Intel pode lançar chip com desempenho dedicado à mineração de criptomoedas

Intel pode lançar chip com desempenho dedicado à mineração de criptomoedas

Por Dácio Castelo Branco | Editado por Claudio Yuge | 19 de Janeiro de 2022 às 20h20
JiahuiH/Flickr

A mineração de criptomoedas, embora algo lucrativo para os entusiastas do mercado, vem sendo um grande problema para os jogadores de videogame que utilizam o PC como principal plataforma. Mas este problema pode estar próximo de sofrer modificações, já que a Intel pode estar preparando o lançamento de hardware específicos para mineração de ativos digitais.

Até o momento, não existe nenhum anúncio oficial da Intel sobre equipamentos de computador focados em mineração. Porém, o site Tom’s Hard observou que no cronograma da empresa para a maior feira de circuitos do mundo, a International Solid-State Circuits Conference (ISSCC) de 2022, existe um espaço dedicado para a apresentação de um novo hardware chamado Bonanza Mine.

Na descrição da apresentação, o Bonanza Mine é definido como “um processador de ultra baixa voltagem e com alta eficiência de energia para mineração de Bitcoin”. Além disso, a sigla ASIC também está presente na definição, indicando que se trata de um equipamento desenvolvido para cumprir um objetivo em específico.

A apresentação da Intel que pode revelar o novo hardware. (Imagem: Reprodução/ISSCC)

A ISSCC 2022 ocorre de 20 a 24 de fevereiro. Até lá, só podemos especular sobre a novidade da Intel, que, de certa forma, já era esperada desde 2021. Ano passado, a empresa deu entrada em uma patente de um sistema de processamento de computador utilizando o hash criptográfico SHA-256, usado em várias criptomoedas, como o Bitcoin, para verificação de transações — o que, provavelmente, veremos no Bonanza Mine.

Novidade da Intel pode ter impacto para jogadores de PC

O mercado de GPUs pode ter menos demanda com a novidade da Intel. (Imagem: Reprodução/Nana Dua/Unsplash)

O (ainda não confirmado) anúncio de hardware focado para mineração de criptomoedas pode ser o primeiro passo para o fim da atual crise de placa de vídeos que ocorre no planeta.

Atualmente, mineradores de criptomoeda, para conseguirem um bom desempenho na tarefa, sempre buscam utilizar as GPUs mais potentes do mercado. Porém, as fabricantes não produzem peças o suficiente para corresponder a demanda do público gamer junto dos entusiastas de ativos digitais, o que faz com as placas de vídeo esgotem rapidamente.

Junte a isso uma crise de fornecimento de chips que está ocorrendo desde 2020, e intensificada pelas dificuldades da pandemia da covid-19, e temos um cenário onde GPUs estão se tornando itens difíceis de serem encontrados — e, quando são, podem estar em preços extremamente altos.

A existência de hardwares focados para mineração, e também, ao que tudo indica, mais baratos do que GPUs, poderá remover demanda dos entusiastas de criptomoedas dos lançamentos de placa de vídeo, deixando os produtos mais fáceis de serem encontrando e com preços menores.

É importante frisar que, mesmo com esse novo hardware, pode ser que o poder das placas de vídeo ainda seja atraente para a mineração de criptomoedas, e a demanda continua a mesma. Mas tudo isso é especulação, e só saberemos o impacto real quando a peça chegar no mercado.

Fonte: Tom's Hardware

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.