Windows 11 diminui em até 15% desempenho de CPUs AMD; entenda o motivo

Windows 11 diminui em até 15% desempenho de CPUs AMD; entenda o motivo

Por Igor Almenara | Editado por Douglas Ciriaco | 06 de Outubro de 2021 às 17h23
Reprodução/Microsoft

A AMD anunciou nesta quarta-feira (6) que o Windows 11 pode reduzir a performance de todos os seus processadores domésticos em algumas aplicações — incluindo jogos. Devidamente identificado, o problema já está em fase de correção neste momento, e o patch que resolve tudo deve ser liberado ainda em outubro.

De acordo com a publicação da AMD, os problemas estão em dois pontos: na latência do cache L3, componente interno da CPU, que pode ser até três vezes maior quando o sistema roda o Windows 11; e no recurso “Preferred Core”, função de otimização de desempenho que leva tarefas em execução para o núcleo mais poderoso do chip.

Impacto negativo em desempenho afeta todos os modelos AMD Ryzen compatíveis com o Windows 11 (Imagem: Reprodução/AMD)

No caso do erro da memória cache, são as aplicações mais sensíveis à latência que mais sofrem com ele, algo que pode girar em torno de 3-5% nesses cenários. Enquanto a deficiência no “Preferred Core” tem maior chance de impactar CPUs com oito núcleos (ou mais) ou tem exigência de TDP maior que 65 W.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Infelizmente, a AMD não listou os programas que podem ter o desempenho afetado pelo defeito, mas afirmou que jogos com foco competitivo têm maior chance de sofre um impacto negativo, já que normalmente são dependentes da memória cache. Nas medições oficiais, a queda de performance pode variar entre 10-15%.

Erro afeta todos os modelos

A lista completa afeta 180 CPUs da AMD, todas elas devidamente compatíveis com o Windows 11, portanto o desempenho pode variar nas arquiteturas Zen+ (série AMD Ryzen 2000), Zen 2 (série AMD Ryzen 3000) ou Zen 3 (série AMD Ryzen 5000). Alguns modelos da família EPYC (servidores) e Athlon (baixo custo) também foram afetados.

Apesar de ter uma consequência semelhante, esse problema é diferente daquele levantado pelos mecanismos de segurança, que criaram polêmica acerca do Windows 11 nos momentos anteriores à estreia. Neste caso, a raiz da questão está na ativação padrão do Hypervisor-Protected Code Integrity (HVCI) e no Virtualization-Based Security (VBS), ambos recursos que usam virtualização de hardware para elevar a proteção do sistema.

A AMD afirma que uma atualização no sistema operacional é capaz de solucionar os problemas de desempenho, e este patch já estaria em construção pela Microsoft. Provavelmente, o usuário final não teria que fazer nada além de atualizar o computador assim que possível para ter sua máquina performando como deveria.

Fonte: AMD

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.