Os 10 principais golpes de NFT e como se proteger deles

Os 10 principais golpes de NFT e como se proteger deles

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 27 de Abril de 2022 às 21h00
pikisuperstar/freepik

A popularidade de mercado de NFTs só aumenta nos últimos meses, e como qualquer coisa que se torna conhecida no ambiente digital, criminosos começam a elaborar métodos de utilizar o tópico para aplicar golpes diversos, visando obter dinheiro fácil através dos entusiastas desses ativos digitais.

O fato desse mercado também ser tão novo ajuda os golpistas a enganarem pessoas, já que fontes confiáveis e extensivas de informações ainda são um tanto difíceis de serem encontradas, tornando o processo de entrar no setor, comprar uma NFT e começar a investir nesses ativos uma situação cheia de riscos, que em caso do usuário não tomar o cuidado necessário pode gerar verdadeiras dores de cabeça.

Sabendo desse contexto, a ESET compartilhou com o Canaltech uma listas dos mais comuns de NFT e como os usuários podem se proteger deles. Confira a seguir:

Os principais golpes de NFT

Golpes por meio de mensagens diretas no Discord

A ESET afirma que o Discord é muito atraente para os cibercriminosos e existem diferentes tipos de golpes que podem ser aplicados pela plataforma, com a firma de segurança citando o exemplo do comprometimento do canal no aplicativo do Fractal, um mercado de jogos NFT, que resultou no roubo de aproximadamente US$ 150.000 em criptomoeda Solana de carteiras de usuários.

Em outros tipos de golpes no Discord, os fraudadores podem se passar por amigos dos usuários ou marcas conhecidas do mercado NFT para enviar mensagens diretas pedindo ao alvo algum tipo de transação ou dado pessoal que pode comprometer seus ativos.

Para evitar ser vítimas desses golpes, a recomendação é nunca clicar em links suspeitos ou vindos de contas desconhecidas — e caso venha de um usuário reconhecido, é importante procurar outro canal de confirmação para verificar a veracidade do contato.

Perfis falsos nas redes sociais

Tanto no Twitter quanto em outras redes sociais, os usuários devem aprender a conviver com perfis falsos que tentam aplicar golpes de diferentes setores. Para se proteger desses problemas, é sempre importante estar atento as postagens da conta e também aos identificadores, que muitas vezes podem utilizar uma letra semelhante (l minúsculo com I maiúsculo, por exemplo) para tentar se passar por um veículo oficialmente associado a uma marca.

Phishing

Exemplo de site de phishing de NFT, tentando se passar por um famoso mercado de tokens não fungíveis. (Imagem: Divulgação/ESET)

É muito comum que criminosos criem sites falsos que são cópias muito semelhantes de lojas NFT, carteiras digitais, etc para tentar obter dados sensíveis de alvos, em mais uma aplicação do famoso golpe de phishing. Para se proteger dessas ameaças, a ESET recomenda que usuários sempre revisem cuidadosamente links recebidos antes de clicar neles, além de evitar ao máximo compartilhar informações pessoais e de acesso a carteiras de NFT com terceiros.

Imitadores de artistas ou criadores

É importante sempre procurar formas de obter NFTs originais dos próprios autores das artes. (Imagem: Reprodução/Consequence of Sound)

Quer comprar NFTs direto dos artistas responsáveis pela arte? A recomendação é sempre procurar os perfis oficiais dos autores nas redes sociais em vez de recorrer a serviços de revenda, já que com as pessoas que fizeram a imagem você terá certeza que estará comprando a obra original, e não uma cópia feita sem autorização ou mesmo que já pertence a outra pessoa.

Esquemas Pump & Dump

Pump & Dump é um modelo de golpe em que uma pessoa ou grupo de pessoas compra uma grande quantidade de NFT (e que também ocorrem com um token ou criptomoeda) para gerar um aumento na demanda e assim aumentar seu valor.

Estes golpes atraem usuários ingênuos que acreditam que o preço aumentará e que sentem que encontraram uma grande oportunidade. No entanto, uma vez que o valor do NFT ou outro ativo aumenta, os golpistas descartam todos os seus ativos e obtêm um lucro significativo com eles, deixando as vítimas com NFTs inúteis e perdas maciças. Para detectar esse tipo de transação, a ESET recomenda revisar o histórico de transações, pois se for um projeto genuíno, o leque de compradores também deve ser.

Golpes rug pull

Esse tipo de fraude ocorre quando os responsáveis por um projeto o abandonam e ficam com o dinheiro dos investidores. Quando o valor do token e o número de investidores atingem um certo ponto, os fraudadores esvaziam os pools de liquidez de uma corretora descentralizada (DEX, na sigla em inglês) fazendo com que o valor do criptoativo despenque e deixando os donos desses ativos sem poder vendê-los.

Esses golpes estão geralmente disfarçados de desculpas de bugs nos softwares controladores e que podem levar um bom tempo para serem corrigidos — fique atento.

Golpe de leilão

Um dos golpes mais populares é o lance falso em tokens não fungíveis. Nessas situações, alguém leiloa um NFT a um preço base para os usuários darem lances nele, mas o golpista, sem o conhecimento do vendedor, troca a criptomoeda com a qual faz a compra por uma de menor valor.

A recomendação da ESET para evitar cair nesse tipo de golpe é verificar a criptomoeda utilizada e não aceitar um valor menor ou comprar por um valor maior do que o NFT supostamente contido.

Falso “mints” de criptomoedas

Esse tipo de golpe ocorre quando golpistas enviam NFTs para influenciadores, fazendo parecer que são eles que cunham os NFTs. Eles fazem isso sabendo que muitos compradores monitoram as carteiras em busca de tendências para tentar antecipar o interesse em massa — só que como se trata de uma movimentação artificial, acaba que pessoas caem em manipulações do mercado fraudulentas e perdem dinheiro no processo.

Em geral, isso pode ser evitado de forma simples, bastando os entusiastas de NFT não acreditarem em qualquer tendência, sempre ficando de olho em possíveis alterações e alertas, além de comentários de outros investidores, antes de entrar de cabeça nessas situações.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.