Spotify explica como o novo assistente de voz usará seus dados coletados

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 12 de Abril de 2021 às 10h50
Pixabay

Na quarta-feira, o Spotify anunciou a chegada do seu novo assistente de voz, acionado a partir da frase “Hey, Spotify”. A novidade foi vista pela primeira vez há mais de um ano e agora parece desembarcar de vez no streaming de músicas.

Apesar de não ser nada muito inovador, esse lançamento tem sido visto com certo ceticismo em razão de uma potencial invasão de privacidade, o que gerou muitas dúvidas sobre como o programa usa os dados pessoais. Em razão disso, a empresa veio a público para esclarecer as principais questões e tranquilizar seus usuários.

O primeiro ponto é que o assistente é uma função opcional que deve ser ativado para funcionar — ele virá desligado por padrão. O segundo e importante aspecto é que o sistema não vai registrar tudo o que você diz: a captura da voz só começa quando o usuário fala a palavra de ativação ou toca no botão de ação e termina assim que o comando é encerrado.

(Imagem: Divulgação/Spotify)

Segundo o Spotify, apenas os poucos segundos entre dizer “Hey, Spotify” e o comando são registrados, mas a empresa garante que eles são excluídos logo depois ou se o usuário não disser as palavras compatíveis.

A gigante do streaming musical declarou recentemente que usou os dados pessoais não apenas para desenvolver novos recursos, mas para fornecer anúncios mais relevantes e direcionados. Assinantes Premium ficam de fora desse rastreamento, mas os demais estão sujeitos a tais regras. O Spotify acrescentou que compartilha algumas informações com provedores de armazenamento em nuvem e outros parceiros quando necessário para o app funcionar.

Preocupação com uso indiscriminado de dados

Toda essa preocupação surgiu após o registro de uma patente de reconhecimento de voz do Spotify. A investida permitiria que a empresa detectasse detalhes como idade, sexo, sotaques e até mesmo o estado emocional do usuário.

Em teoria, isso daria poder ao serviço para traçar seu perfil e usar os dados emocionais para oferecer uma playlist mais melódica para dias tristes ou mais animada para os dias de bom humor. Mas também poderia ser usado para ofertar produtos e serviços nos momentos de maior vulnerabilidade.

Além de músicas, o Spotify é o queridinho dos podcasts (Imagem: Divulgação/Spotify)

Claro que se trata apenas de uma patente e não dá para afirmar que haja qualquer ligação com o assistente de voz, mas não deixa de ser algo preocupante para quem teme ter sua privacidade invadida. Recentemente, a empresa também prometeu entrar na briga pelos chats de voz ao adquirir a da Betty Labs, empresa criadora do aplicativo de áudio com foco esportivo Locker Room.

O recurso “Hey Spotify” começou a ser lançado para alguns usuários nos Estados Unidos para dispositivos iOS e Android. Ainda não há previsão de expansão para outros países, mas a empresa promete trazer mais novidades nas próximas semanas.

Você acha que o Spotify pode estar o espionando? Ou crê que o recurso tem apenas a finalidade ajudar na sua rotina? Opine e deixe seu comentário.

Fonte: Spotify

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.