Publicidade

Microsoft recua e IA que grava tudo no Windows não será ativada por padrão

Por| Editado por Douglas Ciriaco | 07 de Junho de 2024 às 16h00

Link copiado!

Divulgação/Microsoft
Divulgação/Microsoft
Tudo sobre Microsoft

Após receber diversas críticas sobre a segurança do Recall, a Microsoft anunciou mudanças na ferramenta antes mesmo do seu lançamento ao público. O recurso criado para armazenar periodicamente capturas de tela do aparelho e salvar uma “linha do tempo visual” das atividades no PC seria inicialmente ativado por padrão no Copilot+ do Windows. Porém, nesta sexta-feira (7), a companhia informou que a função será opcional e dependerá da ativação manual por parte do usuário.

A decisão segue uma onda de críticas da comunidade de segurança e privacidade, que classificou o Recall como um risco potencial à segurança dos dados das pessoas.

Recall desativado por padrão

Continua após a publicidade

O Recall foi anunciado pela Big Tech de Redmond no final de maio como uma versão do Explorador de Arquivos equipada com recursos de inteligência artificial. O programa será capaz de registrar uma “memória fotográfica” das atividades realizadas na nova geração de computadores equipados com IA.

Segundo a Microsoft, o Recall tira periodicamente capturas de tela sobre as ações dos usuários no Windows para criar uma “linha do tempo visual explorável”. Essas imagens são "criptografadas, armazenadas e analisadas localmente, usando recursos de IA do próprio aparelho para compreender o contexto".

No entanto, diversos especialistas em segurança alertaram que o recurso poderia ser explorado por hackers, com a possibilidade de obter uma visão detalhada das atividades do usuário, incluindo logins bancários e histórico de navegação.

Para responder a essas críticas, a Microsoft anunciou algumas medidas de segurança para a ferramenta. A principal mudança é que ela estará desativada por padrão, e será necessária a autenticação via Windows Hello para habilitar o Recall. 

No comunicado desta sexta-feira, o vice-presidente corporativo do departamento Windows + Devices, Pavan Davuluri, destacou a importância de dar às pessoas a opção clara de habilitar o Recall. “Estamos atualizando a experiência de configuração dos Copilot+ PCs para que as pessoas possam optar por salvar capturas de tela usando o Recall. Se você não escolher ativamente ativá-lo, ele permanecerá desativado por padrão”, declarou o executivo.

O Canaltech está no WhatsApp!Entre no canal e acompanhe notícias e dicas de tecnologia

No anúncio, a empresa enfatiza que todos os dados coletados pelo Recall serão armazenados localmente e nunca serão enviados para processamento em nuvem. Além disso, as pessoas terão a possibilidade de pausar, filtrar e apagar as capturas de tela quando desejarem.

A Microsoft esclarece ainda que em computadores gerenciados por empresas, os administradores de TI terão a opção de desativar o Recall nos PCs. No entanto, o administrador não poderá ativar as capturas no lugar do usuário.

Ao anunciar a mudança de estratégia, a Big Tech reconheceu as críticas e preocupações sobre a privacidade e segurança do novo recurso e informou que “as atualizações entrarão em vigor antes do Recall (em caráter de prévia) ser enviado aos clientes em 18 de junho”.