Microsoft decide estender suporte ao Windows 7, mas só se você pagar

Por Felipe Demartini | 10 de Setembro de 2018 às 11h55
Divulgação
Tudo sobre

Microsoft

Saiba tudo sobre Microsoft

Ver mais

Em 14 de janeiro de 2020, a Microsoft encerra oficialmente o suporte ao Windows 7. Entretanto, de olho na grande base de usuários, principalmente no setor corporativo, a empresa anunciou um programa de extensão desses trabalhos, permitindo que empresas que desejarem continuar recebendo atualizações e correções para o sistema operacional possam pagar uma taxa mensal por isso.

O programa não teve valor revelado, mas, segundo as informações preliminares divulgadas pela companhia, permitirá que o Windows 7 continue sendo utilizado de forma segura e confiável até, pelo menos, 2023. É uma boa para corporações ou serviços que ainda não tenham feito a migração para o Windows 10, por qualquer que seja o motivo, apesar de essa ser a alternativa recomendada pela Microsoft para todos os seus utilizadores, estejam eles nos setores corporativos ou sejam usuários finais.

Segundo a companhia, essa opção estará disponível a todos os clientes das versões Profissional e Enterprise do Windows 7 que tenham adquirido licenças em volume. Aqueles que já são clientes de outros serviços de suporte da Microsoft terão descontos especiais, além de permanecer recebendo apoio da empresa em questões relacionadas à segurança e recursos da plataforma.

É claro, quem não aderir ao programa de mensalidades poderá continuar usando o Windows 7 normalmente, mas não receberá mais atualizações ou patches de segurança. Oficialmente, os trabalhos com o sistema operacional se encerraram em 2015 — indicando que a plataforma não recebe mais novidades, funções e recursos desde então. As correções relacionadas à proteção dos usuários, porém, permanecem sendo liberadas até janeiro, quando cessarão definitivamente aos usuários finais e também corporativos que optarem por não aderirem ao programa de extensão paga.

Acima de tudo, o fim do suporte é visto como a cartada final para migração às versões mais recentes do software, apesar de os números se mexerem de forma mais lenta em relação ao que a Microsoft gostaria. De acordo com os dados da Net Applications, que publica relatórios mensais de market share de sistemas operacionais, o Windows 7 ainda está rodando em 40,3% de todos os computadores em operação no mundo.

Apesar de quedas sucessivas, a plataforma ainda parece longe de cair em desuso, como sua fabricante gostaria. O Windows 10 vem crescendo e, de acordo com os dados de agosto, chegou a 37,8% de todos os computadores em funcionamento. O ponto de virada parece próximo, mas, para analistas de mercado, 2020 vai chegar, passar, e a edição 7 da plataforma ainda estará em um número considerável de máquinas, representando uma dor de cabeça para a fabricante da mesma forma que aconteceu com o amplamente popular XP, ainda bastante utilizado em muitos países, principalmente, emergentes.

Fonte: Microsoft

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.