Spotify, Rdio e Deezer: conheça os três serviços de música no Brasil

Por Anderson Nascimento
Tudo sobre

Deezer

Saiba tudo sobre Deezer

Ver mais

Os serviços de streaming de músicas vieram para ficar. Além dos já conhecidos Rdio e Deezer, recentemente o Brasil recebeu o Spotify, que promete fazer um bom duelo com a concorrência pela preferência dos usuários. Todos eles possuem um acervo muito grande de canções e podem ser usufruídos gratuitamente para aqueles que não gostam de pagar pelo entretenimento sonoro.

No entanto, diante de tantas opções (ainda podemos falar do TuneIn e do Grooveshark) qual a melhor escolha na hora de organizar suas músicas favoritas e ouvi-las de onde quiser e em qualquer ocasião? Quem oferece o melhor serviço? Para responder a essas perguntas e tirar suas dúvidas sobre qual a opção tem mais a ver com você, realizamos uma breve análise desses três principais serviços presentes no Brasil. É só conferir os parágrafos a seguir.

Spotify: o melhor para quem não quer gastar nada

Para começar vamos falar sobre o recém-chegado ao mercado brasileiro: o Spotify. O serviço de streaming da empresa possibilita que qualquer usuário, mesmo que não seja assinante de uma conta Premium, possa ouvir o acervo de mais de 30 milhões de músicas. Porém, a principal desvantagem dos que utilizam o serviço gratuitamente em relação aos assinantes Premium é que eles precisam se deparar com anúncios, tanto em áudio como em banners no serviço para PC e Mac. Além disso, nos aplicativos para dispositivos móveis iOS e Android, não é possível que o utilizador gratuito escolha a própria sequência na hora de ouvir uma playlist, visto que só existe o player para reprodução aleatória.

No entanto, a vantagem do Spotify em relação à concorrência são as suas várias extensões que possibilitam que o serviço fique ainda mais atrativo e divertido na hora de descobrir uma nova playlist ou recomendações. Com extensões como o Lazyfy, BBC Player, Billboard Top Charts e Rolling Stone, é possível que o usuário encontre sugestões elaboradas por produtores musicais ou simplesmente deixe com que eles se encarreguem de apresentar músicas de acordo com o seu gosto musical.

O Spotify disponibiliza músicas para serem ouvidas em modo offline, mas este recurso está presente apenas para usuários Premium. Aliás, para fazer o upgrade é necessário desembolsar US$ 5,99 por mês. Muito em breve a empresa disponibilizará a cobrança em reais, no valor de 14,90.

Rdio: para quem quer ouvir música em uma variedade de dispositivos

O Rdio já é bem conhecido do público brasileiro, afinal foi ele o primeiro entre os três que desembarcou aqui no Brasil. E por já ser mais conhecido que os outros, pode se adaptar melhor o mercado daqui. Isso é evidente quando se nota um acervo maior, ou pelo menos com mais sucessos, de música brasileira que o Spotify, por exemplo, que acabou de chegar por aqui.

O serviço está disponível para usuários iOS, Android, BlackBerry e Windows Phone, além de contar com versões para PC, Mac e web. Essa é uma enorme vantagem já que não restringe a sua utilização por não funcionar em alguns dispositivos, como o Spotify. Com o Rdio é mais prático pausar, reproduzir ou mudar de música com atalhos que podem ser utilizados no próprio teclado, sem a necessidade de recorrer ao mouse.

O catálogo do Rdio chega a mais de 25 milhões de faixas, um pouco menor do que a concorrência. Outra desvantagem do Rdio é o fato dos usuários gratuitos só poderem aproveitar o serviço sem pagar nada por apenas seis meses. No entanto, neste período o ouvinte não é importunado por anúncios e banners dentro de seus aplicativos. Após o término do prazo gratuito, o usuário precisa fazer a assinatura que custa R$ 14,90 mensais.

Deezer: ideal para quem quer ser Premium por muito pouco

O Deezer possui uma interface muito limpa e atraente. É fácil encontrar uma música desejada e organizá-la em playlists, por exemplo. O serviço francês também possui um acervo gigantesco com mais de 30 milhões de músicas, muitas delas distribuídas em playlists prontas e estações de rádio temáticas.

O streaming ainda disponibiliza a conexão com o Facebook e o Last.fm para a interação com artistas e usuários. Para os usuários gratuitos, o serviço conta com anúncios, mas que não chegam a incomodar tanto. Por aqui, já são mais de dois milhões os ouvintes que utilizam o plano grátis da empresa francesa. Para quem quer eliminar os anúncios e se tornar assinante Premium, o Deezer cobra taxas mensais de R$ 14,90, assim como os concorrentes, mas é possível ainda encontrar ofertas que derrubam o valor para R$ 7,49.

Ao contrário do que o Spotify oferece, o Deezer não dispõe de aplicações totalmente integradas ao ser serviço. Eles existem, porém são externas e acabam se conectando ao aplicativo de uma forma um tanto artificial.

Agora é só escolher qual tem a sua cara e começar a usar!

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.