Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Mussum – O Filmis | Compare o elenco do filme com as pessoas reais

Por| Editado por Durval Ramos | 03 de Novembro de 2023 às 20h00

Link copiado!

Downtown Filmes
Downtown Filmes

Depois de fazer muita gente rir com suas piadas e também sambar com suas músicas, o humorista Mussum, que brilhou em Os Trapalhões, finalmente ganhou um filme para chamar de seu. Estrelado por Ailton Graça, Mussum – O Filmis chegou aos cinemas contando a história de vida do negro e favelado que desafiou o racismo e o preconceito de classe para mostrar ao mundo seu talento.

Batizado como Antônio Carlos, Mussum ficou conhecido por seu humor irreverente e quase ingênuo, e também por suas frases e expressões icônicas, como “cacildis”, “suco de cevadis”, “forévis”, entre outras. Sua alegria contagiante fez muita gente gargalhar em frente à TV — e foi justamente ela, junto ao seu amor pela Mangueira e pela sua mãe Malvina, que fizeram do filme do diretor Sílvio Guindane uma das melhores obras nacionais lançadas em 2023.

Com um time de peso, o longa contou também com Thawan Lucas e Yuri Marçal no papel principal vivendo o humorista na fase da infância e jovem, respectivamente. E vale falar que a caracterização do longa não fez feio. Ao transformar os atores nas pessoas reais que cruzaram o caminho do protagonista, o filme teve o cuidado de ser o mais fidedigno possível. E agora chegou o momento de ver esse resultado. Confira abaixo quem foram os atores que deram vida à essa história.

Continua após a publicidade

Alcione

Conhecida também como Marrom, Alcione é um dos maiores expoentes do samba brasileiro. Mangueirense de coração, ela aparece de maneira breve no filme, sempre chamando Mussum para voltar às quadras da escola e ensinar para as crianças um pouco daquilo que aprendeu com a vida.

O papel ficou com a atriz Clarice Paixão, que dá vida à Alcione na fase jovem, quando ela ostentava cabelos curtos.

Elza Soares

Outra figura importante na vida de Mussum e que também aparece no filme é a cantora Elza Soares. Ela surge como uma artista já bem sucedida que dá uma chance ao grupo Originais do Samba, do qual o protagonista fazia parte, ao chamar os músicos para uma apresentação. No filme, a cantora ganha vida com Larissa Luz, que já tinha vivido esse papel no teatro.

Continua após a publicidade

Jorge Ben Jor

Ainda no mundo da música, outra personalidade que aparece é Jorge Ben Jor, que no filme foi vivido por Ícaro Silva. Apesar da participação do cantor ser bem pequena, serve para contextualizar a obra no tempo e mostrar como estava o cenário musical brasileiro na época.

O mais impressionante aqui é a caracterização e como Silva ficou idêntico ao cantor, incluindo nos trejeitos e nas expressões faciais.

Continua após a publicidade

Cartola

Representando a importância do samba na vida de Mussum, o cantor Cartola é uma das inspirações do protagonista que sonha em ser sambista enquanto cumpre seu expediente no exército. No filme, ele é vivido por Flávio Bauraqui, ator experiente que já havia dado vida ao personagem no musical Cartola – O Mundo é um Moinho.

Na foto, é possível ver que a caracterização ficou impecável, respeitando até as marcas do rosto do artista.

Continua após a publicidade

Grande Otelo

Antes de Mussum se consagrar como um dos humoristas negros mais famosos do Brasil, o único negro que tinha destaque na TV era Grande Otelo, ator brasileiro que se firmou como um dos mais relevantes na década de 1950 e 1960. Foi ele, inclusive, que deu o apelido ao humorista. Otelo o chamou assim em referência a um peixe preto. Apesar de não agradar o protagonista logo de cara, o apelido pegou e ficou marcado para sempre.

No longa, quem deu vida ao personagem foi Nando Cunha, outro veterano das novelas.

Continua após a publicidade

Chico Anysio

Continuando a falar dos humoristas, a carreira artística de Mussum decolou quando ele conheceu Chico Anysio e passou a fazer parte da Escolinha do Professor Raimundo. Foi a partir daí que se tornou mais conhecido e pôde explorar mais seus bordões. No filme, quem vive Chico — em uma das melhores caracterizações da obra — é Vanderlei Bernardino.

Continua após a publicidade

Dedé

É claro que é impossível falar em humoristas sem citar Dedé, Didi e Zacarias, o trio que, junto com Mussum, formou o grupo Trapalhões. No filme, os três são muito bem trabalhados, sendo desenvolvidos tanto individualmente quanto como em equipe. Dedé, o mais próximo do protagonista, foi vivido por Felipe Rocha.

Didi

Continua após a publicidade

Renato Aragão, o Didi, também não ficou de fora da história. Ele é retratado como o cabeça do grupo e seus atritos ideológicos com Dedé também ganham espaço. No meio disso tudo, Mussum só queria se divertir e fazer as pessoas rirem.

Para viver o personagem, o filme escalou Gero Camilo, que tem em seu currículo outras obras nacionais como Bicho de Sete Cabeças e Carandiru.

Zacarias

Continua após a publicidade

Para finalizar o quarteto, Zacarias também ganhou destaque na trama. Ele foi vivido por Gustavo Nader, que criou um personagem bem fiel ao verdadeiro e mostrou ao público um outro lado do Zaca: sua faceta séria e comprometida com o trabalho.

Assim como Mussum, ele também ficou no fogo cruzado entre as divergências de Didi e Dedé, mas felizmente, no final, o grupo conseguiu se resolver e se manter unido por mais um bom tempo.

Boni

Continua após a publicidade

Se tem uma pessoa que também foi importante na carreira de Mussum e muitos outros artistas, essa pessoa é Boni — ou melhor, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, um dos diretores mais influentes da Globo e responsável por comandar várias atrações na emissora.

No filme ele é vivido por Augusto Madeira e aparece pouco, mas nem é preciso muito texto para entender como ele foi importante para a vida artística do protagonista.

Mussum

Continua após a publicidade

Por último, mas não menos importante, chegamos à grande estrela da obra: o Mussum. O personagem ganhou vida com três atores diferentes — Thawan Lucas, Yuri Marçal e Aílton Graça — e o filme soube explorar o seu lado cômico, mas principalmente os dramas e perdas da sua vida. Mais dramático do que engraçado, o enredo focou muito na relação do humorista com sua mãe e também em como ele tentava conciliar sua carreira de comediante com a de músico.

Todos os três atores não fizeram feio em frente às câmeras, mas o destaque ficou para a brilhante atuação de Ailton Graça.