Microsoft Teams agora usa IA para acabar com eco nas chamadas

Microsoft Teams agora usa IA para acabar com eco nas chamadas

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 14 de Junho de 2022 às 16h03
Reprodução/Microsoft

A Microsoft decidiu usar inteligência artificial para proporcionar uma acústica melhor nas salas e obter ganhos na qualidade de voz. O foco é reduzir ou até eliminar ruídos de comunicação para videochamadas aprimoradas.

A gigante do software criou modelos de aprendizado de máquina para otimizar o som, com redução de ecos e microfones abafados. A empresa diz que já tinha tentado corrigir isso com o processamento de sinal digital, mas que o sistema de IA se mostrou mais efetivo.

O Teams agirá automaticamente caso identifique alguma reverberação do som em uma sala, ou seja, quando a voz de alguém ecoar no computador de outra pessoa (geralmente, porque ela está usando caixas de som próximas ao microfone). O áudio capturado será convertido para eliminar a propagação do som e focar apenas em quem está com a palavra.

Isso significa que, mesmo quando você falar simultaneamente a outra pessoa, não haverá aquele efeito de se escutar por outra fonte de áudio. A Microsoft garante que o modelo foi tão bem treinado que é capaz de diferenciar perfeitamente a fala natural do eco.

Como foi criada a IA do Teams?

Para se chegar ao resultado esperado, a companhia conduziu diversos experimentos por meses para alimentar o modelo com diversas situações de chiados ou ruídos. Conforme a Microsoft, foram mais de 30 mil horas de fala para treinar a ferramenta. Por meio de crowdsourcing, pessoas foram pagas para gravar sua voz e produzir áudios em seus dispositivos, assim a inteligência consegue mapear incontáveis cenários.

A simulação teria ocorrido em mais de 100 mil salas diferentes, em locais distintos e com microfones/headsets próprios de cada testador. O resultado dessa "força-tarefa" teria sido a eliminação do eco, o que deve permitir que várias pessoas falem ao mesmo tempo, além do aprimoramento geral das chamadas.

Todo esse processamento é feito localmente, na máquina ou dispositivo móvel do usuário, portanto não há tráfego de dados para a nuvem. Além de o processamento em nuvem ser mais caro (e exigir mais banda de internet), manter a ferramenta in loco evita a interceptação de conversas por terceiros.

A nova IA do Microsoft Teams já está disponível para usuários e chega junto de outras mudanças como otimizações para exibição de texto em vídeo. Outro lançamento é o ajuste aprimorado do consumo de banda durante chamadas de vídeo ou compartilhamento de tela.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.