WWDC 2019 | iOS 13 trará aguardado "modo noturno" e melhorias de privacidade

Por Rafael Rodrigues da Silva | 03 de Junho de 2019 às 18h59
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

Nesta segunda-feira (3), durante a WWDC, a Apple revelou algumas das mudanças que está preparando para o novo sistema operacional de seus smartphones, o iOS 13. E, pelo que pode-se ver durante a apresentação, a próxima versão do SO trará mesmo diversas modificações para o software.

Uma das promessas feitas pela Apple é a de uma significativa melhoria de performance. Uma dessas melhorias seria no sistema de reconhecimento do Face ID, que trabalharia 30% mais rápido. O novo sistema operacional também tornaria os downloads de atualizações até 60% mais rápidos, já que mudaria o modo como elas são feitas: ao invés de baixar o programa inteiro e reinstalar por cima da versão antiga, o novo iOS trabalharia baixando apenas os arquivos que foram atualizados, o que faria com que a quantidade de download a ser feito em cada atualização se tornasse bem menor do que no sistema atual.

O iOS 13 também trará o tão esperado “modo noturno” para todo o sistema, permitindo usar todos os apps nativos do aparelho rodem em uma paleta de cores mais escura — o que acaba tendo uma grande influência na economia de bateria. Assim, não apenas todos os apps nativos da empresa utilizarão cores mais escuras, como o plano de fundo de todos esses apps será completamente preto. Isso quer dizer que, nas telas OLED dos iPhones, esse plano de fundo não emitirá nenhum tipo de luz — é como se esses setores estivessem com a tela desligada — não apenas permitindo uma grande economia de bateria como deixando esses apps com um contraste bem bonito.

Modo noturno será uma das principais implementações do novo iOS (Imagem: TechCrunch)

Mas não é apenas a adição do “modo noturno” que irá mudar nos apps nativos do iOS, e a Apple anunciou uma série de pequenas — mas necessárias — mudanças para alguns de seus apps mais usados. Por exemplo, o teclado do iOS agora permitirá que o usuário digite arrastando o dedo sobre a tela entre uma letra e a próxima (de forma bem parecida com o do teclado do Android), a lista de “compartilhar” um conteúdo já irá sugerir automaticamente os contatos com que você mais conversa, e o novo app Music passará a mostrar as letras das músicas que estão sendo reproduzidas.

Enquanto isso, o navegador Safari permitirá aos usuários mudar o tamanho da fonte nas páginas que acessar, além de permitir que salvem configurações de acesso diferentes para sites específicos. Já o aplicativo Mail passa a permitir a edição de texto modificando elementos como cor e tamanho da fonte usada nos e-mails, e o Notes terá a introdução de um formato de visualização do tipo galeria, além de permitir a criação de pastas para organizar melhor suas notas.

Outro que passará por grandes modificações é o Reminders (Lembretes). Além do app permitir a hierarquização de tarefas — por exemplo, criar uma tarefa “arrumar a casa” e agrupar a ela, em um nível hierárquico abaixo, a tarefa “lavar roupas” — também será possível marcar pessoas nos lembretes criados, que serão avisadas através de mensagem via iMessage. E, para facilitar o uso, a nova versão do sistema terá uma espécie de “quick bar” que permitirá a adição rápida de uma nova tarefa ou lembrete sem precisar necessariamente abrir o app.

Nova função Look Around é o equivalente ao Street View do Apple Maps, mas tem uma navegação muito mais fluida do que a ferramenta da Google (Imagem: Apple)

Quem também passará por diversas modificações é o Apple Maps. O aplicativo de mapas da Apple receberá uma nova função chamada Look Around, que funcionará de modo bem parecido ao Google Street View, permitindo ao usuário navegar pelas ruas de modo presencial usando o aplicativo. A grande diferença do Look Around é que, pelo menos no que foi mostrado durante a WWDC, a navegação através dele é muito mais fluída do que no Street View. Além do novo modo de navegação, o aplicativo também permitirá enviar para seus contatos o tempo estimado que falta para chegar no seu local de destino, além de permitir o compartilhamento de listas de locais preferidos (como enviar os restaurantes e locais turísticos que você recomenda para um amigo que vai visitar alguma cidade que você já conhece). Além dessas novidades, a Apple já adiantou também que, até o fim de 2019, o Apple Maps já usará dados levantados pela própria empresa para todo o mapeamento dos Estados Unidos, e que a companhia quer ampliar essa coleta para outras regiões do mundo nos próximos anos.

O iMessage também é outro programa que passará por boas mudanças, ficando um pouquinho mais parecido com o WhatsApp. Na nova versão do app, os usuários poderão escolher uma foto de perfil e definir quais de seus contatos poderão ver aquela foto. A Apple também está usando essa nova versão para trazer mais opções de customização aos Memojis, permitindo a criação de seus próprios stickers (ou figurinhas) com o app.

IA e fotos

iOS 13 trará maior opção de customização dos Memojis (Imagem: TechCrunch)

O iOS 13 também trará várias melhorias para aqueles que gostam de fotografia. O app da câmera terá mais opções de edição profissional de fotos, permitindo controle de saturação, luminosidade, sombras, etc. Essas opções não serão exclusivas para fotos, e poderão ser acessadas também para a gravação de vídeos. Além disso, o app também permitirá rotacionar os vídeos já gravados, o que deverá ajudar bastante aqueles que usam o Instagram.

Claro, também haverá alterações no app de Galeria. Uma delas é referente à IA da câmera: ao tirar várias fotos de um mesmo objeto ou cena, a Galeria já vai esconder automaticamente todas as duplicadas e mostrar apenas a melhor foto tirada pela câmera. O app também fará mudanças no modo de se navegar por ele, deixando tudo mais bem organizado com abas que dividem as imagens e permite o rápido acesso a fotos tiradas até anos atrás, além de facilitar que se encontre o vídeo correto ao rodar na imagem de preview uma pequena vinheta do conteúdo daquele vídeo, de forma similar à utilizada pelo YouTube.

Quem também passará por melhorias é a Siri, e uma das mais interessantes é o suporte a comandos de voz para todos os apps. Um exemplo utilizado pela empresa para explicar como funcionaria isso é o de estar ouvindo música com os AirPods e de repente receber uma mensagem. Sem precisar pegar o celular, você pode pedir para a Siri para a reprodução da música, ler a mensagem e ditar para ela a resposta que deve enviar. Outra novidade será a possibilidade de compartilhar uma música ou vídeo com outra pessoa — garantindo que ambos estejam escutando a mesma coisa exatamente ao mesmo tempo, sem delay — desde que o outro usuário também tenha um iPhone e um par de AirPods.

Novo aplicativo de câmera trará ainda mais recursos de configuração para profissionais de fotografia (Imagem: Apple)

A atualização também traz novidades para os donos de um HomePod. O smart speaker da Apple conseguirá sintonizar estações de rádio FM assim que for atualizado para o iOS 13, além de finalmente a Apple permitir a configuração de mais do que um único usuário no aparelho, permitindo que cada membro da casa o utilize para acessar suas próprias mensagens, ouvir suas próprias playlists e acessar seus próprios lembretes no calendário.

Quem também recebe uma melhoria no sistema da Siri é o CarPlay, e a assistente virtual da Apple conseguirá acessar apps de terceiros (como o Pandora ou o Waze) a partir da nova atualização. Além disso, a animação de comando da Siri não preenche mais toda a tela do sistema automotivo, permitindo que se acesse ela sem medo de tirar o mapa da tela e errar a rua que se vai virar. Haverá também uma mudança no software gerador de voz da Siri, que fará com que ela soe mais natural do que nunca.

Privacidade é a lei

Opção de login pela conta Apple permite a criação rápida de novas contas sem a necessidade de compartilhar informações não relevantes ao funcionamento do serviço (Imagem: TechCrunch)

Assim como tem feito nos últimos meses, a Apple também utilizou o novo iOS para falar sobre como a atualização permitirá uma maior privacidade de navegação aos usuários. Para isso, a principal medida implementada pela empresa na nova versão do sistema operacional será uma reformulação do sistema de rastreamento do usuário. Com a nova atualização, qualquer aplicativo que não esteja ligado diretamente ao uso do GPS (como Pokémon Go, por exemplo) só poderá pegar seus dados de localização uma única vez, impossibilitando qualquer tentativa de rastrear os locais que o usuário frequenta ao longo do dia. Além disso, qualquer app que não seja desenvolvido pela própria Apple também não terá acesso a detalhes de sua conexão Wi-Fi ou do sinal do Bluetooth, medida que por si só já impedirá muitos escândalos de vazamentos de dados dos usuários.

Outra medida que será implementada pela Apple na nova versão do sistema é uma opção de “logar pela conta Apple”, que será exibida em todos os apps que permitem fazer o login através de uma conta do Google ou do Facebook. Assim, será possível que o usuário crie rapidamente uma nova conta nesses sistemas, mas com a garantia de que só serão compartilhados os dados necessários para o bom funcionamento do programa. Além disso, será possível até criar um endereço de e-mail falso aleatório para o login, que irá redirecionar automaticamente qualquer e-mail enviado para sua caixa real mas, caso ocorra algum vazamento no servidor desse app que você criou a conta, os hackers que o invadiram terão acesso apenas ao seu endereço de e-mail falso.

HomeKit se torna ainda mais seguro com o armazenamento das gravações no iCloud (Imagem: TechCrunch)

A empresa também está preparando algumas mudanças para o HomeKit, que ficará ainda mais seguro. A partir da próxima atualização do iOS, será possível armazenar até 10 dias de gravações feitas com o HomeKit Secure Video diretamente em sua conta do iCloud — e o melhor, sem que esses vídeos ocupem espaço nela. Essas gravações seriam armazenadas em um outro setor do iCloud que está vinculado à sua conta pessoal mas não é exatamente ela (por isso o espaço utilizado por esses vídeos não conta para a sua quota do iCloud). Assim, além de facilitar o acesso a essas gravações de qualquer lugar, eles também ficam bem protegidos, apenas o usuário teria a chave necessária para quebrar a encriptação deles — nem mesmo a Apple teria esse tipo de acesso. Outra mudança implementada será a possibilidade de controlar o HomeKit por roteadores como um circuito interno, sem a necessidade de conectar as câmeras diretamente à internet — o que já evita qualquer possibilidade de invasão do sistema por hackers.

Por enquanto, ainda não há uma data específica para o lançamento do iOS 13, mas a Apple historicamente lança seu sistema operacional em meados de setembro. Então, possivelmente teremos mais três meses até sabermos exatamente o quão revolucionário será o iOS 13 mas, pelo que a empresa já mostrou na WWDC, ele deverá trazer muitas mudanças importantes para os usuários.

Fonte: TechCrunch

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.