Publicidade

Dolphin e Seal: como é a linha Ocean da BYD nas pistas?

Por| Editado por Jones Oliveira | 23 de Julho de 2023 às 18h00

Link copiado!

Ivo Meneghel Jr./Canaltech
Ivo Meneghel Jr./Canaltech

O Festival Interlagos, que aconteceu em São Paulo até este domingo (23), deu aos interessados dispostos a pagarem pela experiência a chance de pilotar no autódromo alguns carros que estavam expostos nos estandes.

Jornalistas e convidados que estiveram presentes na inauguração da edição 2023 do evento tiveram a oportunidade de sentir esse gostinho. A reportagem do Canaltech escolheu os dois primeiros representantes da família Ocean da BYD (Dolphin e Seal) para ver como eles se comportam nas pistas.

O Dolphin e o Seal têm propostas diferentes. Enquanto o primeiro é um compacto desenvolvido para uso urbano e, por isso, com números discretos em potência e torque (95cv e 18,3 kgf/m, respectivamente), o Seal tem DNA esportivo graças aos seus 531cv e 68,3 kgf/m de torque.

Continua após a publicidade

Dadas as diferenças, o comportamento de cada um na pista do Autódromo de Interlagos não poderia ser igual, certo? É isso o que vamos relatar após acelerar o “Golfinho” e a “Foca” por alguns minutos.

Como anda o BYD Dolphin?

O BYD Dolphin, como já dissemos, é um compacto elétrico com a proposta exclusiva de ser um carro urbano e funcional, principalmente por conta da cavalagem baixa e do torque mais modesto.

Continua após a publicidade

Como todo bom carro elétrico, porém, ele responde de maneira imediata quando cravamos o pé no acelerador e, por isso, não fez feio no retão de Interlagos, chegando a passar da casa dos 130 km/h (pouco, perto de modelos como Mitsubischi Lancer ou a McLaren levada pela NEW X, importadora da película de proteção automotiva para exibição).

O que deu para sentir durante os poucos minutos ao volante do Dolphin, porém, é que o compacto da BYD tem excelente dirigibilidade, suspensão bem trabalhada, é seguro nas curvas e responde instantaneamente quando é preciso. Esse combo certamente fará seu desempenho no trânsito da cidade e em eventuais viagens ser bastante interessante.

Como anda o BYD Seal?

Continua após a publicidade

O BYD Seal, ao contrário do Dolphin, nasceu para ser uma estrela das pistas. Apontado como rival de carros como o Tesla Model 3, o imponente sedan mostrou, em um rápido contato, que os 531cv de potência e 68,3 kgf/m de torque não são números meramente ilustrativos.

O carro elétrico que a montadora chinesa em breve começará a vender no Brasil tem um arranque impressionante e um comportamento dinâmico capaz de agradar até mesmo ao mais exigente fã de superesportivos tradicionais.

O BYD Seal é agressivo nas retas, colado ao chão nas curvas e dá ao motorista a certeza de que é um carro que está sempre à mão. O carro pode ir de 0 a 100 km/h em apenas 3,8 segundos e mostra total estabilidade por conta da tração integral.

Continua após a publicidade

O contato com a “Foca” da BYD foi rápido, literalmente, mas deixou a melhor impressão possível e um recado claro aos rivais que hoje reinam no segmento, tanto no campo dos elétricos quanto a combustão: se não acelerarem em busca de mudanças e inovações, ficarão para trás... nas pistas e nas vendas.