Quem é Lady Loki? Conheça a versão feminina do vilão da Marvel

Por Durval Ramos | Editado por Jones Oliveira | 17 de Junho de 2021 às 10h22
Reprodução/Marvel Comics

Atenção! Este texto contém spoilers sobre o episódio 2 de Loki!

O segundo episódio de Loki terminou com uma grande revelação: Lady Loki está entre nós. Para os leitores de quadrinhos, não chegou a ser uma grande surpresa, já que a possibilidade já vinha sendo apontada há algum tempo e as imagens de bastidores praticamente confirmaram que a versão feminina do Deus da Mentira iria mesmo dar as caras na série. Contudo, para quem acompanha apenas o Universo Cinematográfico da Marvel (MCU, na sigla em inglês), a aparição da personagem foi um susto.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

E justamente por ser essa figura já bastante conhecida das HQs, a gente pode esperar que a sua participação no seriado vai ser maior do que apenas uma variante perdida por aí. Nesse começo de história, ela foi introduzida como a vilã da série, mas a gente sabe que as coisas nunca são como parecem quando o assunto é Loki. Mais do que isso, pode ser que a sua estreia também traga consequências para o futuro do MCU.

Quem é Lady Loki?

Assim como em boa parte do universo do cinema, a origem da Lady Loki nos quadrinhos é bem diferente daquela que a série apresentou. Até aqui, o que sabemos é que ela é uma variante feminina do Deus da Mentira, da mesma forma que o próprio episódio mostra outras versões do personagem — inclusive uma em forma de gigante de gelo. Pode ser que os próximos episódios da série tragam mais informações, mas isso é tudo o que temos até então.

Lady Loki faz sua estreia no MCU sendo interpretada pela atriz Sophia Di Martino (Imagem: Reprodução/Disney+)

Nos gibis, a Lady Loki não é uma versão alternativa do personagem, mas o próprio Loki que a gente conhece em outro corpo. Essa mudança aconteceu em 2008 na saga Renascer dos Deuses, quando Thor tenta reconstruir Asgard após o Ragnarok. Como os asgardianos são imortais, eles não morrem de fato e um a um é despertado para sua verdadeira consciência divina.

E é nesse momento que a gente vê Loki aparecendo com um corpo feminino pela primeira vez — embora só mais tarde tenha sido mostrado que ele tomou o corpo que deveria ser destinado à Lady Sif. Com essa trapaça, ela fica presa no corpo de uma paciente terminal com câncer e o Deus da Mentira passa a andar por aí sob a alcunha de Lady Loki.

(Imagem: Reprodução/Marvel Comics)

Diferente de boa parte das mudanças radicais dos quadrinhos, que duram apenas algumas poucas edições, essa transformação foi válida por quase dois anos, sendo revertida somente quando a alma de Sif foi encontrada e devolvida ao seu corpo. Depois disso, Loki voltou a se transformar em mulher em outras ocasiões e chegou a revelar a Thor que essa versão feminina era, na verdade, uma manifestação de uma de suas personalidades.

O estilo mais dúbio, inclusive, foi uma das principais características dessa fase da personagem. Enquanto esteve sob a forma feminina, ela se mostrou muito mais manipuladora e ambígua do que antes — o que também a tornou bem mais interessante. Uma das suas peripécias foi convencer os asgardianos de que Bill Raio Beta era um Skrull durante a fase Invasão Secreta ou se passar pela Feiticeira Escarlate para manipular os Vingadores.

Dentro do MCU

Diante desse breve histórico da Lady Loki nos quadrinhos, dá para ver como a sua origem é diferente daquilo que estamos vendo no MCU. O principal ponto é, como já disse, que a Lady Loki da série é uma versão alternativa e não uma transformação do personagem original.

Dificilmente vamos ver um confronto da Lady Loki com a Thor Jane Foster nos cinemas (Imagem: Reprodução/Marvel Comics)

E por que isso é importante? Primeiramente, porque isso livra a barra da Disney de polêmicas. De um lado, ela faz um aceno à comunidade LGBTQ ao afirmar que Loki é gênero fluido e, do outro, deixa bem claro que a versão feminina é uma variante de outra linha temporal que nada tem a ver com o personagem que a gente viu até então.

Só que, mais do que isso, a introdução da personagem pode significar sobrevida para Loki mesmo depois da série. Sabemos que o destino do Loki de Tom Hiddleston não é dos melhores, já que ele é uma variante de uma linha temporal que foi resetada pela Autoridade de Variância Temporal (TVA, na sigla em inglês), então é bem difícil imaginar qual será o seu futuro.

É claro que podem encontrar uma brecha para ele voltar ou mesmo torná-lo um agente da TVA ou um Guardião do Tempo (por que não?), mas a verdade é que o Marvel Studios já tentou se livrar do personagem por três vezes, então é difícil vê-lo se safando de novo. E é aí que a gente pode ver a Lady Loki se tornando a Deusa da Mentira do universo cinematográfico a partir deste ponto. As chances de isso acontecer são baixas, principalmente após suas ações no segundo episódio do seriado, mas não há como descartar a possibilidade.

Porém, ainda existe uma terceira alternativa. O segundo episódio da série já revelou que Loki é um dos maiores causadores de problema para a TVA, com diversas variantes suas fugindo da Linha Sagrada do Tempo, então não seria de se estranhar o surgimento de uma terceira variante a partir do bombardeio causado pela Lady Loki no fluxo temporal — e, desta vez, agindo livremente pelo Multiverso, uma vez que devemos ter mudanças na estrutura da TVA vindo aí. Essa poderia ser, por exemplo, a deixa perfeita para introduzir o Kid Loki, a versão adolescente do personagem.

De qualquer forma, teremos que esperar mais algumas semanas para saber o que o Marvel Studios reserva para a Lady Loki. E se levarmos em conta a popularidade que ela teve nos quadrinhos, pode ter certeza de que vai arregimentar uma nova leva de fãs em sua nova versão em carne e osso.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.