecer muito entretenimento para noites de lua cheia. Além de possuir alguns dos grandes títulos do horror, como Halloween e Sexta-Feira 13, e favoritos do cult, como Os Donos do Amanhã e Imp - O Invasor do Espaço, a plataforma ainda oferece conteúdos originais e festivais sazonais em outubro, justamente para entrar no clima de Dia das Bruxas.

O Shudder custa US$ 6 mensais (R$ 31,47 na conversão direta) ou US$ 57 por ano (R$ 298,99 na conversão direta).

3. Showtime

(Imagem: Reprodução / Showtime)

Lar de diversos sucessos como Homeland, Shameless e Dexter (que inclusive também será a casa do revival da série), o Showtime é um dos principais serviços de streaming dos Estados Unidos, mas, infelizmente, não está disponível no Brasil. A plataforma expande seu catálogo entre séries originais, documentários, noticiários e até talk shows. O que o assinante não vai encontrar, no entanto, são sucessos recentes do cinema, já que a empresa optou por dedicar seu orçamento para produções originais.

O Showtime possui apenas o plano de assinatura mensal, custando US$ 11 (R$ 57,76 na conversão direta).

2. Peacock

(Imagem: Divulgação / NBCUniversal)

O Peacock é um dos streamings mais famosos nos Estados Unidos justamnete porque é mantido pela NBC, uma das mais famosas emissoras do país. Por conta disso, a plataforma possui títulos incríveis do selo e de canais da Comcast (E!, Bravo e Oxygen). Entre os principais reality shows, séries e filmes, há todas as temporadas de Law & Order e Saturday Night Live, além de produções "emprestadas" de outros estúdios, como Todo Mundo Odeia o Chris e Yellowstone, além de séries originais como Admirável Mundo Novo (distribuída no Brasil pelo Globoplay) e muito, muito mais.

O Peacock possui uma versão gratuita individual, mas não permite o usuário acessar produções originais e outros títulos grandes da biblioteca. A assinatura premium, no entanto, custa US$ 5 por mês (R$ 26,20 na conversão direta).

1. Hulu

(Imagem: Divulgação / Hulu)

Entre os serviços de streaming mais desejados pelos brasileiros, não há dúvidas de que o Hulu ocupa o primeiro lugar. A plataforma atualmente é mantida pela The Walt Disney Company, que ainda não possui 100% de direitos sobre ela. No entanto, o acervo é vasto e reúne produções dos principais canais dos Estados Unidos: ABC, NBC, FX, Freeform e FOX, além dos seus próprios programas originais, como The Handmaid's Tale, Little Fires Everywhere, High Fidelity, Ramy e muito mais. Embora a Disney esteja trabalhando para distribuir globalmente diversos de seus títulos originais, o Hulu ainda permanece como um grande sonho do fã de séries brasileiro.

O Hulu possui planos mensais em diversas opções para os assinantes: US$ 6 com anúncios (R$ 31,47 na conversão direta) ou US$ 12 por mês sem anúncios (R$ 62,84 na conversão direta) ou US$ 65 mensais com TV ao vivo (R$ 339,95 na conversão direta).

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.