Aplicativos podem ser bons aliados para cuidar de idosos durante a pandemia

Por Nathan Vieira | 24 de Novembro de 2020 às 18h40
Andrea Piacquadio/Pexels

A pandemia mudou radicalmente a vida de todos, mas os idosos são um público particularmente afetado de maneira mais intensa, uma vez que integram um grupo de risco. Com o isolamento social, quem mora longe tem uma tarefa difícil nas mãos, que é zelar pela segurança do idoso — mas felizmente a tecnologia pode ser uma aliada nessa missão.

Acontece que, com esse objetivo em mente, alguns aplicativos e dispositivos podem ajudar a monitorar a saúde deles e te avisar caso haja alguma emergência. É o caso, por exemplo, do Cérebro Ativo, um aplicativo de jogos que será utilizado para monitorar a saúde dos usuários em isolamento social. Ele integra um projeto selecionado em um edital cuja proposta é apoiar o desenvolvimento de produtos, serviços ou processos criados por startups e pequenas empresas de base tecnológica no estado de São Paulo, voltados à luta contra a COVID-19.

Fábio Ota, CEO da ISGAME (International School of Game), empresa por trás do aplicativo em questão, conta que tudo começou em 2014, onde começaram a ensinar o desenvolvimento de games para jovens. "Pesquisando, verifiquei que existem vários estudos científicos que indicam que atividades de estimulação cognitiva beneficiam e podem retardar a evolução da Doença de Alzheimer. Juntei tudo e comecei a pensar em uma metodologia voltada para ensino de desenvolvimento de games para idosos, principalmente para permitir que exercitem o cérebro com uma atividade intelectual divertida e que tem um forte efeito positivo para a saúde mental", relembra o executivo.

Na prática, o objetivo do app com esse edital é funcionar por meio de uma pulseira ou de um relógio conectados ao aplicativo e registrar os batimentos cardíacos e o número de passos dados em casa pelo usuário, ou mesmo outras informações. Assim, o app gera um relatório com base nesses dados coletados, com a intenção de avisar um familiar ou uma equipe médica. A ideia é que o perfil de cada usuário seja analisado por inteligência artificial para monitorar alterações de comportamento. Outra ideia do projeto é que o usuário responda perguntas e faça uma autoavaliação de sua saúde.

(Imagem: Divulgação/ISGAME)

Questionado sobre a importância de estimular aspectos cognitivos, físicos e sociais do público idoso, Fábio aponta: "Desde que a Organização Mundial de Saúde declarou a pandemia da COVID-19, governos têm trabalhado para estabelecer medidas que reduzam seus efeitos devastadores; dentre essas, isolamento social e quarentena. No entanto, deve-se considerar os impactos em saúde mental e física que tais medidas podem ter sobre a comunidade, principalmente em idosos, população de risco amplamente afetada pela doença".

A ISGAME desenvolveu o Aplicativo mobile Cérebro Ativo com ênfase no público idoso e abrange treinamento de habilidades cognitivas, físicas e sociais. Dito isso, Fábio conta que os objetivos principais são utilizar os games do aplicativo como apoio a pessoas em confinamento e isolamento social e promover a integração de dispositivos vestíveis para a captura de variáveis relacionadas à saúde, além de oferecer questionários de avaliação da saúde mental e bem-estar dos usuários.

Sobre o processo de participação do edital lançado pelo Pipe-Fapesp, o CEO conta que a ISGAME já tinha sido aprovada nas fases 1 e 2 do processo. Quando a FAPESP lançou o Edital PIPE Fase 3/FINEP COVID-19 para produtos e serviços para ajudar no combate à doença, a empresa reuniu toda a equipe de Saúde e Tecnologia para adiantar o que estava previsto em seu roadmap para iniciar em 2021, que é a parte de monitoramento da saúde através de wearables integrados com o aplicativo Cérebro Ativo.

"A aplicação não se restringe a idosos em confinamento. Pretendemos fazer com que as pessoas criem o hábito de cuidar melhor da saúde", aponta o CEO. O aplicativo vai gerar um histórico da saúde do jogador, integrado com informações recebidas da sua árvore genealógica. "Estas informações são de extrema importância para um diagnóstico médico, por exemplo. O Aplicativo não dá qualquer diagnóstico, apenas colhe as informações para serem encaminhadas a um médico. Isso tudo se for do interesse do idoso. Ele tem autonomia para decidir".

Atualmente, eles estão iniciando a fase de pesquisa e testes com os wearables e a integração com o aplicativo, e a expectativa é que ainda este ano já comecem a testar a utilização com os adultos com mais de 60 anos. "O impacto social é extremamente importante na medida em que se terá informações mais precisas para ajudar em um envelhecimento com mais qualidade de vida", conclui o CEO.

Jogo dentro do Cérebro Ativo estimula as habilidades cognitivas dos idosos (Imagem: Divulgação/ISGAME)

Outras formas de cuidar dos idosos

Além do Cérebro Ativo, outros aplicativos também podem te ajudar a manter a segurança do idoso, como o Safe365, um app que permite localizar os idosos em tempo real, configurar suas rotinas diárias, promover hábitos saudáveis, etc, descrevendo a si mesmo como um assistente pessoal para o cuidado de idosos. Funciona assim: você baixa o aplicativo gratuitamente, adiciona seus pais e avós como contatos, para que você saiba o tempo todo se eles estão bem, recebe um link para baixar o aplicativo no seu celular, e seus parentes mais velhos devem concordar em compartilhar suas atividades. Sem o seu consentimento, o Safe365 não permitirá que você interaja com seus amigos ou parentes idosos.

Uma vez instalado, o app fornece localizador GPS, em que permite que você saiba a localização de seus parentes mais velhos em tempo real (desde que eles tenham consentido em compartilhar sua localização com você e que já tenham instalado o Safe365 no celular) e ainda gera notificações quando seus parentes mais velhos entrarem ou saírem de algum lugar.

Você pode salvar até 3 locais principais de seus pais e avós, como casa, escola, trabalho, bairro e outras áreas personalizáveis. Como você compartilha um local em tempo real, o Safe365 envia notificações de segurança toda vez que a pessoa em questão entra ou sai de um dos locais padrão. O app ainda permite configurar suas rotinas diárias, como tomar medicamentos, consultas médicas e atividade física. O Safe365 também tem botão de emergência para receber alertas quando seus pais ou avós precisarem de ajuda. Quando você pressiona, coloca você em contato com os serviços de emergência e envia a localização exata.

Há também dispositivos, como o HelpCare, um botão de emergência pessoal destinado a Idosos, pessoas que necessitam de cuidados especiais, pessoas que vivem ou moram sozinhas, pessoas com dificuldade de locomoção, pacientes com Alzheimer, crianças e gestantes. Funciona assim: apenas com um único toque, o usuário solicita auxílio em caso de urgência e ou emergência, e em seguida os especialistas atendem a chamada de emergência pelo potente viva voz do aparelho. Se não responder, o dispositivo comunica os familiares ou responsáveis e acompanha o atendimento até chegar ajuda.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.