George Lucas explica por que abriu mão de Star Wars ao vender a LucasArts

George Lucas explica por que abriu mão de Star Wars ao vender a LucasArts

Por Laísa Trojaike | 12 de Dezembro de 2020 às 17h00
LucasFilm

O que sabíamos, através das divulgações feitas na mídia, é que, em 2012, a Disney comprou a LucasArts, incluindo os direitos de Star Wars por US$ 4,05 bilhões. Porém, o que ninguém sabia é como George Lucas se sentiu ao ver sua criação ganhar nova vida e novos rumos sem o seu envolvimento e por que exatamente isso aconteceu. Em um livro ainda não publicado sobre a franquia, uma entrevista com Lucas revelou esses detalhes.

Um trecho do livro The Star Wars Archives Eps I-III 1999-2005 foi divulgado pelo autor Paul Duncan em seu perfil no Twitter. Na publicação, podemos ler parte de uma entrevista com Lucas:

No texto, Duncan pergunta por que o cineasta passou o controle da Lucasfilm para a Disney. Em resposta, Lucas explica que um dos fatores era o tempo livre que ele gostaria de ter em sua vida pessoal: "Na época, eu estava começando a próxima trilogia; conversei com os atores e estava começando a me preparar. Eu também estava prestes a ter uma filha com minha companheira. Demora 10 anos para fazer uma trilogia — Os episódios I a III foram de 1995 a 2005."

Segundo esse cálculo, a trilogia que ele estava prestes a iniciar em 2012 só teria sua conclusão em 2022. Nas mãos da Disney, o Episódio VII foi lançado em 2015, o Episódio VIII em 2017 e o Episódio IX em 2019. Na sequência, Lucas entrou em detalhes e explicou que, em 2012, ele já tinha 69 anos e que questionou se era isso que ele gostaria de fazer para o resto da sua vida, chegando à conclusão de que preferia deixar isso de lado para ficar com sua filha.

George Lucas e Jon Favreau no set da série The Mandalorian (Imagem: Reprodução/Jon Favreau)

O diretor ainda explicou porque a venda era a alternativa correta para ele, já que a Lucasfilm poderia ter alguém que o substituísse. Além de dizer que isso não seria uma aposentadoria de fato, ele explicou que tentou se manter afastado da produção de O Império Contra-Ataca e de O Retorno de Jedi, mas que não funcionou e precisou se fazer presente diariamente para que o projeto continuasse sendo desenvolvido.

"Então eu pensei em abrir mão disso, aproveitar o que eu tive e eu estava ansioso para criar minha filha. Além disso, eu queria construir um museu, o que eu sempre quis fazer, então eu estava pensando 'Se eu não fizer isso agora, nunca vou conseguir'.

Passei minha vida criando Star Wars — 40 anos — e desistir foi muito, muito doloroso. Mas foi a coisa certa a fazer. Achei que teria um pouco mais a dizer sobre os próximos três porque já os havia iniciado, mas eles decidiram que queriam fazer outra coisa".

Por fim, Lucas encerra com uma mensagem que pode ressoar entre os fãs: “As coisas nem sempre funcionam da maneira que você deseja. A vida é assim”.

Apesar do tom de tristeza pela venda da Lucasfilm, é interessante notar como a Disney conseguiu atualizar Star Wars para novos fãs que não necessariamente conhecem as trilogias anteriores. Para o futuro, a gigante do entretenimento confirmou no Disney Investor Day 2020 que planeja lançar uma quantidade absurda de novidades para a saga espacial.

Fonte: Gamespot

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.