Google Chrome vai usar IA para tomar decisões importantes no lugar do usuário

Google Chrome vai usar IA para tomar decisões importantes no lugar do usuário

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 10 de Junho de 2022 às 12h30
Reprodução/Deepanker/Pixabay

O Google anunciou a chegada de novos recursos de aprendizado de máquina voltados para o seu navegador Chrome. A expectativa é aprimorar recursos que já existem, como a navegação segura e ferramentas de acessibilidade, e adicionar algumas outras novidades.

O Chrome já utiliza modelos baseados em aprendizado de máquina (machine learning, em inglês) há algum tempo. Essa técnica permite que o próprio sistema aprenda sozinho suas preferências, conforme as escolhas recorrentes, para tomar decisões alinhadas às necessidades do usuário.

O Chrome deve avisar e bloquear sites perigosos automaticamente (Imagem: Reprodução/Google)

Segundo o Google, o navegador agora deve identificar 2,5 vezes mais sites potencialmente maliciosos do que o modelo antigo, o que deve reduzir os ataques de phishing. O recurso também poderá identificar notificações potencialmente perigosas dos sites para evitar que o usuário seja surpreendido.

Além de reduzir a quantidade de notificações, espera-se que a adição torne a experiência de navegação mais segura. Essa é uma questão que já havia sido antecipada na semana passada, mas que não tinha previsão de chegada. Quem não quiser, poderá desabilitar o recurso nas configurações do programa.

Na avaliação dos desenvolvedores, mais do que melhorar a usabilidade, os prompts de permissão de notificação podem ser reduzidos. O Google garante que a medida não vai afetar sites legítimos da web, assim os usuários ainda poderão manter notificações em sites importantes. A vantagem seria que todo esse processamento ocorreria inteiramente no dispositivo, sem a necessidade de conexão com servidores do Google e com constante evolução.

Sites diretos no seu idioma

O aprendizado de máquina também será usado para aprimorar o recurso Jornadas, lançado pelo navegador no início do ano. Essa funcionalidade organiza o histórico de navegação em categorias com destaque para sites que o Chrome considera mais importantes.

A inteligência será usada para disponibilizar esses sites no seu idioma nativo. Assim, se você costuma ler uma página em inglês traduzida para português, o navegador retomaria o acesso direto na sua língua favorita, com a tradução automatizada.

O botão vai mudar conforme as ações mais usadas pelo usuárioi(Imagem: Reprodução/Google)

O Google também deve usar o machine learning para ajustar as ferramentas em tempo real e ressaltar as ações mais utilizadas pelo usuário. O botão posicionado ao lado da barra de endereços será mutável para tentar prever suas ações. No início, é provável que apenas duas ações estejam disponíveis — compartilhar a página ou realizar uma pesquisa por voz —, mas isso pode mudar com o tempo.

O lançamento do Chrome 102 M, para dispositivos móveis, marcou a chegada deste modelo atualizado de aprendizado de máquina, com tantos impactos significativos para o usuário. Com o passar do tempo, tudo deve ficar melhor e será possível emitir um parecer mais confiável sobre o impacto da inteligência artificial na navegação da web.

Fonte: Google

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.