Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Homem é detido por carregar múmia centenária em uma mochila de delivery

Por| Editado por Luciana Zaramela | 28 de Fevereiro de 2023 às 19h15

Link copiado!

Sahar Saleem/Zahi Hawass
Sahar Saleem/Zahi Hawass

Policiais peruanos fizeram uma descoberta inusitada ao checar os pertences de um entregador que estava bêbado e causando tumulto em um sítio arqueológico de Puno, cidade no sul do país. Em sua mochila térmica, jazia uma múmia centenária, certamente a última das coisas que se pensaria encontrar durante uma revista de rotina.

Segundo o homem, a múmia seria de sua posse, e ele dividia o quarto com o indivíduo mumificado. O peruano completou dizendo que considera os restos mortais como "uma espécie de namorada espiritual". Ele estaria os carregando em sua mochila para mostrar aos amigos, conforme o que disse à polícia.

Continua após a publicidade

Origem da múmia

O sujeito apelidou a múmia de "Juanita" e mantinha em uma caixa dentro de seu quarto, próximo à televisão. Ela teria sido de seu pai, mas não se sabe como ela teria chegado à posse dele, por sua vez. Segundo especialistas, os restos mortais têm entre 600 e 800 anos, e pertenceram a um sujeito do sexo masculino, e não feminino. O homem que estava em posse da múmia não sabia disso.

O homem mumificado tinha cerca de 45 anos à época da morte, e media 1,51 metros de altura. Ele estava enfaixado em posição fetal, prática comum nos enterros pré-colombianos da região. No território do atual Peru, antes da chegada dos conquistadores hispânicos, a mumificação era um método comum de tratamento dos cadáveres, prática presente em diversas culturas antigas locais. Algumas delas eram enterradas, mas outras eram exibidas em desfiles em festivais anuais.

Após apreender a múmia, os policiais a entregaram ao Ministério da Cultura do Peru, responsável pela herança material do país. O homem e os dois amigos que o acompanhavam, que têm entre 23 e 26 anos, foram detidos e estão sendo investigados por possíveis crimes contra a herança cultural peruana.

Fonte: via BBC