Múmia incrivelmente preservada de escravo da Pompeia é encontrada em tumba

Múmia incrivelmente preservada de escravo da Pompeia é encontrada em tumba

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 18 de Agosto de 2021 às 15h44
Andy Holmes/Unsplash

No sítio arqueológico de Pompeia, na Itália, durante escavações em uma tumba, arqueólogos encontraram o esqueleto de um homem parcialmente mumificado. O corpo ainda conta com tufos de cabelo branco, parte de uma orelha, ossos e fragmentos de tecido. 

A descoberta aconteceu na necrópole de Porta Sarno, tornando-se um dos esqueletos mais bem preservados já encontrados no que foi a cidade de Pompeia. Os cientistas dizem ainda que o material se trata de uma raridade, uma vez que grande parte dos adultos eram queimados na época, com exceção das crianças, que eram enterradas. 

De acordo com as inscrições presentes na tumba, a múmia é de Marcus Venerius Secundio, que morreu aos 60 anos de idade. O homem teria sido um escravo que, depois de liberto, se tornou um padre que conduzia rituais em latim e grego. Os restos mortais do homem estavam em uma tumba de alvenaria retangular, com vestígios mostrando que ela havia sido pintada com imagens de plantas verdes em um fundo azul.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Também estavam na tumba pedaços de tecido e duas garrafas de vidro chamadas de unguentários, que contavam com óleos e perfumes para os rituais. Os arqueólogos encontraram ainda duas urnas funerárias, sendo uma delas de vidro azul e pertencentes a uma mulher, com o nome registrado como Novia Amabilis, que significa "esposa gentil".

Com todas essas informações, os pesquisadores têm a primeira evidência direta de apresentações gregas acontecendo na cidade da Itália. Gabriel Zuchtriegel, diretor do sítio arqueológico de Pompeia, conta que "as performances em grego organizadas são uma evidência de um clima cultural ativo aberto que caracterizada a Pompeia antiga". O que não se sabe, ainda, é o motivo de o corpo não ter sido cremado e da mumificação parcial do corpo, o que será estudado pelos pesquisadores para tentar descobrir se foi algo intencional ou não. 

A pompeia chegou ao fim em 79 d.C. devido a uma erupção vulcânica no monte Vesúvio. Hoje, a cidade é um sítio arqueológico que ainda esconde muitos segredos sobre nossos antepassados.

Fonte: Live Science

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.