10 filmes sobre viagem no tempo que você deve assistir

Por Laísa Trojaike | 30 de Julho de 2020 às 10h55
Montagem: Laísa Trojaike/Canaltech

Histórias sobre viagem no tempo estão no imaginário humano há muitos, muitos anos. As primeiras histórias, mitológicas, datam de séculos antes de Cristo e não é possível dizer quando foi a primeira vez que alguém pensou ou apenas imaginou se seria possível realizar uma viagem temporal. Na literatura, há muitas obras icônicas sobre o assunto, como A Máquina do Tempo, primeiro romance de H.G. Wells, e O Fim da Eternidade, de Isaac Asimov. No cinema, a situação fica um pouco mais complicada, já que é preciso contar em poucos minutos as complexidades do tema e ainda ter cuidado para não deixar pontas soltas.

A lista abaixo, com alguns dos principais e melhores títulos sobre o tema, é composta principalmente por ficções científicas, já que a viagem no tempo costuma acontecer pela exploração de teorias científicas reais. Outras formas de viagem no tempo podem acontecer com a ajuda da magia, como no caso do uso do Vira-Tempo em Harry Potter, ou pelo universo fantástico criado para a história, como vemos no Universo Cinematográfico Marvel.

Viajou no tempo, foi e voltou na lista, e não encontrou seu filme favorito? Então deixe a indicação nos comentários!

10. Looper: Assassinos do Futuro

Looper: Assassinos do Futuro é para quem gosta do tema, mas não está muito interessado em explorar a fundo as questões científicas envolvidas no assunto. Aqui, viagem temporal é um elemento da trama, mas o filme está mais conectado com o gênero ação: no futuro, quando a viagem no tempo é uma realidade, pessoas são enviadas ao passado para serem eliminadas. Esse é o trabalho fácil de Joe (Joseph Gordon-Levitt), que se vê envolvido em um conflito pessoal quando a pessoa que ele precisa matar é seu eu mais velho, interpretado por Bruce Willis.

Claro que o velho Joe sabe como age o jovem Joe, então ele consegue escapar e uma caçada é iniciada: o jovem Joe é perseguido por não fazer o seu trabalho e, enquanto foge, precisa também perseguir seu eu do futuro. A ação é ótima e a direção de Rian Johnson (Star Wars: Os Últimos Jedi e Entre Facas e Segredos) deixa o filme ainda mais empolgante. Para os mais adeptos da parte científica, o roteiro não é dos melhores, mas ainda assim, se for do seu interesse, o filme nos dá muitas questões filosóficas para reflexão.

9. O Homem do Futuro

Temos nosso próprio tempo!!! Temos nosso próprio tempo!!!

Em defesa do cinema nacional: temos ficção científica sim! E de qualidade. O Homem do Futuro está longe de ser um clássico do gênero, mas trata a viagem no tempo com criatividade e ainda nos dá o que pensar. Wagner Moura, como de costume, está excelente e ainda consegue entregar uma comédia caricata na medida certa ao interpretar as versões temporais de Zero, principalmente quando está incorporando seu eu mais jovem.

Cláudio Torres, que dirigiu também A Mulher Invisível, cria uma comédia romântica com referências à estética de filmes antigos de ficção científica e até mesmo filmes de terror como Carrie, A Estranha. A mistura funciona e o filme é cativante, fazendo refletir sobre as escolhas da nossa vida e sobre o que realmente importa: às vezes, um grande momento perde seu significado com o tempo e abrir mão de certas coisas no passado pode ser uma boa forma de consertar nosso futuro. Reflexões filosóficas, comédia, romance e viagem no tempo poderiam formar um suco bem indigesto, mas O Homem do Futuro entrega um resultado muito interessante justamente por não ser pretensioso.

8. Interestelar

Este é, provavelmente, a melhor indicação da lista para quem é fã de ciência de verdade. Interestelar não é a primeira vez que Christopher Nolan brinca com o tempo. Em Amnésia, ele rejeita qualquer possibilidade de narrativa linear e convida o espectador a entender a linha temporal da história. Em A Origem, os sonhos dentro de sonhos oferecem alterações da passagem do tempo. E, em Tenet, o diretor irá falar sobre o complexo conceito de “inversão temporal”.

Interestelar é tão científico que a produção recorreu a uma equipe de cientistas para a criação da imagem de um buraco negro rotativo, cuja atração gravitacional distorce o espaço-tempo em torno dele. Para criar uma imagem que se aproximasse da realidade, o físico Kip Thorne, especialista em relatividade geral, foi o responsável pela fidelidade científica do filme e chegou a escrever o livro The Science of Interstellar, em que explica todas as suas experiências nos bastidores da produção.

Embora a parte dramática não seja exatamente o forte dos irmãos Nolan, o lado científico é sensacional e bastante acessível para quem não é da área. As conexões temporais feitas são de tirar o fôlego e o final é surpreendente.

7. Exterminador do Futuro

Clássico dos clássicos, a franquia Exterminador do Futuro tem o tema viagem no tempo estampada no título (em português) e é outro filme que pende muito mais para ação que para ficção científica. Aqui a brincadeira com viagem no tempo é bem simples: alguém retorna ao passado para alterar algo no futuro. Como a trama se passa no presente (da época de lançamento do filme, ou seja, 1984), o sujeito que retorna ao passado é ao mesmo tempo alguém do futuro, mais precisamente do ano 2029 (estamos quase lá!).

Dirigido por James Cameron, Exterminador do Futuro é mais um grande blockbuster na filmografia do cineasta. Para melhorar, o androide do futuro é interpretado por Arnold Schwarzenegger, que nunca foi conhecido como um excelente ator, mas se mostrou perfeito para o papel. Também de Cameron, O Exterminador do Futuro 2: O Julgamento Final (1991) é ainda mais cultuado que o primeiro filme. Quer mais? Tem também O Exterminador do Futuro 3: A Rebelião das Máquinas (2003), de Jonathan Mostow; O Exterminador do Futuro: A Salvação (2009), de McG; O Exterminador do Futuro: Gênesis (2015), de Alan Taylor; e o recente O Exterminador do Futuro: Destino Sombrio (2019), de Tim Miller.

6. Primer

Eis a opção mais alternativa da lista. Em Primer, quatro amigos vão fundo em uma invenção científica e acabam acidentalmente criando uma máquina do tempo. Escrito e dirigido por Shane Carruth, que tem formação em matemática, Primer não é um filme fácil em termos de ciência e ainda se aprofunda em gêneros como drama e suspense.

O filme é conhecido pelo seu baixíssimo orçamento, US$ 7 mil, o que é um valor quase inacreditável quando se trata de sci-fi e significa que muita criatividade foi usada para a realização de Primer. Isso, somado à repercussão do filme, que chegou a ganhar o Grande Prêmio do Júri no Festival de Sundance em 2004, transformou Primer em um verdadeiro clássico cult.

5. 12 Macacos

Bruce Willis de novo! 12 Macacos é perfeito para o mundo que conheceu o que é viver em uma pandemia. E se pudéssemos voltar no tempo e evitar milhares de mortes? Na trama de 12 Macacos, James Cole (Willis), viaja ao passado para rastrear a origem de um vírus e evitar que este dizime a população do planeta no futuro.

Dirigido por Terry Gilliam, membro do Monty Python e diretor de títulos como Brazil: O Filme, 12 Macacos ainda tem outro grande ponto forte: uma das melhores atuações da carreira de Brad Pitt como um dos internos de um hospital psiquiátrico. 12 Macacos permaneceu vivo por tanto tempo, sobretudo por sua qualidade, que acabou ganhando uma série, cujas quatro temporadas foram ao ar entre 2015 e 2018.

4. Meia-Noite em Paris

Sem ficção científica, o realismo fantástico de Meia-Noite em Paris é deslumbrante e até mesmo emocionante para fãs de arte. Imagine poder viajar tranquilamente, ir e voltar temporalmente, para as épocas em que viveram seus maiores ídolos.

Escrito e dirigido por Woody Allen, o filme traz personalidades famosíssimas do mundo das artes e ainda discute sobre o conhecimento contemporâneo divulgado sobre eles. Claro que muito das biografias e análises de obras de arte não são completamente fiéis aos fatos. Através dos personagens de Owen Wilson e Marion Cotillard, o filme ainda trata com sensibilidade o saudosismo, essa impressão de que o passado é melhor que o nosso presente.

3. Planeta dos Macacos

Antes da trilogia mais recente, existiu o Planeta dos Macacos de 1968, estrelado por um dos maiores nomes da história do cinema, Charlton Heston. A direção é de Franklin J. Schaffner, diretor de grandes títulos como Patton, Rebelde ou Herói? e Papillon. Fica mais clássico que isso? Fica. A maquiagem era tão incrível para a época, que o filme levou o Oscar da categoria e, embora hoje pareça datada, ainda é possível reconhecer com facilidade a qualidade do trabalho.

Planeta dos Macacos é baseado no livro do escritor francês Pierre Boulle e o roteiro adaptado foi escrito por Michael Wilson junto a Rod Serling, o mais icônico host de Além da Imaginação. Em que ponto a viagem do tempo entra na trama de Planeta dos Macacos? Você vai precisar assistir para descobrir.

2. A Chegada

Esqueça a viagem no tempo tradicional, porque, apesar de A Chegada ser uma ficção científica (afinal, a Terra é invadida por naves alienígenas colossais), a questão temporal não vem da física, mas da linguística. Esse detalhe da trama é inspirado na hipótese de Sapir-Whorf, segundo a qual cognição e língua são inseparáveis.

Dirigido por Denis Villeneuve e estrelado pela maravilhosa Amy Adams, A Chegada é um filme profundamente sensível e, mesmo sendo bastante complexo, é acessível, já que não há pretensão de ser absurdamente científico. Como Villeneuve é um dos maiores cineastas da atualidade, não espere pouca coisa: são muitos os subtextos e possibilidades de refletir sobre o que o filme nos propõe, além de ser um trabalho técnico para não colocarmos defeitos (mas se você encontrar algum, nos avise).

1. Trilogia De Volta para o Futuro

Não dá para recomendar apenas um De Volta para o Futuro, já que, se você resolver maratonar os três, perceberá que, na verdade, é um grande filme em três partes. Efeitos, elenco, personagens, aventura, comédia, direção e o que mais você imaginar formaram um conjunto que torna uma ficção-científica, pouco científica de fato, em um dos maiores clássicos da cultura pop de todos os tempos (vide a humanidade tentando criar o skate voador, o Nike autoajustável e outras coisas que filme previu para 2015).

De Volta para o Futuro marcou e continua marcando gerações, divertindo toda a família com algo complexo como viagem no tempo. O filme tem produção de Steven Spielberg e direção de Robert Zemeckis, além de além da inesquecível dupla formada por Michael J. Fox como Marty McFly e Christopher Lloyd como Dr. Emmett Brown. No primeiro filme, McFly volta 30 anos e conhece as versões adolescentes dos seus pais, no segundo, ele precisa voltar novamente a 1955, para evitar os eventos que se desenvolveram e mudaram completamente o seu presente em 1985. No terceiro filme, eles vão ainda mais longe e a ficção científica encontra o faroeste quando os personagens se veem presos em 1885.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.