Quer saber se sua internet anda boa? Novo portal reúne medições nacionais

Quer saber se sua internet anda boa? Novo portal reúne medições nacionais

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 26 de Julho de 2021 às 16h20
Elements/twenty20photos

Consumidores, provedores e órgãos públicos nacionais agora podem verificar a qualidade da internet no Portal Medições, criado pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologia de Redes e Operações (Ceptro.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Lá, há informações sobre vários aspectos da rede — os testes são 100% independentes, realizados sem interferência e fora das redes de provedores.

O projeto reúne em um único lugar todos os serviços do Sistema de Medição de Tráfego Internet (Simet). "Oferecemos uma série de soluções e funcionalidades que atendem a necessidades distintas. No novo portal, as opções ficaram muito mais claras para o público", detalha Milton Kaoru Kashiwakura, diretor de projetos especiais e de desenvolvimento do NIC.br.

Na prática, os consumidores podem testar a qualidade da internet e conferir se estão recebendo o que contrataram. Eles podem verificar a latência (tempo que uma mensagem leva para ir e voltar de um destino), as velocidades de download e upload, as interrupções e as perdas de conexão, entre outros. "A velocidade não é a única medida importante para uma navegação satisfatória”, diz Kashiwakura. “Algumas atividades exigem resposta mais rápida ou maior estabilidade, por exemplo. A ferramenta oferece diagnóstico preciso e completo."

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

Imagem: Reprodução/NIC.br/Captiura de tela

Os provedores de internet, por sua vez, podem usar a Simet Box e o portal dos sistemas autônomos para ter uma visão completa da rede. Além disso, é possível identificar anormalidades e obter insights em tempo real. "Eles podem, por exemplo, extrair métricas de qualidade, detectar a possibilidade de envio de spam, verificar o tempo de resposta, identificar domínios inexistentes e a propagação de endereços de IP forjados”, explica Paulo Kuester, analista de projetos do Ceptro.br.

Já o setor público pode analisar as realidades de diferentes regiões, bem como extrair, analisar e correlacionar fenômenos. A partir disso, pode desenvolver e fomentar estudos, pesquisas e aplicações como apoio à criação de políticas públicas. "O mapeamento é bastante completo e possibilita fazer simulações e comparações. Temos projetos no setor educacional citados como referência em relatórios internacionais por permitir acompanhamento praticamente em tempo real", completa Kuester.

Segundo o NIC.br, todos os dados levantados a partir dessas medições seguem as recomendações da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). Além disso, servem de insumo para o desenvolvimento de pesquisas sobre a qualidade da internet no país.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.