Facebook levará serviço de jogos em nuvem para o iOS, mas não como app nativo

Facebook levará serviço de jogos em nuvem para o iOS, mas não como app nativo

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 23 de Julho de 2021 às 17h00
Reprodução/TechCrunch

As temidas taxas cobradas pela Apple sobre cada transação efetuada via App Store desanima os desenvolvedores e já é alvo de diversos processos. Muita gente tem buscado soluções para contornar esse problema, sem burlar as políticas da companhia. O Facebook parece ser a nova gigante a usar uma alternativa para não ver 30% do seu faturamento ir embora — ao menos é isso o que indica o anúncio de hoje.

A gigante das redes sociais lançará seu serviço de jogos em nuvem para iPhones e iPads em breve, mas fará isso por meio de um aplicativo da web. Os web apps rodam direto no navegador e podem ser adicionados à tela inicial dos telefones como se fossem um aplicativo nativo. O interessante é que ele oferece boa versatilidade e é capaz de rodar desde jogos simples em 8 bits até similadores de corrida com gráficos de última geração.

O Facebook Gaming rodará no navegador como um PWA (Imagem: Reprodução/The Verge)

Dentre as opções, a biblioteca de jogos do Facebook inclui títulos baseados em HTML5 ao lado de opções mais avançadas, que são rodados na nuvem e entregues ao usuário via streaming. Hoje, ele usa o sistema de pagamentos personalizado da rede social chamado Facebook Pay para realizar compras no jogo.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O que ainda não está claro é como serão feitas essas compras via web app, já que a Maçã veda o redirecionamento de usuários para sites que ofertem sistema de compra separados dos da companhia. Se você roda algo em um dispositivo Apple, está restrito a comprar tudo apenas pelo sistema integrado a ele.

A Epic Games tentou fazer diferente e sofreu sanções, inclusive com a remoção do seu carro-chefe, o game de tiro Fortnite. Na ocasião, a empresa direcionava a compra para um sistema próprio, sem passar pelo sistema de pagamento da App Store.

Em certa ocasião, a Apple disse que não pode ser enquadrada como monopolista porque os desenvolvedores têm “toda a web” como opção além da sua loja de apps. Pelo que parece, é nessa ideia que o Facebook está pautado para seguir com sua proposta: se o programa não for baixado na App Store, não há o que se falar em taxação.

PWAs em alta

A decisão do Facebook de trazer sua plataforma de jogos para iOS através da web imita a abordagem adotada pela Amazon e Microsoft, que também lançaram os chamados Progressive Web Apps, ou PWAs, para seus respectivos serviços de jogos em nuvem.

No ano passado, o Facebook reclamou quando a Apple bloqueou sua tentativa de colocar jogos em um aplicativo independente para iOS e disse que iria procuraria alternativas. Pouco tempo depois, a Apple mudou suas regras para permitir jogos baseados em nuvem, desde que fossem enviados individualmente como aplicativos à App Store para revisão, o que irritou desenvolvedores.

Os títulos do serviço do Facebook liberados no Brasil são bem básicos (Imagem: Captura de tela/Canaltech)

O Safari, navegador nativo da Apple, tem algumas limitações que precisarão ser contornadas para rodar o PWA do Facebook Gaming corretamente. O som é desativado com opção padrão e não existe opção para envio de notificações por push. A renderização gráfica, embora esteja avançando, ainda não é nem perto do que um app nativo pode entregar.

Segundo o vice-presidente de jogos do Facebook, Vivek Sharma, essa é a única opção para o streaming de jogos em nuvem para o iOS no momento. Em entrevista ao site The Verge, ele ressaltou que a criadora do iPhone contraria o propósito básico dos jogos na nuvem. “Esses obstáculos impedem que os jogadores descubram novos games, joguem em vários dispositivos e acessem títulos de alta qualidade instantaneamente em aplicativos iOS nativos — mesmo para aqueles que não estão usando os dispositivos mais recentes e caros”, ressaltou.

App exclusivo faz falta

Como a aplicação do Facebook não vai rodar dentro da rede social, e, sim, em um programa a parte, não haveria problema, em tese, de ter um sistema próprio. O problema é que essa atitude pode reduzir bastante o acesso das pessoas ao serviço. O usuário, em especial o da Apple, é acostumado a baixar todas as aplicações diretamente da loja oficial.

De qualquer forma, a rede de Mark Zuckerberg ainda está longe de ser uma potência no segmento de jogos em nuvem. A empresa tem feito parcerias com desenvolvedores para levar títulos mais expressivos, como Asphalt 9 e Assassin's Creed: Rebellion, mas ainda assim isso é insuficiente.

Os jogos em nuvem do Facebook estão disponíveis atualmente nos Estados Unidos e em partes do Canadá e do México. Os títulos mais simples, feitos em HTML, são acessíveis em mais locais, mas também não há uma distribuição ampla.

Resta saber se essa opção do Facebook trará o resultado esperado ou se ainda haverá mais desanvenças com a gigante de Cupertino. O que você acha disso tudo? Deixe a sua opinião nos comentários.

Fonte: The Verge, Facebook Gaming  

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.