Como foram divididos e definidos os nomes dos oceanos?

Como foram divididos e definidos os nomes dos oceanos?

Por Wyllian Torres | Editado por Patrícia Gnipper | 15 de Maio de 2021 às 17h00
NASA/Greg Shirah/Horace Mitchell

Os oceanos da Terra, com seus 140 milhões de quilômetros quadrados, estão todos conectados — o que fica ainda mais fácil de visualizar se você pensar no mundo como um único oceano intercalado pelos continentes. Tecnicamente, o planeta possui apenas um oceano, gigante e com um nome bem óbvio: o oceano mundial. Mas como é preciso localizar diferentes partes desse mesmo oceano em diferentes lugares do mundo, é necessário definir um limite entre essas partes. Mas como se "divide" esse tanto de água? E de onde surgiram os nomes dos oceanos?

Atualmente, existem cinco grandes oceanos que são definidos de acordo com a proximidade dos continentes e várias características oceanográficas; são eles: Oceano Atlântico, Oceano Ártico, Oceano Índico, Oceano Pacífico e Oceano Antártico, definidos pela Organização Hidrográfica Internacional (IHO). Entretanto, o Antártico é uma adição muito recente, pois, ao longo dos últimos anos, as suas águas foram identificadas como um ecossistema distinto e de grande impacto no clima global, com seu imenso volume de água fria.

Como foram definidos os nomes dos oceanos?

Nessa representação, é possível entender a dimensão global desse imenso corpo de água, dividido em cinco grandes região (Imagem: Reprodução/Wikimedia Commons/Quizimodo)
  • Atlântico: com origem na mitologia grega, este oceano foi batizado com o nome de Atlas, filho de Netuno, o deus dos mares e pai das Atlântidas, como eram conhecidas as Plêiades — um aglomerado de estrelas com sete delas em destaque, na constelação de Touro.
  • Pacífico: inicialmente nomeado Oceano do Sul pelo navegador espanhol Vasco Nuñez de Balboa, os primeiros registros do nome deste oceano nos remete a 1520, ano em que Fernão de Magalhães — navegador português conhecido por encabeçar a primeira grande expedição pelos oceanos —, percorreu o litoral sul do continente americano a oeste da Cordilheira dos Andes, e a tranquilidade daquelas águas o deixaram impressionado.
  • Índico: este nome foi definido de acordo com referências geográficas, como o nome das regiões localizadas nas costas banhadas por essas águas, como a Índia e Indonésia.
  • Ártico: localizado no polo Norte, sob a constelação da Ursa Menor, o nome deste oceano tem origem com a palavra grega “arctos”, que significa urso — um dos animais que simbolizam esta região.
  • Antártico: o nome deste oceano é bem simples. Se no polo Norte está o Ártico, por oposição, no polo Sul está o Antártico circulando o continente congelado.

Como é determinado o limite dos oceanos?

Os cinco oceanos (Imagem: Reprodução/Mundo Educação)

Séculos atrás, as rotas marítimas ocidentais ocupam uma mesma região do globo, ali entre a Europa e a América do Norte, a África Ocidental e a América do Sul e, por isso, pensamos que esses dois nichos fossem dois oceanos distintos. Esse, aliás, é um belo exemplo para o perigo de estabelecer parâmetros de divisão baseados em nossa visão de mundo — a qual muda com o tempo. Com o passar do tempo, foram estabelecidos quatro grandes oceanos, delimitados principalmente por terra (continentes e algumas ilhas).

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Hoje em dia, quem é responsável por definir os limites entre as águas do oceano global é a Organização Hidrográfica Internacional (IHO), voltada para a hidrografia internacional. Atualmente, 77 Estados fazem parte da IHO; entre eles, o Brasil. Para definir o limite entre os oceanos, especialistas consideram uma série de características relacionadas aos relevos marinhos destes oceanos, aos tipos de correntes marítimas, às temperaturas dessas águas e até mesmo aos ecossistemas estabelecidos nestes ambientes.

Por exemplo, se levarmos em consideração a salinidade da água ou de suas correntes oceânicas, a velha ideia de dois oceanos Atlânticos distintos até faz sentido. Já pelo ponto de vista da geologia, a dorsal mesoatlântica — que é a cordilheira presente de norte a sul no Atlântico — divide este oceano em dois. Ou seja, para chegar a uma conclusão de parâmetros que possam definir os limites entre os oceanos, é necessário levar muitos dados em consideração, pois são sistemas complexos.

O caso do Oceano Antártico

Esta concepção com a Antártida no centro revela o impacto das águas do oceano Antático nos outros oceanos — além, é claro, de revelar uma perspectiva de um único sistema de água (Imagem: Reprodução/Michael Meredith)

As águas ao redor da Antártida apresentam características muito únicas e bem definidas, como uma forte corrente que flui em direção a leste e uma zona de convergência de águas bem geladas que se esbarram com as águas quentes vindas do norte.

Os limites do Oceano Antártico foram propostos pela IHO no ano 2000 e nem todos os países membros concordaram com os parâmetros, ainda que tudo indicasse que estas águas são a região do oceano global mais fáceis de “separar”, justamente por conta destas características únicas. Contudo, em 2021, a National Geographic Society reconheceu oficialmente as águas ao redor da Antártida como o quinto oceano oficial do planeta.

Fonte: NOAA, IHO

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.