Dono do WhatsApp, Mark Zuckerberg usa um dos principais rivais do mensageiro

Dono do WhatsApp, Mark Zuckerberg usa um dos principais rivais do mensageiro

Por Alveni Lisboa | Editado por Douglas Ciriaco | 06 de Abril de 2021 às 12h26
Eirik Solheim/VisualHunt

O CEO do Facebook e, portanto, dono do WhatsApp, Mark Zuckerberg é usuário do Signal, um aplicativo de mensagens instantâneas concorrente do desenvolvido pela sua empresa. A informação foi descoberta após o recente vazamento que expôs dados pessoais de 533 milhões de usuários do Facebook.

Como o próprio Zuckerberg teve suas informações vazadas, um pesquisador da área de segurança da informação resolveu fazer um breve levantamento e encontrou o número do CEO cadastrado no rival. Segundo Dave Walker, isso revelaria a falta de confiança do manda-chuva do WhatsApp no seu próprio app:

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“Em outra virada de eventos, Mark Zuckerberg também respeita sua própria privacidade, usando um aplicativo de bate-papo que tem criptografia de ponta a ponta e não é propriedade do Facebook. Este é o número associado à conta dele no recente vazamento do Facebook ”, escreveu Walker no Twitter.

Vale ressaltar que é comum executivos e funcionários de empresas de tecnologia usarem os aplicativos rivais para testá-los, conhecer os recursos e ver o que pode ser levado para o seu próprio sistema. Isso não significa necessariamente que o criador da maior rede social do mundo prefira o rival, não confie em seu próprio produto ou planeje descontinuá-lo.

Será que Zuckerberg desconfia da segurança do WhatsApp? (Imagem: Justin Sullivan/Getty)

O Signal ganhou popularidade entre especialistas do mercado tecnológico por se mostrar bastante seguro. Com menos opções do que o concorrente Telegram, mas com foco em criptografia apurada, o app se tornou famoso após o ativista Edward Snowden se declarar usuário e o empresário Elon Musk recomendar sua utilização em um tuíte.

Nova política de privacidade assustou usuários

Essa novidade chega em um momento no qual o programa de chat mais popular do mundo sofre com a avalanche de críticas quanto à segurança de dados. O WhatsApp não permitirá o uso dos serviços para quem não concordar com a nova política de privacidade, que passa a vigorar em 15 de maio e prevê, entre outras coisas, o compartilhamento de dados com o Facebook.

(Imagem: Reprodução/WhatsApp)

Segundo comunicado em seu blog, a plataforma afirma que esse é o primeiro passo de muitos para promover uma comunicação mais clara entre os usuários. Além disso, o app entende quem deseja experimentar outros serviços neste período para decidir se quer permanecer ou não no WhatsApp.

O serviço de troca de mensagens tem como trunfo o uso de criptografia ponta-a-ponta, o que evita que o conteúdo seja lido por terceiros não-autorizados. Inclusive, esta é a principal justificativa do app para não fornecer dados sobre conversas realizadas na plataforma em decisões judiciais. Ainda que a comunicação seja interceptada, os dados embaralhados não permitem a compreensão das mensagens.

Vazamento do Facebook

Uma coisa é certa: o vazamento de dados do Facebook revelou um grave problema de segurança na rede social. Se o principal produto da companhia possui uma brecha tão grave, será que os demais também não estão vulneráveis?

Mark Zuckerberg e milhões de outros usuários tiveram seu nome, número de telefone, localização, status amoroso, data de nascimento e ID de usuário expostos na web. Para pessoas “comuns” isso pode não ser grande coisa, mas imagine o transtorno para uma personalidade pública de ter o número de telefone ou o endereço liberado? É algo que coloca em xeque a segurança física e a integridade delas.

Você mudará para outro aplicativo de mensagens depois de 15 de maio ou permanecerá no WhatsApp? Use a seção de comentários abaixo e dê a sua opinião.

Fonte: Dave Walker

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.