E-commerce continua em alta, mesmo após abertura do varejo presencial

E-commerce continua em alta, mesmo após abertura do varejo presencial

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 16 de Novembro de 2021 às 17h20
twenty20photos/Envato

O avanço da vacinação contra a covid-19 no Brasil permitiu a abertura das lojas físicas e o consequente reaquecimento do varejo presencial. Mesmo assim, indicadores de outubro do Relatório Setores do E-commerce, elaborado pela Conversion, mostram que os principais e-commerces brasileiros receberam 1,69 bilhão de acessos no período — um aumento de 1,58% em relação a setembro.

O levantamento aponta, ainda, que cada brasileiro acessou esses sites em média oito vezes no mês. Os canais preferidos para chegar às lojas são diretos (quando o endereço é inserido no navegador), com 43,3% dos acessos, busca orgânica do Google (28,1%) e busca paga (19,3%). Tráfego de redes sociais somam 3,1%.

Imagem: Reprodução/Pixabay

Diego Ivo, CEO da Conversion, diz que o crescimento em outubro indica que o e-commerce não representa uma mera alternativa ao varejo físico. “Houve uma mudança mais profunda de comportamento do consumidor”, explica.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A pesquisa observa retomada do turismo (com alta de 9,36%), bem como dos setores pet (7,47%), moda & acessórios (4,06%), cosméticos (3,42%), ferramentas & acessórios (3,03%) e farmácia & saúde (2,04%). Entre os segmentos que tiveram retração estão educação, livros & papelaria com -2,89%, presentes & flores com -2,38%, casa & móveis com -2,25%, itens automotivos com -1,37% e calçados com -0,82%.

Maiores e-commerces do Brasil

O ranking dos principais e-commerces do país apresentado no Relatório Setores do E-commerce no Brasil é dividido em geral e por categoria. No geral, a lista tem: Mercado Livre (30%), Americanas.com (14%), Magazine Luiza (13%), Amazon Brasil (11%), Casas Bahia (9%), Shopee (7%), AliExpress (6%) e outros (10%).

Já a busca de uma marca na categoria de consumo em que ela atua mostra que muitos segmentos são dominados por uma ou duas empresas. Alguns exemplos incluem: pet, com Petz (44%) e Cobasi (35%), e joias e relógios, com Vivara (34%) e Pandora (32%).

Black Friday 2021

A pesquisa questionou os entrevistados para saber quais são as expectativas do consumidor para a Black Friday 2021. Entre os entrevistados, 76,5% fizeram alguma compra na Black Friday do ano passado. Em 2021, 87,75% pretendem aproveitar a data para adquirir algum item, um aumento de 14,7% na intenção de compra.

Imagem: Reprodução/Elements/seventyfourimages

A data, em 2021, cai em 26 de novembro, a última sexta-feira do mês. Os líderes na intenção de compra são celulares, eletrônicos & eletrodomésticos, e moda & acessórios.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.