Vazamento revela informações sobre GPUs do PS5 e do Xbox Series X

Por Rafael Rodrigues da Silva | 30 de Dezembro de 2019 às 21h30
Microsoft

Ainda que tanto Sony quanto Microsoft já tenham confirmado que lançarão a próxima geração de seus consoles em 2020, pouco se sabe ainda sobre eles - principalmente no que podemos esperar no quesito técnico do hardware. Mas um recente vazamento pode ter dados as primeiras pistas sobre a capacidade de ambos os consoles.

De acordo com o site Eurogamer, foi encontrado no GitHub um teste fragmentado de APU de um processador Ryzen que, de acordo com rumores, suspeita-se que seja o componente que será usado no PlayStation 5. E, dentro do mesmo banco de dados, é possível também ver os resultados de benchmark tirados do programa 3DMark, que dá detalhes sobre a GPU que deverá fazer parte do Xbox Series X, o próximo console da Microsoft.

O conteúdo do GitHub não revela nenhuma informação sobre a CPU em si, mas confirma que o componente utilizará 36 compute units (unidades de processamento que efetuam as tarefas dentro de uma placa de vídeo) com uma velocidade de 2 GHz. Se esse valor for mesmo real, ele indica que o PS5 terá uma GPU de 9,2 teraflops - o que é um valor muito maior do que o do PlayStation 4 padrão (1,8 teraflops) e do que o PlayStation 4 Pro (4,2 teraflops).

Suposto protótipo do PlayStation 5

O vazamento também sugere que o PS5 irá utilizar memórias do tipo GDDR6 (as mesmas utilizadas pelas placas de vídeo Navi série RX 5700 para computadores). A largura de barramento é de 448 GB/s, mas alguns dos resultados indicam que ela pode atingir até 512 GB/s. Isso pode ser um indicador de uma GDDR6 de 14gbps, que poderá ser atualizada para uma de 16 gbps utilizando a mesma interface de 256 bits, ou ainda o caso de uma performance melhorada através do uso de cache.

Ainda que essa informação não tenha sido confirmada como sendo mesmo de um componente que será usado no PS5, o editor de tecnologia da Eurogamer, Richard Leadbetter, resolveu fazer uma “engenharia reversa” baseada em uma série de informações divulgadas pela AMD, referentes especificamente ao PS5. De acordo com essas informações, o novo console da Sony deverá utilizar uma GPU “mutável”, que poderá ser configurada em três modos distintos, desenvolvido para o funcionamento da tão esperada retrocompatibilidade com consoles anteriores da empresa.

Desses três modos, uma GPU com clock de 2 GHz é descrito como usado para o modo “nativo” ou “Gen 2”, que seria a performance “total” do aparelho. Também foi revelado a existência dos modos “Gen1” e “Gen0”, e o primeiro deles funcionará com 36 compute units rodando com um clock de 911 MHz, largura de barramento de 218 GB/s e memória de 64 ROPS - que são as especificações de funcionamento exatas do PS4 Pro. Isso significa que as informações encontradas no GitHub não apenas condizem com o que se espera ser a “performance máxima” do PS5, como ainda possibilita que os rumores sobre retrocompatibilidade do console sejam verdadeiros.

Infelizmente, as informações referentes ao Xbox One Series X são ainda mais escassas, e revelam apenas que a GPU utilizada pelo console deverá ter um total de 3.584 shaders. Mas, de acordo com Leadbetter, levando em conta o histórico de outros produtos da AMD, esse valor deve significar que o processador gráfico do novo console da Microsoft deverá ter cerca de 56 compute units com uma velocidade entre 1680 MHz e 1700 MHz cada, o que faria com que o Xbox Series X operasse com cerca de 12 teraflops.

Xbox Series X (Imagem: divulgação/Microsoft)

Olhando todas essas informações em contexto, é possível chegar a uma conclusão de que, ao contrário de ficarem brigando pelo mesmo espaço, Sony e Microsoft chegarão na próxima geração de consoles com uma abordagem bem diferente: enquanto o PS5 parece estar visando um equilíbrio entre preço de custo e performance (o que é a estratégia padrão de um console de videogame), a Microsoft parece não estar se preocupando tanto com o preço, já que, pelas informações obtidas, o Xbox Series X deverá definitivamente ser o mais caro de ambos os consoles.

Mas isso tudo faz parte da estratégia da empresa, que parece querer aproximar sua divisão de videogames do modelo usado hoje pelo mercado de smartphones: além do já confirmado “Series X”, há rumores de que a empresa também esteja trabalhando em um “Xbox Series S”, que seria um sucessor do Xbox One S - ou seja, uma versão menos potente e mais barata. Assim, a empresa estaria visando um modelo de negócios parecido com o dos smartphones, oferecendo diferentes produtos que se adequariam às condições financeiras de seus clientes.

Até o momento, a única confirmação de hardware dos consoles é de que ambos deverão usar SSDs da Samsung, o que foi revelado em novembro pela própria empresa coreana. Tanto o novo (ou novos) Xbox e PlayStation deverão ser apresentados ao público com mais detalhes durante a E3 de 2020, e ambos os videogames já tem lançamento confirmado para o final do mesmo ano.

Fonte: ONMSFT

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.