Publicidade
Economize: canal oficial do CT Ofertas no WhatsApp Entrar

Descoberta de novo tipo de gelo surpreende cientistas

Por| Editado por Patricia Gnipper | 07 de Fevereiro de 2023 às 15h18

Link copiado!

Joyce McCown/ Unsplash
Joyce McCown/ Unsplash

Um novo tipo de gelo foi descoberto quando cientistas agitaram água congelada normal em um recipiente com bolas de aço ultrafrias. O resultado foi um estado da água chamado gelo amorfo de média densidade, que pode ajudar a desvendar o comportamento do líquido em outros planetas.

A água é um líquido estranho que apresenta propriedades completamente bizarras, mas os cientistas ainda não exploraram todas as possibilidades. Agora, um novo estudo decidiu moer gelo comum em um recipiente com bolas de aço.

Esse tipo de moagem com bolas ultrafrias é uma técnica industrial usada para triturar ou misturar materiais. Após resfriar as esferas -200 graus Celsius com nitrogênio líquido, os pesquisadores adicionaram gelo no recipiente e o moeram por um longo tempo. O processo destruiu completamente a estrutura do cristal do gelo, até que “um tipo de coisa totalmente nova, com algumas propriedades notáveis”, se formaram, disse Rosu-Finsen, líder da pesquisa.

Continua após a publicidade

Quando estão congeladas, as moléculas de água se organizam em formatos de cristais, formando algo menos denso do que a própria água em seu estado líquido. Muitas formas de gelo já foram descobertas, incluindo o gelo amorfo — um tipo que não está organizado em cristais.

Existem dois tipos principais de gelo amorfo: o de baixa densidade, em torno de 0,94 gramas por centímetro cúbico, e o de alta densidade, a partir de 1,13 gramas por centímetro cúbico. Mas o novo gelo está em um estado intermediário, com densidade de 1,06 gramas por centímetro cúbico.

Essa densidade está bem perto da densidade da água líquida: 1 grama por centímetro cúbico, o que é completamente inesperado. Não deveria haver nenhum tipo de gelo amorfo entre os de alta e de baixa densidade.

A descoberta deixou os cientistas espantados, mas ainda não se sabe o que essas propriedades significam, principalmente porque o gelo amorfo não se forma na natureza. Assim, modelos sobre estados da água precisam ser reexaminados para descobrir quais as implicações do gelo amorfo.

Os pesquisadores também quiseram saber o que acontece quando esse gelo recristaliza; assim, o comprimiram e aqueceram. O processo liberou uma quantidade de energia e sugeriu que esse estados da matéria pode desempenhar um papel na atividade tectônica de lugares como lua Ganimedes.

"Mostramos ser possível criar o que parece ser um tipo de água em stop-motion", diz o químico Andrea Sella, da University College London. "Esta é uma descoberta inesperada e surpreendente”.

O estudo foi publicano na revista Science.

Continua após a publicidade

Fonte: Science; via: EurekAlert