AirTag é usada para capturar criminoso nos Estados Unidos

AirTag é usada para capturar criminoso nos Estados Unidos

Por Vinícius Moschen | Editado por Wallace Moté | 10 de Junho de 2022 às 13h36
Ivo Meneghel Jr/ Canaltech

Ao longo dos últimos meses, diversos casos de perseguições com AirTags foram divulgados, especialmente nos Estados Unidos e Canadá. Entretanto, uma nova situação reportada na Carolina do Norte mostrou que o acessório da Apple também pode auxiliar o trabalho das forças da lei.

AirTags foram lançadas em 2021 para rastreamento de objetos (Imagem: Divulgação/Apple)

De acordo com o departamento de polícia de Charlotte-Mecklenburg, um ladrão roubou uma mochila que continha uma AirTag. Desavisado da presença do localizador, ele tentou fugir depois de uma primeira abordagem.

Dessa forma, os policiais utilizaram o aplicativo Buscar para saber onde estava a mochila, no caso de o ladrão ainda estar com ela. Foi exatamente isso que aconteceu, e a captura foi realizada após apenas alguns minutos.

Preocupação com AirTags

Quando as AirTags foram lançadas em 2021, o produto se destacou como uma forma de encontrar objetos perdidos com alto nível de precisão. Com sua construção compacta, ele pode ser colocado junto a virtualmente qualquer item, como bolsas, carteiras, chaves, controles remotos e mais.

Porém, a onda de casos de perseguição surpreendeu a Apple, que precisou tomar medidas emergenciais para que o rastreador não fosse utilizado de forma mal intencionada.

Caso uma AirTag desconhecida seja identificada em movimentações semelhantes a um usuário de iPhone, o celular mostrará um aviso correspondente — entretanto, a demora deste processo já foi alvo de críticas no passado.

Apple tomou medidas extras para evitar crimes com o rastreador (Imagem: Divulgação/Apple)

Recentemente, a Apple fez algumas mudanças para tornar a utilização das AirTags mais segura. Agora, um novo pop-up de alerta relacionado à privacidade aparece sempre que alguém configurar um localizador novo, avisando que o produto é feito para rastrear objetos, e não pessoas.

Além disso, a mensagem menciona que a aplicação de leis locais é permitida no caso de usos indevidos do dispositivo, para que sejam obtidas informações que identifiquem cada AirTag e seus respectivos responsáveis.

Fonte: WRAL, via 9to5Mac

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.