Campus Party | Telecine revela como é trabalhar com a cocriação digital em UX

Por Natalie Rosa | 09 de Julho de 2020 às 08h17
Divulgação

A rede de canais Telecine, fundada por Roberto Marinho, está na ativa desde 1991, fazendo parte da Globosat. Com seis canais de TV a cabo, há quase 30 anos os assinantes passaram a ter acesso rápido às melhores estreias do cinema, além de clássicos de diversas gerações e diferentes gêneros, desde romance e comédia até terror e filmes antigos.

Atualmente, o Telecine vem se adaptando cada vez mais ao streaming, tendência que ganha força ano após ano, trazendo conteúdos que podem ser assistidos a qualquer momento pelos seus usuários online. E para se adaptar ao que o seu público procura, o Telecine aposta na experiência de usuário, que se tornou um setor bastante forte na companhia.

Rafael Brandão, gerente de experiência de usuário do Telecine, área que também é conhecido como UX, irá participar da edição digital da Campus Party nesta quinta-feira (9) para falar sobre o assunto, mas o Canaltech já conversou com o especialista, que nos contou um pouco sobre a área e sua importância dentro da empresa.

Imagem: Divulgação

O que é UX?

Rafael Brandão contou que a definição de UX é simples: "é um processo estruturado de resolução de problemas, sempre com o usuário no centro desse processo e seguindo alguns passos relevantes". O especialista especifica mais o termo, dizendo que a experiência do usuário existe dentro do design de interação, que tem a responsabilidade de investigar, pesquisar e propor soluções, além de documentar e projetar produtos, serviços ou sistemas.

"Hoje, no Telecine, tenho certeza que fazemos essa correlação da melhor forma, com UX e produto posicionados estrategicamente, sempre com trabalho conjunto com parceiros muito importantes, como marketing, conteúdo, performance, BI e tecnologia", complementa.

UX, que pode parecer novidade para muitos, é um conceito que foi criado há muitos anos na Apple, por Donald Norman, e isso aconteceu muito antes da existência de produtos e serviços digitais. Com o passar dos anos, é possível observar o quanto a área já avançou e, de acordo com Brandão, existem duas grandes motivações para isso.

"Primeiro, as empresas passaram (e vêm passando até hoje) a reconhecer mais valor em soluções construídas de forma racional, estruturada e validada com usuários, resultado típico do processo de trabalho de equipes de experiência do usuário. Segundo, a entrada de várias empresas internacionais e startups no mercado brasileiro, que nascem com o pensamento orientado ao usuário, e muitas vezes têm profissionais de design e UX entre seus fundadores. O fortalecimento do conceito UX, por fim, vem atrelado a outro conceito, o user centric, referente à resolução de problemas criando real valor para os usuários", explica.

Avanço e evolução do Telecine

O Canaltech também perguntou a Brandão como vem sendo a implementação da experiência de usuário na rede de canais. O profissional conta que quando chegou no Telecine, no final do ano passado, após cinco anos dedicados ao Grupo Globo, já havia uma equipe de UX formada, recebendo mais pessoas ao time recentemente. O grupo é definido pelo próprio como um time "impecável, capaz de traduzir toda e qualquer experiência em algo formidável".

Atualmente, a equipe de experiência de usuário do Telecine atua como um pilar estratégico para levar ao streaming os melhores resultados, que só são possíveis graças ao trabalho em grupo. O time está sempre próximo dos usuários, realizando entrevistas, analisando grupos de foco, executando testes remotos, card sorting (método de pesquisa de UX), entre muitos outros meios.

Imagem: Captura de tela/Natalie Rosa

"Ser reconhecido como canal de TV paga significa que somos uma marca muito valiosa e vitoriosa, top of mind há anos. Isso é um privilégio e um grande desafio. Manter uma marca tão querida para os usuários também no segmento de streaming é uma meta importante e particularmente cativante. Correlacionar marca, experiência e conteúdo é minha visão de sucesso para toda estratégia de produto", conta o gerente de UX.

Experiência de usuário é sobre cocriação

Brandão explica que um trabalho que exige a cocriação funciona como uma correlação entre diferentes pessoas, que coloca profissionais com habilidades e conhecimentos específicos para solucionar o mesmo problema de negócio. Além disso, mesmo que existam diferentes métodos e práticas para isso, o objetivo é reunir as pessoas certas em busca de soluções que serão testadas com os usuários e validadas.

"Independentemente das dinâmicas escolhidas, o mais importante é entender que soluções que vêm a partir de grupos multidisciplinares são muito mais fortes e coerentes. Isso é fundamental porque traz mais autonomia para os envolvidos, além de reforçar a colaboração ao passo que divide as responsabilidades, tanto de ônus quanto de bônus dos caminhos escolhidos", conta Rafael, dizendo ainda que é impossível criar tudo isso com uma pessoa só. Esse trabalho colaborativo dentro do Telecine conta com oito pessoas, que transformam as pesquisas e investigações com o usuário em "fundamentos de soluções e artefatos de interface".

A partir dos exercícios de cocriação, é construído o conceito de produto e suas fundações através do ponto de vista tático e estratégico. "A sacada foi conjugarmos algumas dinâmicas, escolhidas com muito cuidado, para começar observando um pilar estratégico, de ideação, construção de visão e tagline, priorizando, na sequência, o tático, capaz de construir em user stories uma versão MVP (o produto mínimo viável, no linguajar técnico)", explica o profissional, afirmando que todos os processos envolvem o usuário, obviamente, com momentos constantes de validações.

O Telecine, hoje, está presente em múltiplas plataformas para aqueles que assinam o serviço de streaming ou os canais de televisão, levando ao assinante a possibilidade de assistir aos títulos disponíveis a qualquer momento, seja no smartphone, tablet ou televisão. Por isso, Rafael diz que a aceitação do usuário vem sendo positiva nesta evolução de plataformas, principalmente por a empresa também trabalhar com a curadoria de títulos que podem ser relevantes a quem vai assistir.

Imagem: Captura de tela/Natalie Rosa

"Amamos filmes e cinema, conhecemos o conteúdo e suas nuances. Somos fãs do que transmitimos e essa curadoria, feita a muitas mãos, cuidadosa e super profissional, associada a algoritmos de recomendação, oferecem aos assinantes uma experiência diferente, engajadora e impecável. Cinelists, nossas listas de filmes pensadas para os usuários, e os VAPAs (Vale a pena assistir) são exemplos de sucesso nesse contexto", finaliza o gerente de UX do Telecine.

Rafael Brandão irá palestrar na Campus Party Digital nesta quinta-feira (9), às 15h35, abordando a criação como um trabalho colaborativo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.