Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

O Lado Sombrio da TV Infantil | Quais as denúncias que ex-atores fazem na série?

Por| Editado por Durval Ramos | 19 de Abril de 2024 às 17h30

Link copiado!

Divulgação/Max
Divulgação/Max

Atenção: o texto terá descrições e menções a casos de abuso psicológico e assédio sexual infantil.

A minissérie O Lado Sombrio da TV Infantiltrouxe à tona uma polêmica que há algum tempo circulava à boca pequena em Hollywood, mas que a Nickelodeon tenta abafar: o comportamento abusivo de Dan Schneider, produtor e roteiristas de programas infantis bem clássicos, como Drake e JoshiCarly, Sam e Cat e Brilhante Victória

Continua após a publicidade

Em cinco episódios, a série documental mostra como o temperamento explosivo e o comportamento questionável de Schneider criaram um ambiente de trabalho hostil. A primeira denúncia foi feita em 2018 pelo Deadline. Na época, o jornal estadunidense divulgou alegações que afirmavam que o produtor tinha comportamentos estranhos e também compartilhava, nas redes sociais, fotos dos pés das atrizes mirins que trabalhavam para ele. 

Anos depois, em 2021, a notícia foi de que ele teria abusado verbalmente de seus colegas. Além de enviar e-mails agressivos, Schneider também foi acusado de ter pedido massagens a suas colegas adultas. O caso repercutiu e Alexa Nikolas, atriz de Zoey 101, comentou que não se sentia segura perto do produtor. 

A atriz Jennette McCurdy, em seu livro Estou Feliz Que Minha Mãe Morreu, lançado em 2022, também trouxe várias acusações contra o antigo produtor. A Sam de iCarly disse que ele fazia massagem em seus pés, a fotografou de biquíni e a forçou a tomar bebidas alcoólicas, mesmo ela sendo menor de idade na época. Chamando Schneider apenas de Criador, ela chega a contar que a Nickelodeon chegou a lhe oferecer até US$ 300 mil para que não tornasse essas histórias públicas. 

Outro caso que ganhou bastante repercussão foi a sua relação com Amanda Bynes, atriz que começou sua carreira ainda criança na Nickelodeon e se envolveu em várias polêmicas posteriormente, incluindo internações em clínicas de reabilitação. Estrela de O Show da Amanda e Coisas que eu Odeio em Você, ela se aproximou de Schneider durante sua adolescência a ponto de pedir sua ajuda durante o processo de emancipação dos pais. 

Contudo, o ponto mais delicado dessa relação entre o produtor e a artista teen foi quando um vídeo em que os dois estão juntos em uma banheira viralizou. O conteúdo fazia parte do Amanda's Jacuzzi, programa que era apresentado por Bynes. Na época, ela tinha 16 anos e entrevistava convidados de biquíni na banheira. Já Schneider, com 36, estava de roupa e os dois estavam separados por apenas alguns centímetros de distância.

 As imagens apenas reforçaram as denúncias contra o então todo-poderoso da Nickelodeon. E não demorou para que outras polêmicas surgissem. E o que o documentário O Lado Sombrio da TV Infantil faz é dar mais destaque a essas denúncias já conhecidas e colocar os ex-atores dessas produções infantis para contar outras histórias que eles nunca haviam revelado antes — e algumas bem mais pesadas do que já se sabia até então. 

Continua após a publicidade

Documentário traz relatos fortes

Com a estreia do documentário O Lado Sombrio da TV Infantil, muitas celebridades que trabalharam na Nickelodeon se posicionaram sobre o que foi exposto, apontando principalmente que Dan Schneider não era o único problema e que a situação geral era bastante tóxica.

Uma das vozes mais vocais sobre esse período na emissora é Drake Bell (Drake & Josh), que aparece como um dos principais personagens do documentário. É ele quem relata que foi vítima de abuso sexual pelo ex-treinador de diálogo Brian Peck.

Continua após a publicidade

Na época, Bell tinha entre 13 e 16 anos e o abusador era 26 anos mais velho. O ator conta que eles se aproximaram inicialmente porque ambos gostavam de histórias do passado de Hollywood. Olhando em retrospecto, o ator que agora tem 37 anos diz que acreditar que isso foi apenas uma maneira que Peck encontrou de se aproximar na época. "Provavelmente foi algo calculado por ele", diz.

Em um determinado ponto do documentário, o Drake Bell descreve exatamente o momento em que foi violentado pelo ex-treinador.

"Eu estava dormindo no sofá em que eu costumava fica e acordei com ele. Abri meus olho e me deparei com ele abusando sexualmente de mim. E eu congelei. Estava completamente em choque e não tinha ideia do que fazer ou como reagir. Não sabia como sair daquela situação. O que ia fazer? Ligar para minha mãe e dizer 'Acabou de acontecer isso, pode vir me buscar'? Eu só sentei e esperei. Eu não tinha um carro e nem podia dirigir. Eu tinha só 15 anos."

Brian Peck foi preso em 2003 e condenado no ano seguinte por violência sexual contra menores de idade. Em seu julgamento, algumas de suas vítimas prestaram depoimento sob condição de anonimato. Em O Lado Sombrio da TV infantil, Bell revela ter sido uma dessas testemunhas.

Continua após a publicidade

Outro nome que aparece no documentário e que compartilha algumas de suas lembranças mais pesadas na época em que Dan Schneider comandava as séries teens foi Raquel Lee Bolleau, que participou da primeira temporada de The Amanda Show. Ela contou algumas das situações que encarou enquanto ainda criança nos bastidores que, segundo ela, lhe causaram muita dor ao longo dos anos. Para ela, relembrar o tipo de ambiente a que ela era submetida enquanto ela mal era um adolescente lhe embrulha o estômago até hoje. 

A repercussão da série fez com que até atores que não participaram da produção dessem sua versão das histórias. Jack Salvatore Jr., de Zoey 101, publicou um vídeo em seu perfil no Instagram repercutindo o conteúdo do documentário e trazendo mais situações tóxicas presenciadas enquanto ainda era criança nos sets de gravação. 

"Poderíamos falar sobre as mensagens, sobre o fato de ele literalmente contava sua coleção de moedas de ouro na frente da equipe que vivia de cheque em cheque para viver. Poderíamos falar também sobre como ele trazia uma escopeta para assustar os roteiristas que iam trabalhar na sua casa. Também poderíamos falar sobre as várias conversasque eu não deveria ter ouvido sobre como vocês não queriam recomendar antidepressivos para Jannette McCurdy [a Sam de iCarly] depois que sua mãe morreu por medo que ela se matasse e isso pegasse mal"
Continua após a publicidade

Assim como ele, outros atores usaram as redes sociais para comentar as acusações e demonstrar apoio aos antigoscolegas de trabalho. Josh Peck, um dos protagonistas de Drake e Josh, fez uma postagem em seu Instagram comentando que se solidariza com Drake Bell e com todos os colegas que sofreram algum abuso por parte de Schneider ou outros funcionários da empresal.

Alli DiMeco, a Rosalina em The Naked Brothers Band, questionou o caráter dos adultos por trás das produções da Nickelodeon e ainda lembrou uma cena em que tinha que beijar um cara bem mais velho mesmo contra sua vontade. "Houve um episódio em que Rosalina traiu Nat e beijou um francês. Eu não queria beijá-lo. Ele é um homem de 30 anos", relembrou a atriz.

Alguns atores foram menos enfáticos sobre o caso. Kenan Thompson (Kenan & Kel), por exemplo, comentou que nunca testemunhou nenhuma situação de abuso na empresa, mas que se solidariza com as vítimas. “Todas essas coisas aconteceram depois que saí, basicamente. Dan não estava realmente interessado em Kenan & Kel assim. Ele recebeu o crédito, mas era um showrunner diferente."

Dan Schneider pede desculpas

Continua após a publicidade

Na época em que as primeiras acusações surgiram, Schneider não comentou o assunto. No entanto, o lançamento de O Lado Sombrio da TV Infantil fez com que o ex-produtor quebrasse o silência. Ele deu uma entrevista para o apresentador BooG!e (o T-Bo em iCarly) no qual se desculpou sobre todas suas atitudes.

“Assistir nas últimas duas noites foi muito difícil. Enfrentar meus comportamentos passados, alguns dos quais são constrangedores e dos quais me arrependo. Definitivamente, devo a algumas pessoas um forte pedido de desculpas. Foi errado eu ter colocado alguém nessa posição. Foi a coisa errada a fazer. Eu nunca faria isso hoje.” 
Continua após a publicidade

Ele ainda comentou que se pudesse voltar no tempo, contrataria um psicólogo para trabalhar com atores mirins e ajudá-los nas gravações dos programas. Outro ponto abordado foram as controvérsias que cercaram sua relação com a estrela Amanda Bynes. Ele explicou o caso, principalmente seu envolvimento no processo de emancipação da garota com sua família.

“Amanda tinha entre 16 e 17 anos e queria se emancipar dos pais, o que era algo bastante comum entre jovens atores de sucesso — pelo menos na época. Ela queria isso para si mesma, então recorreu à sua equipe, que incluía seu advogado, seu agente, seu empresário, seu publicitário, eu — porque ela me incluiu como parte de sua equipe, pensava em mim dessa forma. A gente a apoiou, ela tentou se emancipar e acabou não dando certo”

O Lado Sombrio da TV Infantil está disponível na Max.