Óculos de realidade aumentada da Apple só serão lançados a partir de 2019

Por Redação | 15 de Novembro de 2017 às 09h33
Tudo sobre

Apple

A Apple parece cada vez mais disposta a investir no mundo da realidade aumentada, por si própria e também por meio de seus parceiros. O mais novo rumor sobre esse assunto indica que a empresa pode ter um dispositivo do tipo para chamar de seu a partir de 2019, fabricado pela Quanta Computer, companhia taiwanesa que é parceira na fabricação de MacBooks, iPods e outros dispositivos da Maçã.

Os boatos surgiram da boca de C.C. Leung, vice-presidente executivo da empresa. Em entrevista à imprensa asiática, ele afirmou que a companhia esteve, nos últimos dois anos, trabalhando de forma direta em tecnologias de realidade aumentada, entendendo as necessidades ópticas desse tipo de dispositivo e, acima de tudo, planejando o lançamento de um dispositivo.

O aparelho em desenvolvimento soa básico, como um dispositivo de realidade aumentada deve ser. Leung fala em um gadget semelhante a um headset de realidade virtual, mas com lentes transparentes para que o usuário possa enxergar o ambiente e ver a tecnologia colocada sobre ele, podendo interagir com os recursos virtuais.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Ele não cita a Apple pelo nome, mas afirma que esse aparelho de realidade aumentada deve dar as caras a partir de 2019. Levando em conta que a Quanta não lança aparelhos no mercado por suas próprias mãos, os montando para terceiros, todos os olhos se voltaram para a Apple, principalmente pelo fato de a ideia combinar com outros rumores relacionados à realidade aumentada e que circundam a companhia.

O mais recente deles saiu, inclusive, nesta terça-feira (14), também ventilando a possibilidade de aprimoramento de tecnologias de realidade aumentada para a geração 2019 de iPhones. O recurso já está disponível nos smartphones, mas a Apple estaria trabalhando em novos sensores para melhorar esse potencial, utilizando lasers e algoritmos sobre a viagem da luz para calcular a distância e entender melhor ambientes e objetos.

Essa dinâmica, claro, serviria para que o celular exibisse as imagens, mas também estaria relacionada a óculos de realidade aumentada com foco em produtividade, jogos e aplicações artísticas, de forma semelhante ao que vemos nos protótipos relacionados ao HoloLens, da Microsoft.

Os boatos sobre esse assunto, na realidade, surgem de tempos em tempos desde que a Google lançou o Glass, em meados de 2013, e não pararam de circular mesmo com o alegado fracasso do produto. A Apple sempre viu potencial na tecnologia, tanto que esse foi um dos assuntos mais comentados dos eventos recentes de anúncio de produtos.

Sobre o lançamento de um dispositivo dedicado, entretanto, nada de comentários. A Quanta não citou a Maçã pelo nome (provavelmente, ela nem pode fazer isso, a não ser que queira receber uma visita do processinho), enquanto a própria empresa de Cupertino manteve sua cultura de silêncio sobre rumores. Ao que parece, por outro lado, a realidade aumentada é um assunto sobre o qual vamos ouvir com certa frequência daqui em diante.

Fonte: Nikkei Asian Review

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.