Fóssil vivo! Peixe-jacaré raro e antigo é misteriosamente encontrado nos EUA

Fóssil vivo! Peixe-jacaré raro e antigo é misteriosamente encontrado nos EUA

Por Natalie Rosa | Editado por Luciana Zaramela | 15 de Outubro de 2021 às 18h10
Jason Goh/Pixabay

Em 20 de setembro, no rio Neosho, localizado no estado norte-americano do Kansas, um pescador foi surpreendido com um peixe bem diferente. Medindo cerca de 1,37 metro e pesando 18 quilos, a criatura tem a cabeça em um formato que mais parece de um jacaré.

Conhecido como gar alligator, ou peixe-jacaré, o animal é considerado pela biologia um fóssil vivo por ser um dos poucos seres que existem há milhões de anos. O primeiro registro fóssil do aparecimento do animal é de 100 milhões de anos atrás. Danny Lee Smith, o pescador que encontrou o peixe-jacaré, disse já ter encontrado outros do tipo, manchados e com nariz comprido ou curto, mas nunca um igual ao "novo" exemplar. "Quando ele saiu da água pela primeira vez eu fiquei chocado, atordoado. Já vi um gar pular, mas nada como esse fez. É algo único na vida", disse o pescador à imprensa local.

Imagem: Reprodução/Kansas Department of Wildlife & Parks

É comum, no Kansas, encontrar peixes-jacarés, mas não do tipo capturado por Smith. O animal possui o nariz mais largo e se parece com jacarés que vivem nos Estados Unidos. Essas raras criaturas podem ser avistadas no sudoeste de Ohio, no sul do Illinois e na bacia de drenagem do rio Mississippi, que se estende até o sul do Golfo do México, então não é natural da região onde foi encontrado.

Pesquisadores e biólogos da região não sabem dizer ainda como foi que o animal foi parar no Kansas, sendo essa a terceira vez em que espécies que não são nativas da região são encontradas por lá. No estado, é proibido soltar peixes nos rios que não façam parte daquele habitat, uma vez que isso pode causar o desequilíbrio ambiental e propagar doenças.

A origem do peixe será investigada através de outros meios, como testes de microquímica e identificação genética, pelo departamento de parques e vida selvagem do estado. A suspeita é que o animal tenha sido liberado por um aquário ou por algum habitante que cuidava da criatura como um animal de estimação. 

Fonte: CNN  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.