Sala de controle da Usina de Chernobyl é o mais novo ponto turístico da Ucrânia

Por Rafael Rodrigues da Silva | 07 de Outubro de 2019 às 16h40
WikimediaCommons

Depois do sucesso da série Chernobyl, agora você pode visitar o local onde aconteceu algumas das cenas mais importantes desta história: a sala de controle do Reator 4 da Usina Nuclear que ficou conhecida no mundo inteiro por causa de um desastre.

Após o presidente da Ucrânia, Vladimir Volydymyr, ter transformado toda a região da Usina em uma atração turística, as agências de turismo do país confirmaram que a sala de controle do do Reator 4 é um dos mais novos pontos para atrair viajantes dos quatro cantos do planeta.

Com o sucesso da série da HBO, o governo ucraniano tem se esforçado para faturar em cima do interesse renovado pela Usina Nuclear de Chernobyl, quem em 1986 foi palco do maior desastre nuclear da humanidade quando uma falha no Reator 4 iniciou uma reação em cadeia que, durante anos, tornou uma área de 3.200 km² completamente inabitável por conta da radiação.

Mas, ainda que já seja possível visitar algumas das áreas afetadas pela usina sem muito problema, isso não é verdade para a sala de controle do Reator 4: o lugar ainda possui uma radiação 40 mil vezes maior do que a que deveria existir em condições normais, e por isso só é permitido a entrada de turistas que estiverem utilizando roupas de proteção completa à radiação, com botas, luvas e máscaras especiais.

Mas, com exceção da visita à sala de controle, todo o resto da visita guiada pela área onde ocorreu o desastre é completamente seguro, e os guias responsáveis por levar os turistas a essa região garantem que a quantidade de radiação a que os visitantes estão expostos é a mesma da sala de TV de suas casas.

Apesar disso, a parte do passeio que leva os turistas para dentro da usina (e que necessita das roupas de segurança) pode não ser tão incrível quanto parece: desde o acidente, diversos equipamentos foram retirados da usina, seja pelo governo para dar um fim adequado a elementos radioativos ou por invasores que roubavam coisas lá de dentro para vender na internet ou levar para casa como “lembrança”. Assim, se você tem interesse em saber como funciona uma usina nuclear e de ver os equipamentos que esses lugares utilizam, talvez Chernobyl não seja o melhor local.

Fonte: Gizmodo

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.