Robô Curiosity, em Marte, está ajudando cientistas a estudar o Sol

Por Redação | 13 de Julho de 2015 às 09h45
photo_camera Washington Times

Há quase três anos em terreno marciano, a sonda Curiosity continua seu caminho ao principal objetivo de sua missão: alcançar o Monte Sharp. Enquanto isso, o jipe-robô da agência espacial norte-americana, a NASA, tem coletado diversas amostras do solo e da atmosfera do nosso planeta vizinho. Mas os estudos também têm ajudado os cientistas aqui na Terra a entender melhor o Sol, principal estrela do sistema solar.

A ideia é que os pesquisadores consigam visualizar como é o astro do ponto de vista da Curiosity, que tem um campo de visualização privilegiado e consegue enxergar o lado do Sol que está mais distante da Terra. Com as imagens captadas pela Mastcam, uma super-câmera acoplada ao jipe, os cientistas terrestres conseguirão analisar de forma mais precisa mudanças nas manchas solares e as emissões do Sol.

De acordo com a NASA, a parte mais distante da estrela uma hora acaba sendo observada aqui da Terra, mas ter a possibilidade de enxergá-la antecipadamente pode ajudar a melhorar previsões sobre o clima espacial, além de elaborar relatórios mais precisos de quando e como tempestades solares vão acontecer. Em um dos exemplos citados pela agência, a Curiosity conseguiu observar lá de Marte algumas manchas solares com três dias de antecedência de outras sondas em operação na órbita terrestre.

Um desses equipamentos é a espaçonave não-tripulada STEREO-A, que estuda os processos do Sol que afetam a vida terrestre. Neste momento, a sonda se localiza no lado mais distante do Sol e, por conta disso, não possui comunicação com a Terra. A Curiosity também ficou incomunicável quando a órbita marciana estava mais longe do Sol, mas desde o final de junho restabeleceu contato. Desde então, o robô tem preenchido a lacuna e ajudado os cientistas a estudar alguns processos causados pela estrela e que podem afetar a vida na Terra.

Robô Curiosity

Animação mostra como a Curiosity enxerga o Sol a partir de Marte. (Foto: NASA)

Como dito anteriormente, a principal missão da Curiosity é chegar ao Monte Sharp, mas também está no cronograma da agência verificar como o Sol parece brilhante através da atmosfera empoeirada de Marte. Em maio, a NASA divulgou imagens de como é o por do sol no planeta e é bem diferente daquela paisagem vermelha e árida mostrado em inúmeros filmes, séries e jogos de ficção científica.

A Curiosity pousou no planeta vermelho em agosto de 2012 com o objetivo de chegar a uma área conhecida como Yellowknife Bay, onde está localizada a Cratera Gale. A partir daí o robô fez diversas descobertas que intensificam a teoria de que Marte já abrigou vida, incluindo um antigo leito de curso de água. O robô agora está na última fase de sua missão rumo ao Monte Sharp, uma região com 5.500 metros de altura localizada no centro da Cratera Gale. É lá que o veículo deve encontrar mais evidências de como o planeta marciano foi capaz de abrigar vida em seu passado.

Fonte: NASA

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.