Review Multilaser M8 4G com Google Kids Space | Caro para pouco desempenho

Review Multilaser M8 4G com Google Kids Space | Caro para pouco desempenho

Por Amanda Abreu | Editado por Léo Müller | 01 de Setembro de 2021 às 19h10
Divulgação/Multilaser

O Multilaser M8 4G é um dos muitos tablets para criança que testamos aqui no Canaltech. Recentemente lançado no mercado, possui poucas características interessantes e sofre do mesmo problema que a maioria dos tablets infantis enfrenta: a configuração é ruim e atrasada para os dias de hoje.

Seus 2 GB de memória RAM — apesar de passáveis — ainda é pouco para boa parte dos apps existentes na loja do Android. O processador quad-core ultrapassado não consegue dar conta do recado de boa parte das tarefas que ele executa, sendo a lentidão um problema crônico desse aparelho.

Depois de dois dias direto de testes, venho trazer a minha experiência de uso pessoal e afirmar para você que, apesar dele ser um pouco melhor que a maioria dos dispositivos lançados especificamente para esse nicho, ainda não é uma boa opção para gastar o seu dinheiro. Confira na nossa análise.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Prós

  • Tem 2 GB de memória RAM;
  • App Google Kids Space instalado de fábrica.

Contras

  • Processador defasado;
  • Pouco espaço de armazenamento;
  • Lentidão na utilização;
  • Bateria de pouca duração.

Confira o preço atual do Multilaser M8 4G

Design e Construção

O tablet Multilaser M8 4G tem design e construção simples. Na parte da frente, temos a tela de 8 polegadas com bordas razoavelmente grossas nas laterais, limitando o aproveitamento frontal. Sua traseira é feita de plástico na cor preta com detalhes de ranhuras, o que remete a um acabamento um pouco mais premium.

  • Peso: 760 gramas;
  • Largura: 11,6 cm;
  • Altura: 19,2 cm;
  • Comprimento: 10,2 cm.

Na construção da parte superior frontal, temos a câmera (de 2 MP) e a saída de áudio. Os botões de aumentar/diminuir volume e ligar/desligar o dispositivo ficam a disposição do usuário na lateral direita do produto.

O conector de fone tipo P2, carregamento (Micro USB) e expansão do armazenamento interno estão localizados acima da saída de áudio frontal, no topo. Por fim, existe um segundo alto-falante (principal) na parte inferior traseira.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Por ser um lançamento recente da Multilaser, esperava que algumas características fossem um pouco diferentes na construção em geral. Na parte do carregamento, por exemplo, o padrão tipo Micro USB desagrada bastante devido à fragilidade da conexão. Como este produto é desenvolvido especialmente para as crianças — que não costumam se preocupar tanto com cuidado e manuseio —, algo como USB tipo C seria melhor e mais adequado.

As bordas são grossas e interferem diretamente na visualização de conteúdos no dispositivo, já que poderiam ser menores e menos invasivas na tela. Já as marcações e indicações feitas no corpo do tablet sinalizam onde estão as conexões e botões do aparelho, auxiliando na utilização do dispositivo pela criança.

Tela

A tela tem 8 polegadas e seu painel é do tipo LCD TN. Teoricamente, telas com esse tipo de construção costumam ser reflexivas para auxiliar o usuário a enxergar melhor os ícones e textos em ambientes externos e com muita luz, o que, na minha opinião, não funcionou da melhor maneira possível.

Essa característica também causa desconforto nos olhos durante a utilização do tablet por longos períodos, já que o “espelhamento” refletido por ela causa fadiga e cansaço.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Sua resolução em 1280 x 800 pixels entrega qualidade mediana. Mesmo ao utilizar o brilho em 100%, as imagens não ficam totalmente nítidas e com boa visualização mostrando que a tela, apesar de “passável”, poderia melhorar bastante.

Devemos dizer, inclusive, que é praticamente uma obrigatoriedade utilizar o brilho em seu potencial máximo. Na utilização padrão (50%), as imagens exibidas ficam muito escuras e difíceis de serem lidas durante o uso.

Configuração e Desempenho

Infelizmente, o M8 4G tem os mesmos defeitos que a maioria dos tablets feitos exclusivamente para crianças têm: configuração defasada e desatualizada para a atualidade.

  • Processador: quad-core;
  • Memória RAM: 2 GB;
  • Armazenamento: 32 GB expansível até 64 GB (cartão micro SD).

Ao checar a caixa do produto e o site da fabricante para verificar os detalhes dos componentes utilizados, me deparo com a falta de transparência na informação repassada ao consumidor final. Não é disponibilizado qual modelo de processador foi utilizado nesse produto, tampouco o ano de fabricação. “Quad-core” é a única característica mencionada pela Multilaser, não sendo disponibilizada sequer a frequências outras informações importantes.

O Google Kids Space — app de entretenimento para crianças lançado pela Google — foi uma das poucas experiências agradáveis que durante o uso. Por se tratar de um produto focado no público infantil, entrega conteúdo seguro, divertido e controlado pelos responsáveis.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Ele vem diretamente instalado no tablet, bastando um adulto realizar a primeira configuração — idade, permissões, acompanhamento do histórico de acesso, etc — para que a criança possa utilizá-lo. Ela terá a oportunidade de criar o seu próprio “bonequinho”, escolher os temas que mais gosta entre os vários mostrados, baixar jogos e assistir vídeos próprios para a sua faixa etária, entre outros.

O único problema é que o tablet, por ter configuração antiga, não dá conta de rodar nenhum dos apps pré-instalados (incluindo o Kids Space) sem que a lentidão não seja um problema considerável. Qualquer ação realizada durante o uso (inclusive mudar a própria orientação de vertical para horizontal) ocasionava queda de performance.

Os carregamentos de vídeos, jogos, menus e demais interações com o tablet são demorados, algo que nenhum responsável quer se deparar ao adquirir esse tipo de produto. Sua faixa de preço também não ajuda (em torno de R$ 1.000, aproximadamente), já que existem outros dispositivos melhores e mais confiáveis.

O tablet Multilaser M8 4G fica devendo em performance. Apesar da boa proposta e disponibilidade do app Google Kids Space, seu processador quad-core e 2 GB de memória RAM são insuficientes na usabilidade do dia a dia.

App Google Kids Space

O Google Kids Space — app de entretenimento para crianças lançado pela Google — foi uma das poucas experiências agradáveis que tive durante o uso. Por se tratar de um produto focado no público infantil, entrega conteúdo seguro, divertido e controlado pelos responsáveis.

Ele vem instalado de fábrica no tablet, bastando um adulto realizar a primeira configuração — idade, permissões, acompanhamento do histórico de acesso, etc. — para que a criança possa utilizá-lo. Ela terá a oportunidade de criar o seu próprio "bonequinho", escolher os temas que mais gosta entre os vários mostrados, baixar jogos e assistir vídeos próprios para a sua faixa etária, entre outros.

O interessante do Kids Space é que a criança (enquanto utiliza o app), tem acesso restrito somente às opções oferecidas dentro dele. O YouTube Kids é totalmente integrado, garantindo uma experiência melhor adequada para o público infantil em geral.

Câmera

A câmera traseira de 5 MP poderia ser melhor em todos os pontos. Todas as capturas que realizei foram muito ruins na qualidade. Fotos granuladas, captura de luz (mesmo natural) péssima, imagens pixeladas e cores totalmente lavadas. Impossível ficar satisfeito até mesmo em registros triviais.

A resolução para a gravação de vídeos é de 1280 x 720 (HD) 30 FPS, o que, teoricamente, teria qualidade mediana no geral, mas infelizmente não é o que conseguimos nesse modelo.

Câmera Frontal

Mesmo em ambientes muito bem iluminados, em que o registro das fotos seria naturalmente melhorado, os 2 MP da câmera frontal também pecam em todos os quesitos de qualidade, assim como sua irmã na traseira.

A resolução para a gravação de vídeos é baixíssima (640 x 480) e sem nenhum destaque positivo a ser mencionado.

Sistema de Som

A parte de som do Multilaser M8 fica devendo em alguns pontos. Sempre utilizo a mesma seleção de músicas ao realizar os testes de áudio, assim consigo manter um padrão de análise melhor e mais concreto.

O M8 tem som razoável para vozes no geral. O usuário conseguirá ter uma experiência mediana ao assistir a vídeos, filmes ou ouvir músicas com menos detalhes em sua composição. Mas, caso ele queira sons mais detalhados, com graves e/ou sons de alta frequência, a experiência passa a ser sofrível em muitos aspectos.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

O posicionamento da saída de áudio também não favorece na utilização por dois motivos. A criança provavelmente ficará com as mãos por cima do alto-falante enquanto utiliza o produto, o que abafaria e pioraria o áudio. Caso o tablet seja colocado em uma superfície plana, a saída também é tampada e sofreria do mesmo problema da primeira situação, não sendo nada favorável.

O tablet também disponibiliza uma saída para fones de ouvido de 3,5 mm (tipo P2) permitindo à criança ouvir e assistir suas músicas e vídeos sem problemas. Considero essa conexão um ponto positivo na construção do produto, já que se torna bem útil no dia a dia.

Bateria e Carregamento

Entre os muitos tablets infantis que analisaremos aqui no Canaltech, o Multilaser M8 tem a bateria mais próxima ao razoável para seu tamanho. Para ser mais específica, são 4.000 mAh, um bom número para esse tipo de produto.

A única característica que é claramente ponto negativo na construção desse modelo é a conexão do tipo Micro USB. Isso cria a necessidade de sempre levar o carregador próprio do dispositivo para qualquer lugar, um incômodo que poderia ter sido evitado adotando uma porta USB-C.

A autonomia na reprodução de vídeos através do YouTube Kids é de, aproximadamente, 12 horas no total.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

Concorrentes Diretos

Como concorrentes diretos, temos duas opções a se considerar. Ambas já foram testadas e contam com análise aqui no Canaltech: os modelos Tab A8 e Tab A7, ambos da Samsung.

Começando pelo Tab A8, este é um tablet com aspectos não muito positivos, mas ainda melhores que o Multilaser M8. As câmeras, qualidade de som e autonomia da bateria são características claramente melhores, custando, aproximadamente, o mesmo valor que o modelo da Multilaser — entre R$ 900 a R$ 1.000.

Já o Tab A7 tem realidade muito diferente — e melhorada — em relação aos outros dois dispositivos. Bateria, memória RAM, processador, qualidade de som e de tela vencem a disputa facilmente. Mas suas melhorias acabam custando um pouco mais caro que seus concorrentes, estando o produto na faixa de preço entre R$ 1.100 a R$ 1.200.

Conclusão

O Multilaser M8 4G sofre de um problema crônico que a maioria dos tablets para criança sofrem: são produtos com boa proposta, mas todos mal executados. O app da Google (Kids Space) é divertido e bastante interativo, mas a configuração do dispositivo transforma a experiência num completo pesadelo.

A lentidão e demora são características praticamente nativas, em que a criança e/ou adulto responsável que for manusear o aparelho precisará de muita paciência.

(Imagem: Ivo/Canaltech)

O processador defasado e pouca memória RAM são injustificadas, principalmente quando lembramos que, com o valor aproximado dele, conseguimos tablets melhores e com desempenho mais agradável. Definitivamente temos pontos mais negativos do que positivos, o que, na nossa opinião, não justifica a compra do Multilaser M8 4G com Google Kids Space.

Mas, caso queira verificar o melhor preço para esse tablet, confira o link abaixo:

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.