Problema de segurança em chips Intel pode afetar todos os PCs e Macs

Por Redação | 03 de Janeiro de 2018 às 15h25
Tudo sobre

Intel

Um relatório detalhado e repleto de explicações técnicas lançado pelo The Register relata que, na última década, todos os computadores fabricados com chipsets Intel sofrem de um problema sério de segurança. O lado bom desta história é que a questão já foi verificada pelas empresas e patches de atualizações serão lançados em breve para corrigir este erro. Por outro lado, isso irá desacelerar todas estas máquinas, diminuindo em até 30% o seu desempenho.

No Linux, por exemplo, programadores já estão trabalhando para revisar o sistema de memória virtual do Kernel, enquanto que a Microsoft deve apresentar um pacote de atualizações para os usuários de Windows. Os Macs da Apple com chip Intel x86-64 também precisarão ser atualizados com um software a nível de sistema operacional – ou, em último caso, poderá ser feita a aquisição de um novo processador sem o errado de design.

As atualizações serão implementadas porque a falha de segurança é bastante perigosa. O erro provém desde a fabricação dos chips nos últimos dez anos, e permite que pessoas mal-intencionadas acessem áreas nas máquinas de usuários que não deveriam estar acessíveis para ninguém. Portanto, é extremamente recomendado que todos os proprietários de computadores (tanto pessoais quanto de trabalho) instalem a atualização quando chegar a hora.

Assista Agora: Nunca mais contrate funcionários para sua empresa! Comece o ano em uma realidade completamente diferente!

Quando estes patches estiverem disponíveis, mais detalhes sobre a falha de segurança também serão revelados. Por enquanto, tudo o que se sabe é que esta vulnerabilidade afeta o Kernel dos chips da Intel, responsável por garantir que os programas terão acesso às ferramentas do sistema como um todo, compartilhando-os simultaneamente e, por tabela, equilibrando o desempenho da máquina.

Com a falha, programas comuns podem ler os conteúdos protegidos pela memória Kernel, o que significa que qualquer aplicativo poderia detectar e ler as partes essenciais de um sistema operacional, e expor informações pessoais do usuário como, por exemplo, as senhas armazenadas. As correções a serem lançadas para Windows, Linux e Mac tornarão o Kernel invisível para todos, como deveria ser.

O efeito colateral deste ajuste, entretanto, é uma queda significativa no desempenho das máquinas, já que as atualizações moverão o Kernel para um espaço endereçado completamente a parte do sistema, fazendo com que fique invisível para qualquer processo em andamento – como se o recurso nem existisse. Por conta disso, o sistema ficará um pouco mais lento, já que alternar entre dois espaços separados de memória a cada ação que for executada e/ou interrompida levará algum tempo.

“Essas mudanças de contexto não ocorrem instantaneamente e forçam o processador a despejar dados em cache e recarregar informações da memória. Isso aumenta a sobrecarga do Kernel e retarda o computador. Sua máquina alimentada por um chip Intel executará [processos] mais lentamente como resultado”, explica o artigo do Register sobre o caso.

Embora a Intel tenha alertado sobre algumas vulnerabilidades no firmware de seus processadores, até o momento, a empresa ainda não se pronunciou sobre as correções ou qualquer outra atitude que possa ser tomada a respeito do bombástico relatório divulgado recentemente.

Fonte: BRG, The Register

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.