Está prestes a acontecer uma revolução nos data centers, afirma Gartner

Por Redação | 24.04.2017 às 16:01

O Gartner, instituto de pesquisa e aconselhamento em tecnologia, afirma que as abordagens tradicionais de infraestrutura de TI estão lutando para acompanhar a digitalização contínua das empresas, uma vez que fornecedores novos e disruptivos estão trazendo tecnologias e modelos de negócios que mudam as regras do mercado de Data Center. O comportamento dos provedores de Data Centers é classificado pelo Gartner em três categorias: revolucionários, protetores e evolucionistas disruptivos.

Os revolucionários normalmente são novos no mercado de Data Center e trazem tecnologias disruptivas ou novos modelos de negócios – ou, na maioria dos casos, ambos. Essa categoria inclui startups como a Nutanix e a SimpliVity, além de nomes mais tradicionais como a Amazon Web Services.

Já os protetores representam o status quo. São os provedores tradicionais para infraestrutura de Data Center, como a Cisco e a NetApp, que têm como objetivo proteger sua base instalada e preservar a margem de lucro.

Os fornecedores evolucionistas completam o quadro, promovendo inovações e vantagens de custo a partir de mercados de tecnologia adjacentes. Entre os exemplos de empresas evolucionistas estão a Huawei, a VMware e a Hewlett Packard Enterprise, que, apesar de ser considerada protetora no mercado de servidores, é evolucionista em sistemas de rede.

Na Conferência do Gartner, os analistas debaterão que quanto mais valor agregado em infraestrutura e operações (I&O) de Data Center for entregue no formato de software junto ao hardware (commodity), mais diminuirá a competitividade para entrada no mercado. “Embora as equipes de I&O do Data Center normalmente sejam avessas aos riscos, a pressão cada vez maior para diminuir os custos de TI e a necessidade de aumentar a agilidade estão levando as empresas a buscarem soluções mais inovadoras”, explica Joe Skorupa , Vice-Presidente e Analista Emérito do Gartner.

Essas empresas são tipicamente privadas e frequentemente comandadas por executivos experientes que conseguem atrair grandes talentos e investimentos, além de terem habilidades para experimentar sem colocar em risco um negócio já estabelecido e suas fontes de receita. “A capacidade dessas organizações de experimentar modelos de negócios novos e adaptar suas ofertas às necessidades dos compradores, tanto para entrega como para consumo, permite que elas superem fornecedores maiores e já estabelecidos”, afirma o analista.

Ainda assim, a Conferência do Gartner mostrará que essas companhias enfrentam vários desafios, como baixa confiança por parte dos compradores, alcance limitado no mercado e ecossistemas pequenos. Segundo Skorupa, o brilho de uma ideia pode ser suficiente para uma aquisição de baixo valor por uma empresa tradicional do mercado, mas não é garantia de sucesso.

De acordo com o Gartner, apenas as organizações revolucionárias disruptivas que conseguirem entender melhor onde e como mudar nesse ambiente bastante dinâmico obterão sucesso. E esse número tende a ser baixo.

Os analistas abordarão na Conferência que os conselhos para o sucesso das empresas revolucionárias podem também ser considerados avisos para as organizações tradicionais. As companhias revolucionárias precisam diferenciar de forma clara a sua abordagem para resolver problemas de clientes por meio de uma combinação de produtos, serviços, modelo de negócios, entrada no mercado e estratégia de comunicação. Além disso, em vez de competir de modo acirrado, essas organizações devem buscar segmentos de mercado que permitam que elas sigam o caminho dos concorrentes para diminuir a incerteza e as dúvidas sobre a viabilidade dos seus negócios, além de minimizar as possíveis preocupações quanto às empresas tradicionais.

Os revolucionários devem ajustar rapidamente sua proposta de valor se ela não estiver de acordo com um mercado em evolução. É muito comum que esse perfil de organização se apaixone por sua tecnologia e se esqueça de ajustá-la às demandas do mercado. Ao mesmo tempo, alianças inovadoras com fornecedores, integradores de sistema e consultores já estabelecidos podem rapidamente melhorar a reputação e a capacidade de penetração dessas empresas no mercado.

A conferência do Gartner acontece nos dias 25 e 26 de abril, em São Paulo. Visite o site oficial para inscrições e mais informações sobre o evento.