YouTuber revela como é o roteiro original não utilizado em A Ascensão Skywalker

Por Rafael Rodrigues da Silva | 16 de Janeiro de 2020 às 08h00

Na última terça-feira (14) uma postagem no Reddit colocou o universo dos fãs de Star Wars de ponta cabeça, ao revelar para o mundo o que deveria ter sido o roteiro original do episódio 9 da saga - A Ascensão Skywalker. Escrito por Colin Trevorrow (roteirista conhecido por ter trabalhado em todos os títulos da franquia Jurassic World), ele pediu demissão do cargo quando Kathleen Kennedy anunciou a contratação de Jack Thorne (conhecido pelas séries de TV Skins e Shameless) para reescrever a história.

Normalmente, esse tipo de “vazamento” no Reddit não tem muito peso em termos de veracidade. No entanto, não é o que ocorreu desta vez, já que o responsável por ele foi Robert Meyer Burnett, um YouTuber que atua há anos na indústria do cinema como produtor de filmes e DVDs e que possui muitas conexões em todos os grandes estúdios de Hollywood. Então, mesmo que o próprio Trevorrow se recuse a confirmar que o roteiro vazado seja mesmo o dele, ele também não nega a informação (como já fez em outros casos de “vazamento” no Reddit), o que deixa claro que, dessa vez, as informações divulgadas são mesmo reais.

ATENÇÃO: o texto contém spoilers de Star Wars: A Ascensão Skywalker, então se você ainda não viu o filme continue por sua conta e risco.

A primeira mudança importante no roteiro de Trevorrow está no próprio nome do filme: ao invés de A Ascensão Skywalker, o nono episódio da franquia se chamaria Duel of the Fates (Duelo dos Destinos, em tradução livre), uma alusão direta à música que John Williams compôs para a luta final de A Ameaça Fantasma em que Obi-Wan Kenobi e Qui-Gon Jinn enfrentam Darth Maul.

Além do título, a história em si também seria bem diferente. A principal diferença seria o não-retorno de Palpatine, que até seria citado durante o filme como uma das grandes lideranças Sith, mas continuaria morto e não apareceria ao longo da trama. Então, ao invés de uma frota de cruzadores imperiais armados com canhões da Estrela da Morte, o grande inimigo seria a própria Primeira Ordem, que cortou a comunicação de toda a galáxia para evitar que a Resistência utilizasse o sacrifício de Luke Skywalker em Os Últimos Jedi para inflamar o resto da galáxia em uma guerra aberta contra os seguidores de Kylo Ren.

O grande objetivo dos rebeldes nesta trama seria restaurar o sistema de comunicação para que a mensagem da Resistência fosse enviada para todos os planetas da galáxia. Ao mesmo tempo, Kylo Ren ainda era uma ameaça para a existência do grupo rebelde, e de nada adiantaria restaurar a comunicação se o guerreiro Sith ainda estivesse à solta.

Assim, nessa versão do roteiro, a história é separada em dois núcleos: o primeiro é composto por Finn, Rose Tico e BB8, que tem a missão de restaurar a comunicação entre os planetas; já o segundo é formado por Rey e Poe, que tem a missão de encontrar Kylo Ren e tentar trazê-lo de volta para o lado correto da Força, já que Rey ainda acredita que existe algo bom dentro de Kylo e que ele não foi totalmente corrompido pelo Lado Negro. Essas duas histórias já seriam deixados claras no “crawl” (aquele texto do começo do filme e que é uma marca registrada de Star Wars), que também seria bem diferente daquele que foi para os cinemas, falando sobre a ressurreição de Palpatine.

Neste roteiro, Rose e Finn seriam os protagonistas de uma história ligada ao fato da Resistência ser composta por pessoas descontentes com a Primeira Ordem e que se insurgiram contra ela. Ela começaria com Finn, Rose e BB8 em uma missão para roubar um Cruzador Imperial, repleto de armas e veículos, e que poderia ser usado pelos sobreviventes da Resistência, Durante essa missão, o capacete de um dos stormtroopers que a dupla mata acaba caindo e Finn o reconhece como alguém que treinou ao seu lado, reacendendo a dúvida que ele tinha sobre matar os soldados da Primeira Ordem. Finn e Rose são então capturados e levados para um campo de prisioneiros de guerra, onde Rose é torturada e interrogada por Hux, que quer saber detalhes sobre onde os sobreviventes da Resistência se escondem.

Finn consegue escapar da prisão e, durante a fuga, acaba conhecendo outros stormtroopers que, assim como ele, também não concordam com as ordens que são obrigados a executar. Finn então recruta o seu próprio pelotão de stormtroopers desertores, se tornando o líder de uma espécie de revolta civil em Coruscant, e liderando essa revolta para atacar as tropas da Primeira Ordem e resgatar Rose. Durante a revolta, Poe Dameron aparece com os sobreviventes da Resistência para ajudar, criando assim um ataque em duas frentes que os comandantes da Primeira Ordem não conseguem conter. Com isso, que Finn resgata Rose e os dois reestabelecem a comunicação com o restante da galáxia, incutindo a ideia de insurreição também nos outros planetas.

Já na história de Rey, enquanto ela viaja à procura de Kylo, o guerreiro Sith está vasculhando a galáxia à procura de um antigo Holocron Sith, que seria o “mapa” que o levaria aos segredos de um antigo Lorde Sith. Mas, ao invés de encontrar um Palpatine vivo, como aconteceu em A Ascensão Skywalker, esse holocron faz com que Kylo Ren fique frente a frente com seu maior ídolo: Darth Vader, que aparece na forma de um Sonho da Força (ou seja, ela não é exatamente real, mas para Kylo toda a interação que ocorre ali é).

Mas, assim como costuma acontecer quando você conhece seu ídolo, o encontro é frustrante para o rapaz, que descobre que, no fim de tudo, Vader largou os ensinamentos dos Sith e sacrificou sua vida para salvar Luke. Antes do confronto final entre Rey e Kylo, é revelado que o filho de Han Solo e Leia Organa foi quem matou os pais da garota, sendo o responsável por deixá-la órfã. Mesmo assim, Rey ainda tenta convencê-lo a deixar o Lado Negro e é ajudado pelos fantasmas de Luke, Obi Wan e Yoda. Mas Kylo se recusa a mudar de lado e acaba morrendo como o Sith que ele escolheu ser, e não como o Jedi que todos acreditavam que ele seria por causa de seu nome.

Após esses eventos, a cena final do filme mostraria Finn e Rose chegando com um grupo de crianças sensíveis à Força (entre eles o “garoto da vassoura” do fim de Os Últimos Jedi) ao encontro de Rey, que iria treiná-los e, a partir dessa nova geração, reconstruir a Ordem Jedi como os protetores da galáxia que sempre foram.

Caso esse roteiro fosse o usado para a produção do filme, não há como ter certeza de que o resultado final seria melhor ou pior do que o que vimos no cinema. Mas, como já falamos no texto sobre os principais erros e acertos de A Ascensão Skywalker, um dos maiores problemas do filme é a quebra de continuidade em relação ao anterior. E isso, ao menos, não existiria no roteiro de Trevorrow, já que há uma esforço por continuar o caminho narrativo do longa anterior, ao invés do esforço em anulá-lo, como vimos na versão que chegou aos cinemas.

Fonte: The Playlist

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.