Review iPad Pro 12,9 2021 | A experiência definitiva em iPad

Review iPad Pro 12,9 2021 | A experiência definitiva em iPad

Por Fábio Jordan | Editado por Léo Müller | 26 de Julho de 2021 às 15h55
Ivo/Canaltech

O ano de 2020 foi um marco na história da Apple e, desta vez, não estamos falando do iPhone. Ao lançar o novo processador Apple M1 para os MacBooks e Mac mini, a fabricante causou um reboliço com promessas de revolucionar a informática ao casar alto desempenho, baixo consumo e otimização em seus aparelhos.

Pouco tempo depois, a Apple fez o inesperado: anunciou uma nova versão do iPad Pro que tem o mesmo processador usado em seus computadores. Com isso, a empresa chamou ainda mais a atenção para seu ecossistema, uma vez que o modelo mais recente do iPad Pro traz as vantagens que ele já apresentava e ainda agrega um processamento inigualável em um tablet.

No Brasil, o iPad Pro de 2021 ficou conhecido como o iPad de R$ 30.000, valor astronômico resultante da combinação mais robusta no site oficial da marca: iPad Pro de 12,9 polegadas com 2 TB de armazenamento e conectividade 5G. Todavia, lá fora, os destaques do produto são mais relevantes do que o preço, já que se trata do melhor e mais completo iPad.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

O iPad Pro de 12,9 polegadas lançado em 2021 é o primeiro a usar o processador Apple M1 e a tela Liquid Retina XDR (que tem painel IPS com tecnologia MiniLED, algo inédito nos produtos da marca), fora diversos recursos de hardware e software, de modo que são muitas novidades que fazem deste o iPad mais completo de todos os tempos. Será que vale o investimento?

Prós

  • Processador M1 insano;
  • Desempenho sem precedentes;
  • Bateria de longa duração;
  • Tela fantástica;
  • Conexão 5G.

Contras

  • Câmeras poderiam ser melhores;
  • Preço absurdo.

Preço atual do iPad Pro 2021

Design e Construção

O iPad Pro de 2021 está cheio de novidades, mas elas certamente não são visíveis a olho nu, isso porque o design do novo modelo não apresenta características inéditas. Temos aqui um produto que já é conhecido do público, que herda curvas do iPad Pro de 3ª geração e repete o mesmo acabamento do iPad Pro de 4ª geração.

Imagem: Ivo/Canaltech

As similaridades são tantas que os três modelos compartilham algumas medidas, porém o iPad Pro 2021 tem espessura avantajada e peso elevado, que chega a 684 gramas, ou seja, um acréscimo de 41 gramas no comparativo com o produto do ano passado. Este é um aspecto que incomoda, já que o novo iPad Pro sem capinhas ou outros acessórios já a fica desconfortável para uso prolongado.

  • Dimensões (L x A x P): 21,49 x 28,06 x 0,64 cm
  • Peso: 684 g (modelo Wi-Fi + celular) / 682 g (modelo Wi-Fi)

O acabamento em alumínio é impecável e garante a identidade padrão dos produtos da Apple. Nas laterais, a marca mantém os componentes: saídas dos alto-falantes (duas na parte de baixo e duas na parte superior), botão de energia, botões de volume, espaço para cartão SIM (no caso do iPad com rede celular) e conector USB do Tipo C, aqui compatível com Thunderbolt 4.

Na frente, a tela ocupa quase toda a área disponível, o que resulta em bordas finas ao redor do display. Tal configuração garante um design moderno, ao mesmo tempo em que mantém um espaço confortável para segurar o aparelho. O display tem revestimento antirreflexo e resistente a impressões digitais e oleosidade.

Imagem: Ivo/Canaltech

Atrás, o iPad Pro de 2021 tem o módulo com o conjunto de câmeras e o sensor LiDAR, o qual mantém o mesmo formato do antecessor, o que é uma pena, já que esta era uma oportunidade para a fabricante reimaginar tal peça, já que a altura elevada cria um desnivelamento. Aqui, também temos o Smart Conector para conexão com teclados.

Assim, apesar de não trazer novidades estéticas, o iPad Pro de 12,9 polegadas lançado em 2021 ainda é um aparelho muito elegante, que impressiona no primeiro contato visual e que conquista ainda mais no decorrer da experiência de uso.

Tela

O iPad Pro 2021 com tela de 12,9 polegadas tem resolução de 2.048 x 2.732 pixels, o que resulta em uma densidade de 264 pixels por polegada. Tal configuração implica em uma definição idêntica à que temos no iPad tradicional, o que mostra que o novo iPad Pro não tem uma grande diferenciação nesse aspecto.

Vale pontuar que os iPhone 12 e iPhone 12 Pro trazem uma definição muito maior, ultrapassando os 400 pixels por polegada. Essa discrepância na densidade pode ser justificada pelo fato de que o iPad não é necessariamente um dispositivo utilizado tão próximo aos olhos, como os iPhones. Tal situação é similar à dos MacBooks, que trazem densidade de 227 pixels por polegada.

Imagem: Ivo/Canaltech

O painel ainda é IPS, porém a tecnologia miniLED para retroiluminação é a grande novidade. Ela garante brilho e contraste aprimorados, uma vez que alcança até 1.600 nits de pico de brilho para conteúdo HDR e até 1.000 nits na tela toda. Para o dia a dia e conteúdos SDR, o brilho típico continua em 600 nits, o que já é muito luminoso.

A tela do iPad Pro 2021 é a melhor que já vimos em um iPad, sendo uma novidade que entrega uma experiência ainda impecável para os usuários da Apple

Com 10 mil miniLEDs atrás do painel, o iPad Pro de 12,9 polegadas de 2021 entrega uma reprodução muito mais realista dos conteúdos, pois ela ajusta o brilho em diferentes áreas com maior precisão, de modo que áreas escuras podem ficar quase totalmente apagadas, evitando aquele aspecto acinzentado. Ainda não é um painel OLED, mas há uma melhoria considerável.

Configuração e Desempenho

Ainda que a tela seja uma novidade bem-vinda, o novo processador é o que mais chama a atenção no iPad Pro de 2021. Fabricado com litografia de 5 nanômetros, este componente promete desempenho elevado a um baixo consumo de energia, o que é cada vez mais essencial para garantir rapidez em todos os apps e uma duração prolongada de bateria.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

O Apple M1 é um chipset com CPU de 8 núcleos, GPU de 8 núcleos e a nova geração do Neuiral Engine de 16 núcleos, que acelera o processamento em apps que usam inteligência artificial. Vale notar que apesar de ser um novo modelo, este processador usa a mesma arquitetura dos chips da série A, o que significa que o iPadOS pode aproveitar todo o desempenho extra.

Esses detalhes são importantes, porém as melhorias são ainda mais perceptíveis nos números comparativos. De acordo com a Apple, o chip Apple M1 entrega até 40% maior desempenho na CPU e até 50% maior performance em GPU quando comparado ao Apple A12Z Bionic, que é o componente presente no iPad Pro de 2020.

Para propiciar um conjunto mais completo, a Apple disponibiliza o iPad Pro de 12,9 polegadas de 2021 com duas configurações de memória: 8 GB de RAM para os modelos com até 512 GB de armazenamento e 16 GB para os aparelhos com 1 TB ou 2 TB de armazenamento.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Na prática, o iPad Pro 2021 é um equipamento exagerado em todos os sentidos, já que até mesmo os iPads mais simples entregam boa performance. Assim, se o seu interesse é jogar ou aproveitar o multitarefa pode ter certeza que o novo iPad Pro roda absolutamente qualquer app e jogo com o máximo desempenho, já que ele é o patamar mais elevado da categoria.

O iPad Pro 2021 tem hardware de computador, o que significa que ele é o modelo mais poderoso da atualidade, sendo indicado para usuários que buscam performance monstruosa na enorme gama de apps do iPadOS

Tal qual os antecessores, o iPad Pro 2021 tem suporte para WiFi 802.11ax, o que significa que você tem a tecnologia mais recente e pode usar o padrão WiFi 6. Além disso, ele pode se conectar em duas frequências simultâneas (2,4 GHz e 5 GHz) com velocidades de até 1,2 Gbps. Há também o Bluetooth 5.0 para uma excelente conectividade com quaisquer acessórios.

A outra grande novidade do iPad Pro lançado em 2021 é a presença do modem 5G (somente nos aparelhos com rede celular, é claro). Ele é compatível com sub-6 GHz e mmWave, sendo possível usar cartão SIM do tipo Nano ou mesmo um eSIM. Obviamente, esta não é exatamente uma vantagem no Brasil, em que o 5G ainda deve levar um bom tempo para virar uma realidade.

Câmera

O iPad Pro de 12,9 polegadas 2021 tem um conjunto de duas câmeras principais: uma com lente grande angular com sensor de 12 MP e outra com lente ultra angular com sensor de 10 MP. Tal conjunto é um pouco inferior ao que há no iPhone 12, mas deve ser suficiente para fotos e vídeos de alta qualidade sem que você precise necessariamente usar o celular.

Esta combinação garante zoom out óptico de 2x, o que permite capturar muito mais cenário nas fotos. Já o zoom digital permite aproximação de até 3x, um inconveniente decorrente da ausência de uma lente teleobjetiva, que faria muito sentido neste produto, já que os iPhone Pro contam com esta lente adicional.

Imagem: Ivo/Canaltech

A grande angular tem abertura de f/1.8 para fotos mais claras, seja durante o dia ou em cenários mais escuros; enquanto a ultra grande-angular tem abertura f/2.4, que ainda é excelente para locais com boa iluminação, mas pode ter certa dificuldade em alguns cenários.

Em geral, as fotos no iPad Pro 2021 entregam ótimos resultados, até bem similares ao que conseguimos no iPhone 12, apesar de serem levemente mais escuras e com menos detalhes. A limitação das câmeras é ainda mais perceptível nas fotos noturnas, que entregam resultados bem aquém do esperado.

Vale pontuar que o iPad Pro 2021 não oferece modo retrato para as câmeras traseiras, o que inviabiliza cliques com boa resolução e fundo desfocado, seja para fotos de pessoas ou objetos. Para vídeos, a câmera principal filma em 4K com taxa de 60 fps e captura clipes com HDR com até 30 quadros por segundo, algo que está dentro do esperado.

Câmera frontal

Um upgrade muito bem-vindo foi feito na câmera frontal, que sai dos 7 MP no iPad Pro 2020 e passa para os 12 MP no iPad Pro 2021. Apesar da resolução aprimorada, a lente da câmera de selfies é uma ultra grande-angular, que tem abertura de f/2.4, sendo levemente mais escura do que a do iPad Pro antecessor. Curiosamente, a Apple manteve a captura de vídeos ainda em 1080p.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Uma novidade que a Apple exaltou em seu evento é o recurso de Palco Central, que utiliza os recursos de inteligência artificial do processador para aprimorar a experiência em videochamadas. Basicamente, quando você está numa videoconferência, a câmera tenta acompanhar seu rosto ou até mesmo enquadrar várias pessoas no vídeo.

O modo retrato na câmera frontal funciona relativamente bem. Os resultados não são comparáveis com as do iPhone 12, por exemplo, sendo que as imagens parecem mais granuladas e com menor definição no iPad Pro M1.

Sistema de Som

Tablets e celulares em geral costumam ter certas limitações nos sistemas sonoros, uma vez que há pouco espaço disponível para incluir alto-falantes potentes. Todavia, o iPad sempre foi um aparelho que se destaca nesse quesito, algo que é ainda mais notável na versão mais premium do produto.

O iPad Pro 2021 tem um conjunto com quatro alto-falantes, dois localizados na parte inferior do aparelho e dois inseridos na parte superior. Ao utilizar o dispositivo na horizontal, o som é distribuído de forma estéreo, com canais à direita e à esquerda do aparelho, o que garante uma experiência ideal para filmes.

Este é simplesmente um dos conjuntos de áudio mais impressionantes que já testamos em aparelhos tão compactos, sendo que ele supera facilmente a qualidade sonora que vemos em muito notebooks. Os sons são nítidos e muito bem equalizados, sendo que eles entregam até mesmo graves reforçados.

Bateria e Carregamento

O iPad Pro 2021 tem uma bateria de polímero de lítio com capacidade de 40,88 watts/hora. Como de praxe, a Apple não informa as especificações completas, mas em consultas na web encontramos a informação de que esta bateria tem capacidade de 10.758 mAh.

Curiosamente, a fabricante revela que a bateria do iPad Pro 2021 de 12,9 polegadas tem autonomia de até 10 horas para assistir a vídeos ou navegar na internet usando a rede WiFi, o que é a mesma informação de autonomia do iPad de 8ª geração.

Imagem: Ivo/Canaltech

Obviamente estes números oficiais são provenientes de uma metodologia própria da Apple, então a estimativa em condição de uso real pode ser bem diferente. Confira nosso teste de bateria do iPad Pro 2021 e os resultados:

Teste com streaming

  • Condições: Nível de brilho em 50% / WiFi ligado / Bluetooth ligado;
  • Teste: Streaming de série na Netflix;
  • Resultado: 1 hora de reprodução consome aproximadamente 7% de bateria;
  • Estimativa total de uso: aproximadamente 14 horas.

Nosso teste mostra que os números da Apple são verdadeiros e que a bateria do iPad Pro 2021 pode ser até mais eficiente do que o prometido para streaming de vídeos. Novamente, o tempo real deve variar de acordo com outros fatores, como apps em segundo plano e até mesmo a atividade em execução.

Imagem: Fábio Jordan/Canaltech

Para jogos, por exemplo, a autonomia de bateria pode reduzir drasticamente para cerca de 5 ou 6 horas de acordo com o game em questão. Ao executar o game Star Trek, que está disponível no Apple Arcade (e supostamente é otimizado), a bateria cai cerca de 20% em apenas 1 hora, o que é um impacto significativo na autonomia total.

A bateria do iPad Pro 2021 é impressionante, sendo suficiente para uma rotina intensa de uso, de modo que ela é adequada para quem costuma viajar muito ou trabalhar longe de uma tomada

O iPad Pro de 12,9 polegadas lançado em 2021 vem com carregador de 20 watts com conexão USB Tipo C. No teste de recarga, mantendo a tela do iPad desligada, a bateria vai de 20 a 100% em cerca de 2 horas e 30 minutos, o que indica um tempo de recarga completo de 3 horas e 10 minutos.

Concorrentes Diretos

O iPad Pro 2021 de 12,9 polegadas é um produto que impressiona pela qualidade, bem como pelos resultados, sendo um aparelho inovador em várias especificações. No entanto, ele não é o primeiro modelo do mercado a trazer novidades como o 5G. Por outro lado, ele se destaca por integrar tal padrão com outros recursos avançados de hardware.

O problema é que, para entregar tudo isso, o iPad Pro de 12,9 custa a partir de R$ 14.799 no site oficial da Apple, com promoções que giram perto dos R$ 11.000 em outras lojas (valores referentes ao dispositivo com 128 GB). Assim, ele pode até “correr sozinho” pelo conjunto da obra, mas, com tal preço, ele talvez tenha alguns problemas nesta corrida.

Ainda que indiretamente, por questões de preços e hardware, o principal concorrente deste modelo é o Samsung Galaxy Tab S7 Plus, que também tem conexão 5G, processador de altíssimo desempenho, câmera de 13 MP, tela de 12,4 polegadas com taxa de 120 Hz (e tecnologia AMOLED, que pode ser até melhor em algumas situações), bateria de longa duração e um extra bem convincente: a S Pen que já vem com o produto.

As desvantagens são a memória RAM, que é de 6 GB (para modelos de 128 GB) ou 8 GB (nas versões com 256 GB e 512 GB). O armazenamento limitado pode ser compensado com um Micro SD de até 1 TB. O melhor: o Galaxy Tab S7+ de 256 GB é encontrado na faixa dos R$ 8.000. O iPad Pro de 12,9 com 256 GB custa facilmente mais de R$ 13.000.

Outro tablet que é um concorrente direto do iPad Pro 2021 é o Microsoft Surface Pro X. Ele tem configurações similares, porém é bem mais pesado e tem um conjunto de câmeras mais simples. O pior é que esse modelo não está disponível no Brasil, e os preços de importação fazem ele chegar aqui por valores astronômicos.

Conclusão

O iPad Pro 2021 de 12,9 polegadas é o melhor modelo já apresentado pela Apple, sendo um produto que chega para substituir até mesmo um MacBook, uma vez que ele tem o mesmo processador, configurações de memória avançadas (a combinação de 1 TB com 16 GB é mais do que suficiente para qualquer tarefa exigente), câmeras aprimoradas e ainda opção de 5G.

Estas especificações avançadas resultam num preço bem próximo do que MacBook Air M1. A diferença entre esses dois produtos está nas formas de interação: o iPad com tela touch e o MacBook com o conjunto teclado e mouse. O ponto é que a experiência de um computador no iPad pode ser custosa, já que os teclados são caros, e ele não tem os mesmos apps, pois roda o iPadOS em vez do MacOS.

Pensando no iPad Pro 2021 em sua proposta original, fica evidente que ele não é apenas um dos melhores aparelhos do segmento, como pode ser considerado o mais avançado da atualidade, já que nenhum processador concorrente é capaz de se equiparar ao Apple M1. Todavia, o custo elevado do produto é proibitivo e deixa várias margens de dúvidas.

É evidente que os usuários que já usam iPad e possuem muitos apps no sistema não têm muita saída. Contudo, aqueles que pensam em adquirir um tablet grande podem perfeitamente considerar o Galaxy Tab S7+ como opção primária, uma vez que o produto da Samsung ainda oferece alta performance por um preço atrativo e já vem com a caneta S Pen para interação. E só por curiosidade: a Apple Pencil de 2ª geração custa cerca de R$ 1 mil.

Não questionamos a excelência do produto da Apple, porém sempre é preciso lembrar que o Brasil é um país com preços complicados para fãs de eletrônicos. Assim, é preciso aceitar: você terá de desembolsar uma grana alta para ter o melhor iPad do momento e não adianta esperar por grandes descontos, porque o preço não tende a cair muito.

Você curtiu o iPad Pro 2021? Então, que tal aproveitar esta oferta que separamos?

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.