Fortnite pode levar até 5 anos para voltar à App Store; saiba por quê

Fortnite pode levar até 5 anos para voltar à App Store; saiba por quê

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 22 de Setembro de 2021 às 16h39
Reprodução/MSPower User

Em mais um capítulo da briga entre Apple e Epic, a criadora do iOS resolveu tomar uma medida drástica e banir o game Fortnite até que todos os recursos do processo judicial sejam esgotados. Em carta enviada à gestora do Battle Royale, a Maçã disse que não vai reconsiderar nenhum outro pedido de reintegração do game à loja de aplicativos até que haja uma decisão final e irrecorrível na ação.

A manifestação recebida pelo escritório de advocacia que representa a Epic foi publicada no perfil oficial do CEO da companhia, Tim Sweeney. Na prática, significa que o popular game de tiro pode ficar fora da App Store por até cinco anos, prazo estimado para conclusão da causa, que ainda terá diversas etapas recursais.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

A confusão começou em agosto de 2020, após a fabricante do iPhone remover Fortnite da loja de apps por suposta infração das regras. A Epic teria direcionado usuários a efetuar o pagamento pela compra de skins em um sistema externo, sem usar a solução de pagamentos da Apple, o que seria um descumprimento dos termos no contrato.

Vai e volta judicial

Inconformada com a exclusão, a Epic foi aos tribunais para questionar a elevada taxação de 30% sobre as compras efetuada, além de pedir a liberação da exigência contratual. Hoje, todos os desenvolvedores são submetidos ao mesmo tratamento se quiserem comercializar seus apps na loja, o que impacta no faturamento e faz com que o consumidor pague preços mais elevados.

A Apple justifica as taxas como necessárias para manter o serviço de checagem de apps (Imagem: Divulgação/Apple)

A batalha chegou ao ápice neste mês, quando a juíza Yvonne Gonzalez Rogers declarou causa favorável à Apple no tocante à cobrança de taxas, embora tenha citado que a empresa deveria permitir que desenvolvedores direcionassem usuários para sistemas de pagamento externos. A Epic anunciou que vai apelar e isso parece ter incomodado a criadora do iPhone, que agora tomou essa medida drástica.

No último dia 16 de setembro, segundo a Bloomberg, Sweeney teria pedido a Phil Schiller, executivo da Apple responsável pela loja de apps, para reestabelecer a conta de desenvolvedor da Epic, além do retorno do Fortnite e outros games produzidos para dispositivos da Maçã, como uma versão exclusiva para Mac. “A Epic promete que seguirá as diretrizes da Apple quando e onde lançarmos produtos nas plataformas da Apple”, escreveu Sweeney em um e-mail, que publicou no Twitter na quarta-feira.

Manobras jurídicas podem atrasar decisão

Além do recurso da Epic, a Apple deve contestar a decisão da juíza para obter um posicionamento ainda mais favorável ou até pedir a suspensão do tribunal para atrasar o andamento do processo. Mark Perry, advogado que representa a Apple, disse à Bloomberg que a empresa não restabelecerá a conta do desenvolvedor imediatamente por causa da "conduta dúbia" da Epic no passado e das declarações feitas por Sweeney após a decisão — ele teria dito que não houve vitória para desenvolvedores nem consumidores.

A decisão da corte norte-americana fez com que a Epic pagasse cerca de R$ 31 milhões por driblar as taxas nas compras durante o período em que usou o sistema externo de pagamentos. Logo em seguida, conforme relato do veículo noticioso, a gigante de Cupertino teria se comprometido a restaurar o Fortnite se a criadora seguisse as regras da App Store como os demais desenvolvedores.

Agora, Sweeney acusa a Apple de ter mentido porque teriam dito que acolheriam a Epic de volta, mas se recusado novamente, em uma situação de "abuso de seu poder de monopólio sobre um bilhão de usuários". Pelo visto, a briga ainda está longe de terminar e os gamers do iOS e do Mac ainda precisarão aguardar mais alguns anos até desfrutar dos títulos da Epic em seus dispositivos.

Fonte: Bloomberg  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.