4 tendências para o e-commerce brasileiro em 2022

4 tendências para o e-commerce brasileiro em 2022

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 06 de Janeiro de 2022 às 22h30
Envato/rawf8

A conveniência do ambiente digital tornou o e-commerce um local confortável desde a chegada da pandemia de covid-19. Em 2022, mesmo já com o contexto pós-pandêmico em vista, essas novas formas de comprar e vender devem se consolidar.

Com isso, algumas tendências devem se espalhar por esse segmento em 2022. Elas apontam o caminho que o e-commerce deve tomar no Brasil — e dificilmente deve haver retorno ao que era antes. Acompanhe, a seguir, quatro delas, em um texto publicado pela Exame com assinatura de Raphael Ferreira, diretor de Tecnologia na Haytek Lentes, e-commerce de lentes oftálmicas que foi duas vezes considerado uma das empresas que mais crescem nas Américas pelo Financial Times, em 2020 e 2021.

1 – Entregas rápidas

Desde o início das atividades do e-commerce no país, a logística passou por muitos aprimoramentos. No início, o sistema de distribuição tinha muitas falhas e as lojas virtuais eram muito criticadas por isso. Em datas comerciais, por exemplo, a demora na entrega tinha de ser aceita como parte do processo.

Atualmente, muitas lojas, especialmente as grandes varejistas, fazem entregas em poucos dias. Há até entregas em algumas horas. Em 2022, isso deve se intensificar.

Logística do e-commerce já está bastante eficiente (Imagem: Reprodução/Pexels/Tima Miroshnichenko)

2 – Omnichannel

Quando a entrega ultrarrápida não for possível, os sites podem oferecer a opção de retirada da compra em uma loja física. Esse é um exemplo de omnichannel, que integra online e offline, e está cada vez mais na expectativa dos clientes.

Os pagamentos também passam por transformação. Mesmo em compras presenciais, o consumidor pode pagar pelo sistema de pagamento instantâneo (Pix) ou a partir de um QR Code, em vez dos tradicionais cartões de crédito e débito.

3 – Chatbot

Os chatbots são tendência há algum tempo e ajudam a oferecer soluções rápidas para as dúvidas dos consumidores. Sua disponibilidade ininterrupta ajuda a reduzir o tráfego para a equipe de atendimento e a poupa de desgaste enquanto cria uma experiência mais agradável para o cliente.

4 – Compras antecipadas

Em 2021, um levantamento do Cuponomia apontou 65,3% dos consumidores aproveitaram a Black Friday para fazer as compras de Natal. As empresas precisam considerar isso ao criar a estratégia de vendas para potencializá-las ao máximo.

Fonte: Exame

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.