Sony volta a vender câmeras, lentes e acessórios no Brasil

Sony volta a vender câmeras, lentes e acessórios no Brasil

Por Victor Carvalho | Editado por Wallace Moté | 30 de Setembro de 2021 às 11h24
Sony

Seis meses após o anúncio do fechamento de sua fábrica em Manaus e a interrupção da venda das categorias de TVs, câmera e som no Brasil, a Sony confirmou ao Estadão que retorna ainda neste ano ao mercado nacional para vender seu portfólio de câmeras, lentes e acessórios fotográficos.

A volta da Sony ao mercado de câmeras acontece graças a uma parceria com a distribuidora de equipamentos audiovisuais Merlin e vai trazer modelos que eram populares enquanto a companhia japonesa tinha fábrica própria no Brasil.

Segundo Ana Malerbi, gerente de marketing da Sony, a empresa entendeu que existe demanda em categorias existentes no Brasil e desde sua saída tentava achar métodos de retornar ao mercado brasileiro. Ela garante que o retorno de câmeras e do portfólio de lentes acontece "dentro desses próximos meses."

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Reprodução/Sony)

Ainda segundo o Estadão, serão 25 produtos vendidos no Brasil. Detalhes mais precisos sobre quais modelos estarão disponíveis não foram revelados, assim como uma data para início das vendas também não foi definida, indicando apenas o retorno ainda em 2021.

Já em relação aos preços, Ana afirma que os valores serão ajustados e podem ser influenciados pelo dólar, mas a previsão é que as câmeras sejam lançadas por volta de R$ 8.400, lentes por R$ 2.000 e acessórios a partir de R$ 500.

Fones e câmeras retornam ao Brasil, diferente de celulares e TVs

Em julho a Sony anunciou uma parceria com a Multilaser para trazer seus fones de volta ao Brasil com unidades importadas. Agora, com o retorno de câmeras e acessórios, muitos podem se questionar se a gigante japonesa também prepara o retorno de smartphones e televisores. Por enquanto, a resposta é "não".

"Não estamos olhando para outros produtos no momento", afirma Malerbi, destacando que o foco é a venda de produtos importados de áudio e fotografia. "São as demandas que a gente enxerga e que seguem com alto potencial de crescimento."

Fonte: Estadão

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.