Políticos alemães querem banir o Telegram no país; saiba por quê

Políticos alemães querem banir o Telegram no país; saiba por quê

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 15 de Dezembro de 2021 às 16h19
Igor Almenara/Canaltech

A Alemanha pode remover o Telegram das lojas de aplicativos da Apple e do Google no país caso a companhia mantenha a postura de não colaborar com as autoridades no combate a conteúdos extremistas. Segundo a agência Reuters, um alto funcionário do governo alemão teria dito que a plataforma de bate-papo ignora os pedidos para identificar os responsáveis por conteúdos conspiratórios antivacinas e protestos que desencadeiam violência.

O aplicativo entende que aceitar tal pedido seria se "submeter à censura" do governo alemão, já que o Telegram é um programa muito usado por ativistas e manifestantes em todo o mundo exatamente por proteger a privacidade dos usuários. As autoridades do país dizem que as atividades ilegais intermediadas pelo app viola as regras da App Store e da Play Store, portanto ambas deveriam removê-lo da base.

O Telegram está na mira das autoridades na Alemanha porque se recusa a repassar dados dos usuários (Imagem: Reprodução/Telegram)

A ideia é fazer do mensageiro uma alternativa mais segura para grupos perseguidos, já que o WhatsApp e o Messenger, duas plataformas populares da Meta, adotam uma postura mais cooperativa com as autoridades. Além do Facebook e do Instagram, Twitter e TikTok são redes sociais que também lutam para reprimir conteúdos mentirosos, ameaças, discursos de ódio e teorias conspiratórias.

Recentemente, um relatório interno do FBI, a polícia federal dos Estados Unidos, mostrou que o software é o único entre os mais populares a não vazar nenhuma informação sobre as pessoas, mesmo que envolvidas em terrorismo ou atividades criminosas comprovadas.

Crescimento de ações extremistas

Essa crescente preocupação do governo da Alemanha é fruto da escalada na violência extremista no país. No mês passado, um grupo de manifestantes com tochas foi para a frente da casa da ministra do interior da Saxônia protestar, fato visto como uma ameaça velada à integridade da política.

A legislação alemã é bastante rigorosa quanto a regras de conformidade para respostas a incidentes informáticos. O Telegram tem uma longa tradição de não ter contato com autoridades em local algum do mundo, portanto a notícia não chega a surpreender. Uma das razões pela qual é tão popular é justamente o que muitos governantes temem: a capacidade de organização de grupos (para o bem ou para o mal) sem monitoramento de terceiros.

Por enquanto, o app segue firme nas redes sociais e não há nenhum indício de que será removido por lá. O jeito é aguardar as cenas dos próximos capítulos para saber se algo vai acontecer.

Fonte: Reuters  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.