Leilão do 5G termina com R$ 46,7 bi e 6 operadoras estreantes na internet móvel

Leilão do 5G termina com R$ 46,7 bi e 6 operadoras estreantes na internet móvel

Por Roseli Andrion | Editado por Claudio Yuge | 05 de Novembro de 2021 às 16h09
Pixabay

Os protocolos nacionais para o passo inicial de chegada da quinta geração de internet móvel, que deve acelerar em até 100 vezes a velocidade de conexão web, em relação ao 4G, finalmente terminou. Com a conclusão do Leilão do 5G, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) informou nesta sexta-feira (5) que a operação movimentou R$ 46,79 bilhões. A expectativa inicial era obter R$ 49,7 bilhões.

Foram oferecidos lotes em quatro faixas de frequência: 700 MHz, 2,3 GHz, 3,5 GHz e 26 GHz. Na quinta-feira (4), foram negociadas as três primeiras faixas. Já nesta sexta-feira (5), foram leiloados os lotes da frequência de 26 GHz. O direito de exploração das faixas vale por até 20 anos.

Imagem: Reprodução/Pexels

Entre as 15 empresas que apresentaram propostas para participar do leilão, 11 adquiriram lotes. Além das operadoras nacionais Claro, TIM e Telefônica (dona da marca Vivo), as empresas com atuação local Algar Telecom e Sercomtel já têm autorização para prestar serviço de telefonia móvel para o consumidor final.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

As outras companhias que agora farão parte do ecossistema são estreantes (ainda não tinham autorização para oferecer esse serviço). São elas:

  • Winity (Fundo Pátria)
  • Cloud2U;
  • Consórcio 5G Sul (Copel Telecom e Unifique);
  • Brisanet;
  • Neko (Surf Telecom);
  • FlyLink.

Veja, a seguir, quais companhias vão atuar em cada faixa, que funcionam como como espaços de operação para cada tipo de conexão.

700 MHz

Esse foi o primeiro espectro leiloado, na quinta-feira. Ele teve apenas um lote, que foi adquirido pela Winity II Telecom, do Fundo Pátria. A operadora poderá oferecer o serviço de telefonia móvel em todo o país.

3,5 GHz

Os lotes nacionais ficaram com Claro, TIM e Vivo. Essa era a principal faixa do leilão, já que é aa opção mais utilizada em todo o mundo para a acomodação do 5G. Os lotes regionais foram adquiridos por:

  • Sercomtel: vai atuar na região Norte e no Estado de São Paulo, salvo exceções;
  • Brisanet: regiões Nordeste e Centro-Oeste, salvo exceções;
  • Consórcio 5G Sul: região Sul;
  • Cloud2U: Estados do Rio de Janeiro, do Espírito Santo e de Minas Gerais, salvo exceções;
  • Algar Telecom: localidades em Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás e São Paulo.

Essas empresas poderão oferecer internet 5G em regiões específicas (a atuação nacional é de Claro, TIM e Vivo). Esse espectro é exclusivo para o 5G e é considerado ideal para atender áreas urbanas, já que permite transmissão em altíssima velocidade.

2,3 GHz

Os lotes disponíveis nessa frequência ficaram com:

  • Claro: regiões Norte, Centro-Oeste e Sul e Estado de São Paulo;
  • Brisanet: região Nordeste;
  • Vivo: Estados do Rio de Janeiro, do Espírito Santo e de Minas Gerais;
  • Algar Telecom: sul de Minas Gerais e localidades de Goiás, Mato Grosso e São Paulo.

Nessa faixa, as contrapartidas exigidas pela Anatel incluem a cobertura 4G em regiões urbanas que ainda não têm acesso a essa tecnologia. Em municípios com menos de 30 mil habitantes que ainda não têm cobertura, as empresas terão de garantir que 95% da área urbana seja atendida.

Além disso, há lotes regionais com menor espectro nessa frequência. Neles, a facilidade para transmitir e a qualidade da transmissão tendem a ser menores. Eles foram adquiridos por:

  • Vivo: regiões Norte, Centro-Oeste e Estado de São Paulo;
  • TIM: região Sul e Estados do Rio de Janeiro, do Espírito Santo e de Minas Gerais.

26GHz

Essa faixa é composta por lotes nacionais e regionais. A contrapartida é levar internet de qualidade a escolas de educação básica do país. Os nacionais com autorização de 20 anos de exploração foram adquiridos por Claro e Vivo. Já a opção nacional com autorização de 10 anos ficou com a TIM.

Os blocos regionais com autorização de 20 anos de exploração foram obtidos por:

  • TIM: região Sul e Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais;
  • Algar Telecom: triângulo mineiro, bem como localidades de Mato Grosso do Sul, Goiás e São Paulo;
  • FlyLink: triângulo mineiro e localidades de Mato Grosso do Sul, Goiás e São Paulo.

Os regionais com autorização de 10 anos de exploração ficaram com:

  • TIM: região Sul e Estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais;
  • Neko: Estado de São Paulo.

Valores arrecadados

Imagem: Reprodução/ Agência Brasil/MAPA

Confira qual foi o valor pago pelas operadoras para adquirir os lotes leiloados.

700 Mhz

  • Lote A1 (nacional): Winity II: R$ 1.427.872.491,87, ágio de 805%

3,5 GHz

  • Lote B1 (nacional): Claro: R$ 338 milhões, ágio de 5,18%
  • Lote B2 (nacional): Vivo: R$ 420 milhões, ágio de 30,69%
  • Lote B3 (nacional): TIM: R$ 351 milhões, ágio de 9,22%
  • Lote B4 (nacional): não teve lance (foi transformado em D33 a D36)
  • Lote C1 (Norte): não teve lance
  • Lote C2 (Norte e Estado de São Paulo): Sercomtel: R$ 82 milhões, ágio de 719,68%
  • Lote C3 (São Paulo): não foi aberto porque não houve lances no C1
  • Lote C4 (Nordeste): Brisanet: R$ 1,250 bilhão, ágio de 13.741,71%
  • Lote C5 (Centro-Oeste): Brisanet: R$ 105 milhões, ágio de 4.054,27%
  • Lote C6 (Sul): Consórcio 5G Sul: R$ 73,6 milhões, ágio de 1.454,74%
  • Lote C7 (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais): Cloud2U: R$ 405,1 milhões, ágio de 6.266,25%
  • Lote C8 (Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo): Algar Telecom: R$ 2,35 milhões, ágio de 358,5%

Frequências do B4

  • Lote D33 (nacional): Claro: R$ 80,338 milhões, sem ágio
  • Lote D34 (nacional): TIM: R$ 80.337.720,46, sem ágio
  • Lote D35 (nacional): Vivo: R$ 80.337.720,46, sem ágio
  • Lote D36 (nacional): não teve lance, porque não havia operadoras aptas a participar

2,3 GHz

  • Lote E1 (Norte): Claro: R$ 72 milhões, ágio de 101,79%
  • Lote E2 (Norte e Estado de São Paulo): não foi aberto porque o E1 foi arrematado
  • Lote E3 (São Paulo): Claro: R$ 750 milhões, ágio de 755,1%
  • Lote E4 (Nordeste): Brisanet: R$ 111.385.964,11, sem ágio
  • Lote E5 (Centro-Oeste): Claro: R$ 150 milhões, ágio de 381,15%
  • Lote E6 (Sul): Claro: R$ 210 milhões, ágio de 259,65%
  • Lote E7 (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais): Vivo: R$ 176,8 milhões, ágio de 124,75%
  • Lote E8 (Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo): Claro: R$ 32 milhões, ágio de 406,19%

Lotes com espectro menor

  • Lote F1 (Norte): Vivo: R$ 29 milhões, ágio de 1,59%
  • Lote F2 (Norte e Estado de São Paulo): não foi aberto porque o F1 foi arrematado
  • Lote F3 (São Paulo): Vivo: R$ 231 milhões, ágio de 229,21%
  • Lote F4 (Nordeste): não teve lance
  • Lote F5 (Centro-Oeste): Vivo: R$ 30 milhões, ágio de 20,28%
  • Lote F6 (Sul): TIM: R$ 94,5 milhões, ágio de 102,3%
  • Lote F7 (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais): TIM: R$ 450 milhões, ágio de 616,69%
  • Lote F8 (Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo): Algar Telecom: R$ 57 milhões, ágio de 1.027,08%

26 GHz

Autorização de 20 anos

  • Lote G1 (nacional): Claro: R$ 52,825 milhões, sem ágio
  • Lote G2 (nacional): Claro: R$ 52,825 milhões, sem ágio
  • Lote G3 (nacional): Vivo: R$ 52.824.007,59, sem ágio
  • Lote G4 (nacional): Vivo: R$ 52.824.007,59, sem ágio
  • Lote G5 (nacional): Vivo: R$ 52.824.007,59, sem ágio
  • Lotes G6 a G10 (nacionais): sem lances

Autorização de 20 anos

  • Lote H1 a H18 (regionais): sem lances
  • Lote H19 (Sul): TIM: R$ 8 milhões, ágio de 6,12%
  • Lotes H20 a H24 (regionais): sem lances
  • Lote H25 (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais): TIM: R$ 11 milhões, ágio de 8,55%
  • Lotes H26 a H30: sem lances
  • Lote H31 (São Paulo): TIM: R$ 12 milhões, ágio de 5,97%
  • Lotes H32 a H36: sem lances
  • Lote H37 (Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo): Algar Telecom: R$ 935 mil, ágio de 14,55%
  • Lote H38 (Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo): Algar Telecom: R$ 935 mil, ágio de 14,55%
  • Lote H39 (Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo): Algar Telecom: R$ 1,037 milhão, ágio de 27,05%
  • Lote H40 (Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo): Algar Telecom: R$ 1,037 milhão, ágio de 27,05%
  • Lote H41 (Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo): Algar Telecom: R$ 1.399.157,00, ágio de 71,42%
  • Lote H42 (Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Goiás, São Paulo): FlyLink: R$ 900 mil, ágio de 10,27%

Autorização de 10 anos

  • Lote I6 (nacional): TIM: R$ 27 milhões, ágio de 2,22%
  • Lotes I7 a I10: sem lances

Autorização de 10 anos

  • Lotes J1 a J18 (regionais): sem lances
  • Lote J20 (Sul): TIM: R$ 4 milhões, ágio de 6,12%
  • Lotes J21 a J24: sem lances
  • Lote J26 (Rio de Janeiro, Espírito Santo, Minas Gerais): TIM: R$ 6 milhões, ágio de 18,42%
  • Lotes J27 a J30: sem lances
  • Lote J32 (São Paulo): Neko: R$ R$ 8.492.917,16, ágio de 49,99%
  • Lote J33 (São Paulo): TIM: R$ 6 milhões, ágio de 5,97%
  • Lotes J34 a J36: sem lances

Destino dos recursos

Imagem: Divulgação/Anatel

Dos R$ 46,79 bilhões movimentados no leilão, apenas R$ 7,4 bilhões são de outorga (ou seja, o direito de exploração). Mesmo assim, parte desse montante pode ir para obrigações. "Parte vai para o governo e parte para obrigações. Vamos definir isso na semana que vem", diz Abraão Balbino e Silva, superintendente da Anatel e presidente da comissão de licitação do 5G.

Isso ocorre porque, segundo o edital, parte do ágio deve ser transformada em novos compromissos de investimento. O ágio é o valor pago pelas vencedoras acima do preço mínimo de cada lote.

As frequências de 3,5 GHz e de 26 GHz serão usadas exclusivamente para acomodar o 5G. Já as faixas de 700 MHz e de 2,3 GHz serão usadas inicialmente para expandir o 4G pelo país (mesmo assim, são compatíveis com a quinta geração de internet móvel).

Fonte: O GloboG1, G1

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.